sábado, 30 de maio de 2009

Gorilas: Uma nação ameaçada pelos humanos









Por Fátima Chuecco

A natureza tem façanhas inexplicáveis. Uma delas fez nascer um de seus maiores tesouros num dos lugares mais inóspitos do planeta, assolado pela pobreza e por uma guerra que já dura 15 anos. É na República Democrática do Congo, que tem o penúltimo pior IDH – Índice de Desenvolvimento Humano do mundo (só perde para Serra Leoa), que vivem os gorilas-das-montanhas - fascinantes criaturas com o triplo da força de um ser humano, mas com pouca ou nenhuma capacidade para se defender de seus parentes mais próximos.


Os gorilas compartilham conosco 98,4% de seu DNA, são vegetarianos (comem plantas, cascas e alguns insetos como cupins e formigas) e se comunicam por meio de pelo menos 30 sons com diferentes significados. Eles se dividem em Gorilas das Montanhas (com as espécies Mountain Gorilla e Eastern Lowland Gorilla) e Gorilas das Planícies (Cross River Gorilla e Western Lowland Gorilla – essa última é a única que ainda se mantém fora da Lista Vermelha da ONU de espécies criticamente ameaçadas de extinção).

O aspecto mais curioso é que apesar do tamanho e força, os gorilas estão completamente vulneráveis às ações do homem – seu único inimigo natural. No caso dos gorilas-das-montanhas, por exemplo, isso se deve ao fato de que o confronto corporal é a última alternativa de defesa. Primeiramente, o líder do grupo, conhecido como silverback ou dorso-prateado, responde ao ataque urrando e socando o próprio peito. Faz isso para afugentar o invasor. Mas essa estratégia, de certa maneira ingênua, é totalmente inútil contra caçadores armados até os dentes.


Há mais gente num único edifício de 10 andares em SP do que gorilas-das-montanhas no mundo


Restam apenas 720 gorilas-das-montanhas no planeta. Isso quer dizer que tem menos gorilas do que gente num único edifício comercial de uma grande metrópole como São Paulo. Um número praticamente insuficiente para a preservação da espécie levando-se em consideração que, assim como nós, os gorilas não se reproduzem com membros da mesma família e as fêmeas só dão à luz a apenas um bebê a cada quatro anos.

A gravidez dura nove meses e, durante esse período, o macho dominante faz para a gestante camas suspensas nas árvores, a cinco ou seis metros do chão. O vínculo familiar é muito forte. As gorilas se ajudam na criação dos bebês. Os machos também são carinhosos e freqüentemente são flagrados na floresta com bebês dormindo em seus peitos ou costas.

A maturidade sexual chega por volta dos 8 ou 9 anos de idade, mas os gorilas nessa fase ainda são adolescentes e jovens demais para serem pais. Surgem brincadeiras sexuais, mas raramente ocorre uma gravidez nesse período. Os gorilas machos só se tornam adultos com 18 anos e as fêmeas aos 15. Praticamente igual aos humanos. Nessa ocasião, os jovens gorilas migram para outros grupos em busca de parceiros. Resumindo: um gorila precisa sobreviver às inúmeras ameaças que o cercam por pelo menos 15 anos, antes de se reproduzir. Tempo demais numa região onde cada sombra representa um perigo.

Milagre da natureza: População cresceu 12,5% em um ano


Intensos conflitos entre rebeldes e exército congolês, fizeram com que os guardas florestais perdessem o contato com os gorilas durante 16 meses. O período de guerra resultou num contingente de quase 300 mil refugiados, entre eles, muitas famílias de guardas florestais. Além disso, o Parque de Virunga foi invadido por milícias e tornou-se impossível acompanhar e proteger os gorilas. Quando, no início de 2009, os guardas florestais puderam retomar seu trabalho graças a uma trégua negociada pela ONU, havia uma grande expectativa porque, acostumados aos humanos, muitos gorilas poderiam ter sido mortos.

No entanto, o último censo realizado este ano encheu de esperança os preservacionistas e provou que a natureza, além de façanhas, também têm suas proezas. Há dez novos bebês entre as seis famílias de gorilas localizadas no Parque (que foi decretado Patrimônio da Humanidade pela Unesco). No maior dos grupos, na Kabirizi Family, que tem 33 membros, foram vistos cinco bebês saudáveis.


O resultado do censo indica um crescimento de 12,5% na população do Parque que é monitorado pelo ICCN – Institut Congolais pour la Conservation de La Nature e mantém um site onde diariamente pode-se acompanhar os trabalhos de campo: http://www.gorilla.cd/ .

A sofrida vitória se deve aos preservacionistas e, especialmente, aos guardas florestais que muitas vezes trabalharam em meio a uma guerra para o qual não estavam equipados nem preparados. Nos últimos 10 anos houve uma baixa de 150 guardas florestais.

Os gorilas só existem num ponto do planeta, nas Montanhas de Virunga, exatamente na divisa entre República Democrática do Congo, Uganda e Ruanda. Cerca de 380 estão nas Montanhas entre os três países e, estima-se, que mais 340 numa região da floresta montanhosa de Uganda de difícil acesso aos humanos.

Na República Democrática do Congo estão 211 gorilas, incluindo a Rugendo Family da qual restaram apenas 9 membros depois do massacre de 2007 que chocou o mundo, quando 7 gorilas foram assassinados com tiros na cabeça. Além das famílias já conhecidas dos guardas florestais, foram avistados gorilas vindos, provavelmente, de outras regiões e três silverbacks solitários.

Mudança de comportamento: grupos com dois chefes de família

As novidades não param de surgir na República Democrática do Congo. Além do nascimento de 10 bebês, duas famílias de gorilas foram flagradas atravessando juntas as florestas do Parque Nacional de Virunga, na República Democrática do Congo. Isso nunca foi registrado antes. Geralmente, quando duas famílias se cruzam há conflito entre os dois líderes (também conhecidos como silverbacks ou dorsos prateados) ou os dois grupos simplesmente seguem cada um para um lado.

É bastante difícil duas famílias de gorilas se cruzarem na floresta porque a “etiqueta” da selva manda que os grupos se desenvolvam em áreas distantes para que todos tenham condições de alimento e sobrevivência. Mas nesse caso, as famílias Humba e Kabirizi, foram filmadas interagindo. O encontro das duas famílias pode ser resultado do pouco espaço habitável que sobrou aos Gorilas das Montanhas no Parque de Virunga (boa parte tomada por agricultores e outra invadida por rebeldes armados). Por trás do raro comportamento de interagirem pode estar a intenção de reforçar a defesa dos dois grupos.


Humba e Kabirizi, numa situação mais normal, se enfrentariam e o vencedor ficaria com as fêmeas mais jovens, ampliando seu grupo. Conflitos desse gênero podem acarretar grandes prejuízos para a espécie, pois, muitas vezes bebês são separados de suas mães e não sobrevivem. Mas os dois silverbacks do Congo, já conhecidos dos guardas florestais, investiram numa espécie de “entendimento”.

Isso pode ter um valor científico incalculável. Pode significar toda uma mudança de comportamento que tem sido mantido há milênios de anos. É como se os gorilas soubessem da necessidade de unirem forças para a sobrevivência de suas famílias. Um grupo mais numeroso também pode oferecer uma resistência maior aos inimigos, como caçadores. Se durante um ataque de caçadores um dos líderes sobreviver, ele poderá sozinho continuar conduzindo os membros que sobrarem das duas famílias. Fêmeas e seus bebês são muito frágeis e necessitam da proteção de um silverback.

Cada um é dono do seu nariz

Os gorilas são reconhecidos por seus narizes. Não há nenhum gorila com nariz igual ao de outro. Por esse motivo, os guardas florestais possuem uma lista com os desenhos dos narizes e respectivos nomes dos gorilas. É dessa forma que sabem identificar as famílias e seus membros: pelo formato do nariz.
Vale lembrar que é errado chamar um gorila de macaco. O gorila faz parte do grupo dos grandes primatas que não possuem rabo. A esse grupo também pertencem o chimpanzé, o orangotango, o bonobo e o homem. Macacos ou “monkeys” são os primatas com rabo e “apes” são os primatas considerados mais evoluídos, com sistemas sociais mais complexos, uso de ferramentas rudimentares e facilidade de aprendizado. A famosa Koko, gorila hoje com 33 anos de idade, aprendeu a se comunicar pela linguagem dos sinais, criou novas palavras para expressar o que deseja ou sente e manipula computador.

Participe da Campanha

YoG 2009 – Ano Internacional do Gorila
Promotora - Unesco, por meio do Programa para o Meio Ambiente da UNEP (United Nations Environment Programme)
Site oficial: http://www.yog2009.org/
Site em português: http://www.gorillashelp.com/
População de gorilas no mundo:
Cross River Gorilla – 300 indivíduos (Camarões e Nigéria)
Mountain Gorilla – 720 (República Democrática do Congo (RDC), Ruanda e Uganda)
Eastern Lowland Gorilla – 5 mil (RDC)
Western Lowland Gorilla –150 mil (RDC, Gabão e Guiné-Bissau)


* Publicada na Mãe Terra

Baleias encalham em praia da África do Sul





Cerca de 55 baleias-piloto encalharam em uma praia da Cidade do Cabo, na África do Sul. Voluntários e cientistas marinhos foram até o local, neste sábado, para tentar resgatar os animais, informou a Reuters. As equipes de resgate tentam manter as baleias molhadas e usam retroescavadeiras para tentar recolocar os animais em águas profundas. "A operação está em curso. Ondas grandes estão empurrando os animais para a praia", disse Craig Lambinon, porta-voz do Instituto Nacional de Resgate Marinho (NSRI, em inglês).
Segundo uma rádio local, a morte de três animais foi confirmada. Ainda não se sabe o que levou as baleias a encalharem na praia. De acordo com o NSRI, é a primeira vez que um incidente do tipo é registrado na praia da Cidade do Cabo.
Equipe de resgate do mar e voluntários trabalham para salvar a vida de 55 baleias que encalharam na praia de Kommetjie, na Cidade do Cabo, na África do Sul (Foto: Schalk van Zuydam/AP)

Pessoas ajudam a salvar uma baleia que encalhou em praia sul-africana. Ainda se estuda a causa do incidente (Foto: Schalk van Zuydam/AP)
Com informações: Reuters/France Press/Terra/G1

terça-feira, 26 de maio de 2009

Onça apreendida no AM não pode voltar à natureza e não encontra lar definitivo




Uma onça-parda de dois anos e meio que vive no Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama em Manaus é exemplo de um problema comum entre bichos apreendidos pela instituição. Batizado pelos tratadores de Shiva, o felino, que na verdade é um macho, chegou ainda pequeno ao órgão ambiental, e, por isso, não aprendeu a viver solto na natureza.

Segundo Carlos Abrahão, veterinário responsável pelo núcleo de fauna silvestre do Ibama, existem treinamentos que permitiriam readaptar o animal à vida selvagem, mas são tão caros e demorados que raramente são aplicados, mesmo em países ricos. “Os custo para reintroduzi-lo é muito alto. Ele está fadado à vida em cativeiro. Veio como filhote e nunca aprendeu a caçar”, diz Abrahão.


O felino tem entre 25 e 30 quilos, mede 1 metro de comprimento (sem a cauda) e devora 2 quilos de carne por dia. (Foto: Divulgação/Ibama)


Por outro lado, o centro de triagem tampouco é pensado para ser o lar definitivo dos animais. O Ibama tenta encaminhá-los para zoológicos ou criadouros autorizados com instalações adequadas. “Temos poucas instituições que podem recebê-lo legalmente”, conta Abrahão. E a maioria deles fica no centro-sul do país, distante de Manaus.

O custo para a transferência, que precisa ser feita de avião, é alto. Além disso, a onça-parda existe em todo o país e, por isso, não há tantos locais interessados em receber espécimes de longe.Em março, a irmã de Shiva, Krishna, foi levada para um criadouro particular em Santa Rita do Passa Quatro, no estado de São Paulo, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). As duas onças foram encontradas quando ainda tinham poucos meses, em Rio Preto da Eva (AM). Abrahão não sabe dizer o que aconteceu com a mãe das duas onças-pardas. Ele aponta, no entanto, que é comum, em casos como este, que caçadores matem a mãe, encontrem os filhotes e fiquem com pena de matá-los também.

Também são comuns os casos em que as pessoas levam os filhotes para casa, mas não conseguem mantê-los quando adultos, já que não podem ser domesticados. "O animal vai crescendo e fica agressivo porque é selvagem", explica o veterinário do Ibama. O custo para manter uma onça como Shiva também é alto, já que chega a comer 2 quilos de carne ao dia.

Animais têm senso de moral, como os humanos



Cientistas que estudam o comportamento animal acreditam ter evidências de que espécies de mamíferos, entre ratos e primatas, têm moral de conduta, assim como os humanos. O Professor Marc Bekoff, um ecologista da Universidade do Colorado acredita que a moral está ligada ao cérebro dos mamíferos e provê uma ligação social que permite que animais agressivos e competitivos vivam juntos em grupo.

O professor tem evidências de que, ao redor do mundo, diferentes espécies têm um senso inato de justiça, empatia e ajudam outros animais. Isso dá munição para grupos que buscam que os animais sejam tratados mais humanamente. Mas alguns "experts" são céticos com relação a quais animais podem ter experiências emocionais complexas e responsabilidade social.
Códigos morais são específicos para cada espécie, então é difícil estabelecer uma comparação com os humanos. O professor Bekoff acredita que a moral nos animais ajuda a regular o comportamento social em grupos. Ele diz que as regras ajudam a controlar as brigas e o comportamento cooperativo. Mesmo animais que estão longe de nós na escala evolutiva, como baleias e gofinhos, têm as mesmas estruturas cerebrais responsáveis pela empatia nos humanos. Outras descobertas mostraram que alguns animais podem ser capazes de mostar empatia com outras espécies.
O professor Frans Waal, um behaviorista em primatas da Universidade Emory em Atlanta, Georgia disse não acreditar que os animais tenham o mesmo senso de moral que os humanos. A moralidade humana não está toda nos genes, ela cresceu na nossa psicologia primitiva.
Fonte: HypeScience / Foto: Telegraph

Entre Amazônia e Andes, ruínas revelam que animais eram cultuados com devoção


No topo da cordilheira, uma muralha de pedra talhada dá a dimensão de uma das primeiras cidades das Américas. Com 30 metros de altura e 600 de comprimento, ela foi erguida no século XII para proteger o povo chacapoya, que habitava a região muito antes dos incas. Hoje, restam ruínas das 420 casas que formavam as ruas da comunidade. Nas residências maiores, moravam entre seis e oito pessoas. Na cozinha, dizem os pesquisadores, o trigo e o milho eram moídos em pedras. As roupas e objetos pessoais eram guardados em buracos nas paredes, parecidos com armários embutidos – uma prova de que muito antes da descoberta, as civilizações que ocupavam as Américas já eram organizadas. A curiosa forma circular das casas tinha um sentido muito mais nobre do que um capricho arquitetônico. "Círculo não tem início, nem fim, é uma cultura eterna", explica a pesquisadora Hildegard de Leon. Para os historiadores, o padrão arredondado permitia mais integração. As pessoas viviam em permanente reciprocidade. “Toda a organização social, política e econômica era muito bem estabelecida", diz o arqueólogo Julio Rodrigues. Ainda se sabe muito pouco sobre as ruínas, diz o arqueólogo. Ele comanda uma pesquisa que depende de um cuidadoso trabalho braçal. As escavações já desenterraram cerâmicas, crânios, vestígios de um passado que deixou poucos registros na história. Um dos desafios é descobrir como desapareceram os moradores deste lugar.
Cidade habitada
La Jalca, uma cidadezinha meio esquecida em um dos pontos mais altos da Amazônia, também guarda um monumento precioso. Aqui, chachapoyas e incas tentaram, mas não conseguiram, resistir à invasão dos conquistadores espanhóis. Depois da conquista, veio o abandono. Os espanhóis não suportaram o clima, de muita chuva e o frio de três mil metros de altitude, e abandonaram La Jalca. Mas deixaram uma herança que hoje ainda é considerada um dos patrimônios mais importantes do norte do Peru: uma igreja do século 16, construída pela tecnologia chachapoya, com pedra sobre pedra. O padre Diego Garcia nos mostra na parede que os católicos mais antigos da Amazônia não cultuavam os santos, e sim os animais. Três espécies eram respeitadas com devoção. "A serpente, os primatas e os felinos", mostra o padre. Mais uma curiosidade da igreja: a torre. Fica do outro lado da rua, fora da nave. O historiador Peter Thomas, depois de 30 anos de pesquisa descobriu os motivos: "Havia uma igreja ao lado, que não existe mais. A torre servia para ambas. Era também ponto de observação e vigilância”.
Assista, aqui, ao vídeo da matéria.
Fonte: Globo Amazônia

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Manifestações anti-touradas chegam a Madrid







A capital espanhola acolheu nesse domingo (25) um protesto original. Centenas de ativistas dos direitos animais encenaram a morte dos touros na arena. Seminus, os manifestantes ficaram deitados no chão e com bandarilhas improvisadas cravadas nas costas. A ação despertou muita curiosidade.
Como forma de simbolizar o sofrimento e o sangue derramado pelos touros, os manifestantes pintaram-se com tinta vermelha. Homens e mulheres de todas as idades mostraram que se opõem e que não há sentido na tradição espanhola. Todos os anos, são abatidos na Espanha cerca de 12 mil touros, em pleno vigor da idade.
Com informações do IOL

CCZ de SP realiza segunda cãominhada com participação de protetores


Relato de Lilian Rockenbach
Nesse domingo (24) foi realizada a segunda cãominhada no CCZ de São Paulo. Cerca de 25 voluntários estiveram presentes e 110 cães puderam sair de seus canis para passear, brincar e tomar banho de sol.
Alguns deles, principalmente os mais velhinhos ao serem expostos ao sol, simplesmente deitaram e não quiseram saber de passear, somente curtir este que, muito provavelmente, seja um momento que eles não tinham há meses. Outros, não sabiam se corriam ou ficavam totalmente parados, se brincavam ou tentavam fugir, mas todos, sem exceção, aproveitaram esses poucos momentos de prazer. Banho de sol, atenção, carinho, brincadeiras. Há quanto tempo esses animais não tinham esses momentos?
O que para nós foi quase nada (apenas duas horas), para aqueles animais foi tudo diante da situação em que vivem.
Todos os domingos, o CCZ receberá voluntários para passear com os cães, o horário é das 10h às 12h, o uniforme é calça jeans e tênis. A recompensa é fazer algo simples e fácil para amenizar o sofrimento dos animais.
A ONG Natureza em Forma está reunindo grupos de voluntários para dar banho e tosa nos cães do CCZ todas às sextas-feiras (muitos animais na data de ontem já estavam de banho tomado e tosados). Todos os sábados estão sendo realizadas no CCZ feiras de adoção, quem quiser ser voluntário será muito bem vindo.
É muito pouco diante das necessidades, mas já é um começo. Esperamos em breve poder divulgar mais conquistas em prol dos animais do CCZ de São Paulo. Divulgaremos também o documento elaborado, que será entregue ao prefeito, com as reivindicações de mudanças imediatas e para os anos de 2010, 2011 e 2012.
Se vc quiser saber mais informações de como ajudar, entre em contato com o grupo pelo email: amigosdoccz@ gmail.com

Cavalo passa mal, cai em buraco e é socorrido em SP



Um cavalo caiu em um barranco na manhã desta segunda-feira, em São Paulo (SP), e foi socorrido por veterinários e pelo Corpo de Bombeiros. Com a saúde debilitada, o animal passou mal e não conseguiu mais sustentar seu peso. O incidente ocorreu na rua Manuel de Freitas, no bairro Jardim Álamo. O bicho foi medicado e está sob cuidados veterinários.
Por volta das 9h, o cavalo se desequilibrou e caiu no barraco. Moradores da região acudiram o bicho, que não teve forças para levantar e ser retirado do declive. Pessoas que tentaram levantar o cavalo chamaram uma guarnição do Corpo de Bombeiros. Ao chegar ao local, os bombeiros foram orientado por veterinários, que também foram chamados para atender a ocorrência.
Na manhã de terça-feira, os veterinários voltarão ao Jardim Álamo para medicar novamente o cavalo e avaliar o seu estado de saúde. A proprietária do animal acompanhou toda a ação, mas disse aos bombeiros que o cavalo estava muito doente e não tinha condições de tratá-lo.
Fonte: Terra

França, campeã da Europa em abandono de animais


Enquanto no sul do país durante 12 dias o júri da edição nº 62 do Festival Cinematográfico de Cannes deliberava e entregava prêmios ao melhor da sétima arte nacional e estrangeira, na capital do país, Paris, a Sociedade Protetora de Animais (SPA) concedia esta semana outro presente: “ A Palma do abandono” à França, o primeiro país da Europa com maior número de animais de companhia abandonados, uma realidade que seria provocada pela crise econômica mundial.
Com o slogan “ La SPA décerne la Palme de l'abandon à la France !", (A SPA entrega a Palma do abandono à França !”), a associação dedicada à proteção dos animais lançava assim uma campanha de sensibilização cidadã de maneira paralela ao festival internacional cinematográfico. Esta legenda se podia ler durante esta semana em cerca de 800 painéis publicitários de quatro por três metros colocados em sua maioria no estado francês de Los Alpes Marítimos, onde se celebrou o glamuroso Festival de Cannes.
E é que antes da véspera do verão, um periodo que resultaria propício para o abandono dos animais de companhia, a SPA tenta com esta campanha mandar um sinal de alerta para a opinião pública. Dados desta associação revelam que este ano se registra um aumento de 5 % no abandono de animais assim como uma diminuição de 10 a 15 % na adoção de animais. Dentro da perspectiva da SPA, isto posiciona a França como o país da Europa onde os animais são vítimas da crise.
Para a SPA, o balanço não é nada animador: os animais domésticos, sobretudo na França, são vítimas colaterais da recessão econômica mundial. Neste país, a cada ano cerca de 100 mil gatos surgem nas ruas. Durante as recentes campanhas de adoção que organizou a associação, se registraram menos adoções que em anos anteriores. Esta realidade obriga a que estes felinos sejam submetidos com maior frequência a eutanásia toda vez que a associação não pode sustentar a chegada de mais animais; seus abrigos estão lotados. Diante desta situação, a SPA insiste na esterilização dos animais.
A associação reitera que se a França é um exemplo em outros campos, em matéria de respeito aos animais há um atraso. Neste sentido, enfatiza que o abrigo de animais evidencia esta realidade. Muitos deles são deixados amarrados a àrvores, jogados vivos no lixo, jogados nas ruas ou deixados à noite nas portas dos abrigos.
Nesta primavera chuvosa, o radiante sol e o céu azul deste caloroso domingo levaram milhares de parisienses a desfrutar do bom tempo em algum dos passeios públicos mais visitados da capital francesa: o bosque de Vincennes. Neste dia em que o termômetro surpreende a muitos com quase 28 graus, dezenas de pessoas se esticam embaixo das sombras das velhas árvores, enquanto outros como Natalie, caminham em companhia de seu mascote ao redor do lago Daumesnil que cruza este lugar.
Mais informações: http://spa.asso.fr/

domingo, 24 de maio de 2009

Dar carne às crianças são maus tratos infantis





A Organização PETA (Pessoas pelo tratamento Ético dos Animais) iniciou uma campanha publicitária em Londres, Reino Unido, com um slogan que diz "Dar carne às crianças são maus tratos infantis". Poorva Joshipura, diretor da Organização PETA afirma: "Os danos causados por uma dieta que inclua carne é como uma bomba-relógio numa criança. As crianças vegetarianas são mais magras, têm mais energia, têm melhores notas escolares e estão, em geral, em melhores condições do que as crianças que comem carne."
O poster da campanha mostra a imagem de uma criança bem acima do peso se aproximando para dar uma mordida num hamburguer.
Veja notícia completa em inglês: "Feeding kids meat is child abuse' claims Peta"
Fonte: Evana

Veterinária afirma que cães sentem frio e devem ser bem agasalhados



O inverno nem chegou, mas as temperaturas já começaram a cair. Nesta época do ano, assim como os humanos, os cães também sofrem com o frio e, para que eles fiquem livres de doenças, é preciso tomar alguns cuidados especiais.No frio, nenhum cão deve dormir ao relento e a maioria tem que ficar bem agasalhada. Segundo a médica veterinária Sirlei Manzan, até mesmo os cães mais peludos, como yorkshire, maltês e poodle sentem frio e precisam ser aquecidos. “Nesta época, não é aconselhável tosar o pelo animal. São indicadas somente tosas especiais para facilitar a utilização de roupas de frio”, disse.Se até os mais peludos sentem frio no inverno, imaginem os cães de pelo curto como os pinchers, vira-latas, daschunds (mais conhecidos como salsichinhas) e outros tantos que não estão acostumados com as baixas temperaturas. Para eles, roupas não são luxo e, sim, necessidade. Os animais de pelos curtos devem usá-las o dia todo e dormir bem cobertos.A fisioterapeuta Janaína Costa já conhece esses cuidados. Dona da pincher Mel, ela garante que, no inverno, a cadelinha não passa frio. Isso porque a cadela, que está com 7 anos, tem uma coleção de roupas de inverno. “Quando Mel chegou à minha casa era tão pequena que eu a colocava para dormir em uma meia. E ela não se incomoda de usar as roupas, muito pelo contrário, na hora de vestir até ajuda levantando as patinhas”, disse Janaína.Mas só as roupinhas não são suficientes para esquentar Mel. A cadelinha só dorme depois de ser muito bem coberta pela fisioterapeuta. Na hora do banho, os cuidados são redobrados, principalmente em dias frios. “Mel toma banho no chuveiro com uma água bem quentinha e depois é secada com secador de cabelo”, afirmou a fisioterapeuta.Linda Liz, a dachshunds de 4 anos da jornalista Beatriz Montes, também recebe cuidados especiais no frio. “Ela usa roupinhas apropriadas e eu troco o forro da cama dela por um mais quietinho”, disse.Beatriz afirma que segue à risca as orientações passadas pela médica veterinária de Linda Liz. “No frio, os animais ficam mais propensos a terem doenças respiratórias e, por isso, evito sair de casa com a Linda Liz nos dias mais gelados. Ela também dorme com o cobertor especial para pets para não causar alergias e eu aumento, cerca de 20%, a quantidade da ração que ela come”, afirmou Beatriz.A supervisora de relacionamento Nina Carvalho também possui um daschund, e conta que desde criança é criadora da raça. Por serem cães de pequeno porte e de pelagem mais curta, sentem muito frio quando as temperaturas caem. “Eu tinha um casal de daschunds que viveu até os 12 anos; a fêmea Tati morreu primeiro e o Pingo, seu companheiro, acabou ficando sozinho. Nesta época do ano, Pingo ficava muito triste porque não tinha mais a Tati pra se aquecer. Eles dormiam sempre juntos e um esquentava o outro”, disse.Foi por esse motivo que Nina comprou uma roupinha para o Pingo. Ela conta que, no começo, ele estranhou um pouco, mas quando percebeu que a roupa ajudava a espantar o frio, se acostumou e até buscava a roupa para que fosse colocada nele“, afirmou a supervisora, hoje dona do daschund Robinho, que, assim como o Pingo, adora usar roupinha de frio.
Veterinária alerta para os cuidados nesta época
A médica veterinária Sirlei Manzam explica que, em dias frios, os cães devem ficar bem agasalhados, não podem dormir ao relento, os banhos devem ser com água morna e o pelo secado com secador de cabelo. É importante também que os cães sejam vacinados contra a gripe, porque nessa estação do ano estão sujeitos às doenças. Os sintomas são bem parecidos com a gripe humana. “Eles tossem, espirram, dão febre e têm coriza. Muitos chegam a vomitar de tanto tossir. Nesses casos, o cachorro deve ser levado imediatamente ao veterinário para ser medicado e assim evitar que a gripe evolua para uma pneumonia”, disse Sirlei.Já existe no mercado uma vacina contra a gripe, que protege em até 80% o cão contra o vírus. “O cão que nunca vacinou contra a gripe receberá duas doses e aquele que já foi imunizado recebe uma dose única. A vacina é válida por um ano e custa de R$ 25 a R$ 30”, afirmou.Outro problema comum nesta época é a cinomose, doença grave que possui poucas chances de cura. “De abril a julho aumenta a proliferação do vírus da cinomose. Os donos devem verificar o cartão de vacina do animal e conferir se a dose da vacina óctupla está em dia. Essa vacina também deve ser feita anualmente”, afirmou a médica veterinária.Cuidados com os cães no inverno
• Os banhos devem ser dados em dias mais quentes e com água morna• Após o banho, os pelos devem ser secados com secador• Evitar tosar o animal, exceto se for uma tosa especial para facilitar o uso de roupas• O cão não deve dormir ao relento. Se o animal ainda não tem casinha, no inverno é fundamental comprar uma• Roupas para cães não são apenas luxo. Mesmo cães com pelagem longa, mas que não são adaptados a temperaturas mais baixas, devem usá-las • Verificar se o cartão de vacinação está em dia. No inverno, os cães estão mais sujeitos a doenças como a gripe e a cinomose• Passear com o cão nos horários mais quentes do dia• Aumentar a alimentação do animal em 20 a 30%
Fonte: Correio de Uberlândia

sábado, 23 de maio de 2009

Blitz apreende centenas de animais no Mercadão de Madureira no RJ



Cerca de R$ 1 bilhão movimentados por ano. Segundo o presidente da Comissão de Defesa do Meio Ambiente da Alerj, o deputado estadual André do PV, essa é a cifra que circula no Brasil com o tráfico e o comércio ilegal de animais domésticos e silvestres. Diante dessa constatação e baseada em denúncias de maus tratos, a Comissão deflagrou na manhã de sexta-feira (22/05) uma operação no Mercadão de Madureira, zona norte do Rio de Janeiro. Foram apreendidos centenas de animais, entre faisões, tartarugas e gansos. Três comerciantes foram detidos e levados para a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente.
"Dados da Organização das Nações Unidas indicam que o tráfico de drogas é a prática ilícita mais rentável no mundo. Em segundo lugar, está o comércio de armas e, em terceiro, o de animais", confirmou André do PV, que acompanhou a blitz. De acordo com o presidente da Comissão, as operações de combate aos maus tratos têm despertado ações de outros órgãos.
"Nossas operações realizadas em feiras e mercados do Rio chamaram a atenção para uma fiscalização mais rigorosa nas fronteiras do Estado. A Polícia Federal também vem atuando para acabar com o crime", disse André.
Multa de R$ 2 mil
Para a ação deflagrada sexta-feira, além da Sepda, a Comissão da Alerj contou com o apoio de policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e de agentes do Centro de Controle de Zoonoses, localizado em Santa Cruz (Zona Oeste), para onde foram levados os animais recuperados. Os donos foram conduzidos à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e autuados conforme estabelece o artigo nº 32 da Lei Federal 9.605, de 1998, que prevê multa de R$ 2 mil para crimes de maus-tratos aos animais. Durante a blitz, uma cartilha explicativa foi distribuída para os comerciantes informando como tratar os animais.
"Somente após sofrerem uma ação repressiva é que os infratores buscam conhecer a lei e saber o que é certo e errado", comentou André do PV.


Graças às denúncias feitas através do Disque Meio Ambiente da Alerj (0800-2820230) os fiscais conseguiram apreender no Mercadão de Madureira cinco faisões, 15 patos, 15 tartarugas, 2 gansos, 45 galinhas e dois cestos com caramujos africanos, que podem transmitir doenças. As ligações informavam inclusive casos de coelhos com lepra. Durante a semana, a comissão já havia feito uma pré-vistoria no local e confirmou as denúncias.
"Constatamos cenas absurdas. Gansos confinados dentro de gaiolas no sótão sem qualquer iluminação ou ventilação e caramujos misturados com coelhos e gatos", revelou Leonardo Fisher, subsecretário da Secretaria Especial de Proteção e Defesa Animal (Sepda), que também acompanhou a blitz.
Segundo o Fisher, o interesse comercial é o que vem motivando os vendedores a cometerem os crimes. Precariedade no confinamento leva na maioria das vezes os bichos à morte.
"As lojas que funcionam no Mercadão são pequenas. Quanto mais estocam animais em locais reduzidos, mais chances o proprietário tem de vender e obter lucro", completou o subsecretário, confirmando que as blitze chegarão a outros pontos da cidade.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Porca e seus oito filhotes fogem de criadouro e agora vivem livremente








A saga da família de porcos que fugiu de um criadouro em São Paulo e foi recolhida pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) teve um final feliz. No final de abril, a família de suínos foi encontrada na Rodovia Francisco Morato, após terem fugido do criadouro. Desde então, a família estava sob a guarda do CCZ, órgão responsável pelo controle de populações de animais domésticos.
A Surya Solidária – programa de responsabilidade social da Surya Brasil dedicado a ações sociais e de proteção animal – tomou conhecimento do fato e, temendo a possibilidade de maus tratos ou de que os porcos pudessem ser mortos para consumo, resolveu intervir para dar uma destinação adequada dos animais. Pois é necessário um adotante especial para esse tipo de animal, que precisa de espaço e cuidados específicos.A família de porcos foi encaminhada esta semana para o sítio de um fornecedor da Surya Brasil. Eduardo Lima , proprietário da Ello Flex Brasil, empresa do ramo gráfico que produz rótulos e etiquetas, disponibilizará um espaço em seu sítio em Pedra Bela, interior de São Paulo, para que os animais sejam criados livremente, sob os cuidados da Surya Brasil, que fica responsável pelos custos com alimentação e tratamento veterinário.
Para Clélia Angelon, presidente e fundadora da Surya Brasil, a conquista da liberdade pelos porcos é também simbólica. “É uma demonstração real da vitória do direito à vida e do direito dos animais”, diz Clélia. “Respeitar os direitos dos animais significa valorizar a interrelação entre todos os seres vivos e o nosso planeta”, diz ela. E para comprovar essa perfeita interação e reduzir o impacto ambiental, o tratamento aos porcos inclui a utilização de biodigestores que capturam o metano gerado pelos dejetos dos animais e o aproveitam para geração de energia.“Partilhamos com o reino animal e vegetal o dom da vida, que é o bem mais precioso a ser preservado. Durante milhares de anos, o homem matava os animais para se alimentar e para se vestir. Hoje já somos evoluídos o suficiente para fazer outras opções que incluam o respeito aos animais”, conclui Clélia.
“A Surya resolveu assumir a guarda desta família de vencedores, que preferiram correr o risco do desconhecido a permanecer no criadouro e se transformarem em presunto, bacon, feijoada entre outras coisas”, diz Rosana Tsibana, responsável pela Surya Solidária. A mamãe porca recebeu o nome de Surya, pela coragem, instinto protetor e acolhedor, e pelo amor à vida. Os filhotes terão seus nomes dados pelos colaboradores da Surya Brasil.
A Surya Solidária realiza outras ações em prol dos direitos animais, como as campanhas contra os maus-tratos a animais em circos e campanhas de adoção. Além de diversos outros projetos que tratam de sustentabilidade, respeito ao meio ambiente e trabalhos sociais de desenvolvimento de auto-estima e capacitação e geração de renda.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Ligação de cachorro deixa polícia em alerta na Inglaterra


Um operador da polícia recebeu uma chamada de emergência e pensou que uma mulher estava em apuros, mas acabou descobrindo que a ligação havia sido feita pelo cão de estimação da suposta vítima, segundo reportagem do jornal inglês "Daily Mail"।

O operador ouviu uma voz abafada enquanto um homem gritava: "Vem para fora, estou avisando". A ligação foi acompanhada pelo som que parecia de uma pessoa choramingando. Na sequência, a linha ficou muda.

Após rastrear a chamada, a polícia ligou imediatamente para residência em Withington (Inglaterra), já temendo pelo pior. No entanto, quando Jodie Halfpenny atendeu, ela confirmou que estava bem e o culpado não tinha sido seu marido, mas seu cão Bailey.

Segundo ela, o cachorro tinha agarrado o telefone da casa e fugido para o jardim, onde se escondeu em um local para mastigar o aparelho. Foi nesse momento que o cão acabou ligando, sem querer, para o telefone de emergência (999) da polícia. As vozes que o policial ouviu eram do marido de Jodie pedindo para que o cão saísse para fora. O porta-voz da polícia afirmou que o agente pensou que se tratava de um caso de violência doméstica ou mesmo de um potencial assassinato.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Bode Billy aposenta-se e ganha homenagem do Exército britânico




O bode William Windson, mais conhecido como Billy é conduzido em sua parada de aposentadoria nesta quarta-feira (20) em batalhão do Exército do Reino Unido em Chester, na Inglaterra।

Billy, bode oficial do batalhão, entrou para a reserva depois de sete anos de 'serviço militar' -ter um bode de estimação é uma tradição de mais de 200 anos do batalhão. Agora, o reservista vai passar o resto de seus dias no zoológico de Whipsnade.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Casal detona a casa para achar gata que ficou presa na parede


O casal norte-americano Phillip e Cheryl Albers ficou desesperado quando a gata de estimação Bubba desapareceu. O felino sumiu durante a reparação do ar condicionado na semana passada na residência do casal em Marion, no estado do Arkansas (EUA).

Segundo a emissora WMC-TV, Cheryl e Phillip ouviam toda a noite o miado de Bubba, mas não conseguiam encontrá-la. Eles chegaram a fazer buracos nas paredes da sala, no corredor e no armário na tentativa de localizar o felino, mas sem sucesso. Após mais de três dias de angústia, o casal decidiu ligar para uma empresa que presta serviços de encanamento. "Nós somos encanadores, e não especialistas em encontrar gatos", argumentou Fred Simmons, da empresa "Roto Rooter". No entanto, usando um aparelho com câmera, o encanador vasculhou entre as paredes e acabou encontrando a gata finalmente. Bubba tinha ficado presa em uma passagem estreita entre um armário e a parede.

Apesar de felizes com o fato de a gata ter sido achada, a aventura de Bubba vai custar caro para o casal. Eles terão que reparar os vários buracos que fizeram na casa, na tentativa de localizar seu animal de estimação.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

'Whale Wars' ganha prêmio da Academia Televisiva por fazer TV com visão consciente


O fundador e diretor executivo da Sea Shepherd Conservation Society, Capitão Paul Watson, e a diretora para a Campanha de Conservação dos Tubarões, Kim McCoy, compareceram à segunda edição da cerimônia anual de premiação da Academia de Artes e Ciências da Televisão, no último dia 30 de abril. O evento de gala realizado no Hotel Beverly Hills premiou programas televisivos que contribuíram para a sociedade.
Apresentadas por Dana Delaney, de 'Desperate Housewives', as premiações foram entregues a oito programas televisivos considerados como "televisão com uma visão consciente". 'Whale Wars' foi um dos premiados, juntamente com '30 Days', produzido por Morgan Spurlock. O presidente do canal de TV a cabo Animal Planet, Marjorie Kaplan, recebeu o troféu das mãos da lendária atriz Tippi Hedren, estrela do clássico filme de Alfred Hitchcock, 'Os Pássaros'.

O presidente da academia e diretor geral, John Shaffner, afirmou que a segunda edição da cerimônia anual destacou contribuições valiosas para a sociedade, incluindo os reality shows. Não se esquecendo da posição vegana assumida tanto pelo Capitão Watson quanto por Kim McCoy, a Academia forneceu refeições veganas para ambos.

"É uma honra sermos parte de um programa que esteja aumentando a consciência global acerca da matança ilegal das baleias nos oceanos", afirmou Watson. "Muitos dos membros da Academia disseram-me que o programa 'Whale Wars' tem boas chances de ganhar o Emmy, em setembro".

A segunda temporada de 'Whale Wars - Defensores de Baleias' começa a ser exibida em junho nos Estados Unidos. A primeira temporada ainda está sendo apresentada na América Latina, Reino Unido, Holanda, Bélgica Luxemburgo, e começou a ser apresentada neste mês para o resto da Europa no Animal Planet.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Homem senta na privada e leva mordida de cobra no pênis


Um cidadão de Taiwan de 51 anos teve o dia mais azarado de sua vida no último sábado (9). Quando foi ao banheiro, ele sentou normalmente na privada, mas não imaginava o que o esperava: ele levou uma mordida de uma cobra no pênis, segundo o jornal "China Times".
"Assim que sentou, ele sentiu uma dor como uma facada e se levantou rapidamente", relatou o "China Times"। "Quando olhou para baixo, ele viu uma cobra grande [dentro da privada]", acrescentou o periódico chinês.

Natural do Condado de Nantou, o homem está internado no hospital Puli Christian. Ele não corre risco de morte. "Assim que tiver passado o risco de infecção, ele receberá alta", afirmou o diretor do hospital.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Ibama de Manaus rejeita supostos maus-tratos a animais apreendidos


O Ibama de Manaus nega que animais silvestres mantidos em seu centro de triagem sofram maus-tratos, conforme aponta reportagem da TV Bandeirantes divulgada nesta terça-feira (12). A reportagem mostra uma ave morta, um tamanduá ferido e um macaco que estaria há dois dias sem alimentação. A denúncia é feita por uma suposta integrante de uma organização de defesa dos animais não identificada. A assessoria de imprensa do Ibama informa que o órgão está indignado com a divulgação de imagens que teriam sido coletadas “clandestinamente”. A ave que aparece na reportagem teria morrido um dia após chegar ao centro de triagem, argumenta o Ibama. A assessoria também rejeita que algum animal tenha ficado mais de um dia sem alimentação. Segundo o órgão ambiental, é normal que alguns animais morram no local, já que muitos deles são apreendidos após serem maltratados ou transportados de forma inadequada. A instituição informa ainda que o índice de mortalidade dos animais do centro de triagem é de 6%.

sábado, 9 de maio de 2009

Cadela reaparece no Texas após oito anos sumida


Uma cadela misteriosamente foi reencontrada e voltou para a residência de Alison Murphy, na cidade de Austin, no estado do Texas (EUA), oito anos depois de ter desaparecida, de acordo com a emissora KVUE-TV.

A cadela foi deixada na semana passada em uma entidade de defesa de animais em New Braunfels, cerca de 72 quilômetros de distância de Austin.

Um músico encontrou o cão em seu bairro e, após alguns dias, levou o animal para entidade para ver se ele tinha um microchip implantado.Segundo Alison, a cadela se chamava "Dancer". Mas, após tanto tempo sumida, ela já não reconhece quando é chamada por esse nome. Por outro lado, responde ao nome "Fern".

"É simplesmente maravilhoso ter ela de volta", disse a dona, destacando que sempre acreditou na importância de colocar um microchip em seus animais de estimação e agora está ainda mais convencida de que eles são muito úteis.

domingo, 3 de maio de 2009

Grupo de defesa dos animais quer sorvete com leite materno


Peta escreveu carta com esse pedido a fabricante de sorvete.Empresa usa imagens de vacas até em seu material de divulgação.
O grupo de defesa dos animais Peta enviou uma carta nesta terça-feira (23) para a empresa de sorvetes Ben & Jerry’s pedindo que ela troque o leite de vaca usado em seus produtos por leite humano. A solicitação foi feita depois do anúncio de um restaurante suíço, que vai comprar leite materno para usar em seus pratos – sopas, cozidos e molhos.
O texto direcionado a Ben Cohen e Jerry Greenfield, co-fundadores da empresa, diz que a iniciativa aliviaria o sofrimento das vacas e seus bezerros, além de trazer benefícios para a saúde dos consumidores.
“O fato de os adultos consumirem enormes quantidades de laticínios feitos com leite destinado a bezerros simplesmente não faz sentido”, diz Tracy Reiman, vice-presidente executiva da organização, que assina a carta. “Todos sabem que leite materno é o melhor para humanos. Com essa troca, a Ben & Jerry’s faria um grande favor para os consumidores e vacas.”
Segundo a executiva, o consumo de laticínios está associado a diabetes, alergias e obesidade, além de câncer na próstata e ovário. Ela também afirma que as vacas são obrigadas a engravidar a cada nove meses, para produzir leite para consumo dos humanos. “Depois de muitos anos vivendo em conduções imundas e tendo de produzir dez vezes mais leite do que fariam naturalmente, seus corpos exaustos são transformados em hambúrgueres ou ingredientes para sopas.”
FOnte: G1

Ato em defesa dos animais reúne mil pessoas em SP



São Paulo - Cerca de mil pessoas participaram de um protesto em defesa dos direitos dos animais em frente ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Santana, na zona norte de São Paulo। De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) os manifestantes ficaram deitados na rua Santa Eulália, bloqueando totalmente a via no sentido bairro, próximo à Santos Dumont. Eles pediam a substituição da atual administração do centro.

Segundo os manifestantes, é muito difícil o processo de doação de cães de grande porte; é proibido fotografar os animais, mesmo que para divulgar doações; e não é permitido que entidades e protetores cadastrados retirem os animais do local para levá-los a eventos de adoção durante os fins de semana। Segundo a Polícia Militar, o protesto, que começou por volta das 13 horas e durou duas horas, era pacífico e não houve incidentes.
Fonte: UOL

sábado, 2 de maio de 2009

Coisas da Política - A gripe dos porcos e a mentira dos homens

Mauro Santayana
O governo do México e a agroindústria procuram desmentir o óbvio: a gripe que assusta o mundo se iniciou em La Glória, distrito de Perote, a 10 quilômetros da criação de porcos das Granjas Carroll, subsidiária de poderosa multinacional do ramo, a Smithfield Foods. La Glória é uma das mais pobres povoações do país. O primeiro a contrair a enfermidade (o paciente zero, de acordo com a linguagem médica) foi o menino Edgar Hernández, de 4 anos, que conseguiu sobreviver depois de medicado. Provavelmente seu organismo tenha servido de plataforma para a combinação genética que tornaria o vírus mais poderoso. Uma gripe estranha já havia sido constatada em La Glória, em dezembro do ano passado e, em março, passou a disseminar-se rapidamente.
Os moradores de La Glória – alguns deles trabalhadores da Carroll – não têm dúvida: a fonte da enfermidade é o criatório de porcos, que produz quase 1 milhão de animais por ano. Segundo as informações, as fezes e a urina dos animais são depositadas em tanques de oxidação, a céu aberto, sobre cuja superfície densas nuvens de moscas se reproduzem. A indústria tornou infernal a vida dos moradores de La Glória, que, situados em nível inferior na encosta da serra, recebem as águas poluídas nos riachos e lençóis freáticos. A contaminação do subsolo pelos tanques já foi denunciada às autoridades, por uma agente municipal de saúde, Bertha Crisóstomo, ainda em fevereiro, quando começaram a surgir casos de gripe e diarreia na comunidade, mas de nada adiantou. Segundo o deputado Atanásio Duran, as Granjas Carroll haviam sido expulsas da Virgínia e da Carolina do Norte por danos ambientais. Dentro das normas do Nafta, puderam transferir-se, em 1994, para Perote, com o apoio do governo mexicano. Pelo tratado, a empresa norte-americana não está sujeita ao controle das autoridades do país. É o drama dos países dominados pelo neoliberalismo: sempre aceitam a podridão que mata.
O episódio conduz a algumas reflexões sobre o sistema agroindustrial moderno. Como a finalidade das empresas é o lucro, todas as suas operações, incluídas as de natureza política, se subordinam a essa razão. A concentração da indústria de alimentos, com a criação e o abate de animais em grande escala, mesmo quando acompanhada de todos os cuidados, é ameaça permanente aos trabalhadores e aos vizinhos. A criação em pequena escala – no nível da exploração familiar – tem, entre outras vantagens, a de limitar os possíveis casos de enfermidade, com a eliminação imediata do foco.
Os animais são alimentados com rações que levam 17% de farinha de peixe, conforme a Organic Consumers Association, dos Estados Unidos, embora os porcos não comam peixe na natureza. De acordo com outras fontes, os animais são vacinados, tratados preventivamente com antibióticos e antivirais, submetidos a hormônios e mutações genéticas, o que também explica sua resistência a alguns agentes infecciosos. Assim sendo, tornam-se hospedeiros que podem transmitir os vírus aos seres humanos, como ocorreu no México, segundo supõem as autoridades sanitárias.
As Granjas Carroll – como ocorre em outras latitudes e com empresas de todos os tipos – mantêm uma fundação social na região, em que aplicam parcela ínfima de seus lucros. É o imposto da hipocrisia. Assim, esses capitalistas engambelam a opinião pública e neutralizam a oposição da comunidade. A ação social deve ser do Estado, custeada com os recursos tributários justos. O que tem ocorrido é o contrário disso: os estados subsidiam grandes empresas, e estas atribuem migalhas à mal chamada "ação social". Quando acusadas de violar as leis, as empresas se justificam – como ocorre, no Brasil, com a Daslu – argumentando que custeiam os estudos de uma dezena de crianças, distribuem uma centena de cestas básicas e mantêm uma quadra de vôlei nas vizinhanças.
O governo mexicano pressionou, e a Organização Mundial de Saúde concordou em mudar o nome da gripe suína para Gripe-A. Ao retirar o adjetivo que identificava sua etiologia, ocultou a informação a que os povos têm direito. A doença foi diagnosticada em um menino de La Glória, ao lado das águas infectadas pelas Granjas Carroll, empresa norte-americana criadora de porcos, e no exame se encontrou a cepa da gripe suína. O resto, pelo que se sabe até agora, é o conluio entre o governo conservador do México e as Granjas Carroll – com a cumplicidade da OMS.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Vira-lata faz cirurgia após engolir Homer Simpson de brinquedo


Do G1, em São Paulo


A dona da vira-lata Dixie decidiu levá-la ao veterinário depois que o animal passou mal. Um raio-X revelou que havia um brinquedo do personagem Homer Simpson, que vinha como brinde surpresa dentro de um ovinho de chocolate. Para extrair o Homer da barriga da cadela, divulgou o jornal “Telegraph”, foi necessária uma cirurgia. “Dixie deve ter visto o ovo em cima da mesa e comeu. Ela ama chocolate”, disse Victoria Keir, 42, que mora com seu animal de estimação em Aberdeen, na Inglaterra.

Gripe suína




Gripe suínaClassificações e recursos externos Virus influenza CID-10 GroupMajor.minor CID-9 xxx Gripe suína ou gripe porcina é uma doença infectocontagiosa ocasionada por uma variante do vírus influenza H1N1. Apesar do nome não é transmitida pelos porcos, por isso, discute-se a mudança do nome para não ocasionar erros.
Também denominada gripe mexicana,gripe norte-americana,influenza norte-americana ou nova gripe.
A transmissão ocorre apenas entre humanos (pessoa-pessoa). Até o momento não foi registrado nenhum caso de contaminação por contato com animais mas somente pelo contato entre humanos.
Esta afecção está sendo considerada epidêmica no México. A "saúde pública internacional" Diz ter muita chance de se tornar uma pandemia.
Forma de Contágio A gripe H1N1 2009 é uma doença causada por um vírus que pode atacar humanosA contaminação se dá da mesma forma que a gripe comum, por via aérea, contato direto com o infectado, ou indireto (através das mãos) com objetos contaminados. Não foram identificados animais (porcos) doentes no local da epidemia (México). Trata-se, possivelmente, de um vírus mutante, com material genético das gripes humana, aviária e suína.
Sintomas Sintomas assim como a gripe humana comum, a gripe H1N1 2009 (Mexicana) apresenta os sintomas: febre, cansaço, fadiga, dores pelo corpo, tosse e ainda sintomas característicos como diarreia ou vômitos.
Tratamento
De acordo com a OMS, os medicamentos antiviral oseltamivir e zanamivir, em testes iniciais mostraram-se efetivos contra o vírus H1N1.
Ter hábitos de higiene regulares, como lavar as mãos, é uma das formas de prevenir a transmissão da doença.
Polêmica
Os criadores de porcos querem mudar o nome da doença de gripe suína, para gripe mexicana,[1] devido ao surto da doença ter ocorrido no México. Eles reinvidicam que o nome deve ser mudado pois os criadores temem que haja impacto negativo nas vendas de carne de porco, embora já seja certo de que o consumo de carne suína não transmite a doença.
Para evitar que a suinocultura sofra prejuízos ao ser associada a esta doença, Androulla Vassiliou comissária de Saúde da União Européia, declarou que o seu nome poderia ser alterado para "Nova gripe."
Alguns defendem a idéia que a enfermidade deveria ser denominada "gripe norte-americana" [2] ou "influenza norte-americana."
Surto de 2009 Surto de gripe suína de 2009Até 29/04/2009:
No México eleva-se a pelo menos 159 o número de mortes suspeitas pela gripe suína, enquanto o número de falecimentos confirmados pela doença, situa-se em 8. Sessenta e cinco casos confirmados no Estados Unidos sendo que a primeira morte foi confirmada no dia 29/04/2009. Casos foram confirmados na Europa: Duas pessoas de nacionalidade espanhola com caso confirmado. A Espanha declarou cinquenta e nove casos suspeitos. O Reino Unido confirmou a existência de cinco pessoas infectadas. Foram registados casos suspeitos em França e Suiça. Em sua escala de risco de pandemia, a Organização Mundial da Saúde aumentou o nível de alerta em relação à gripe suína de 4 para 5. Na escala, criada em 2005, o nível máximo é 6. O surto é o que teve maior classificação desde a criação da escala.
Países lusófonos
Portugal, Timor Leste e países lusófonos africanosAté agora não foi regist(r)ado nenhum caso confirmado de Gripe Porcina em Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau ou em Timor Leste. Em Portugal existiram 3 casos suspeitos que não se confirmaram.
BrasilEspírito Santo No Espírito Santo, o primeiro caso suspeito de gripe suína foi registrado dia 28/04/2009, terça-feira. Um engenheiro de 32 anos, morador da Praia da Costa, em Vila Velha, que chegou dos Estados Unidos dia 24, sexta-feira, estava com os sintomas da doença, e agora é monitorado pela Secretaria de Saúde (Sesa).
Goiânia Uma mulher e uma criança (mãe e filha), chegaram ao Hospital Materno Infantil no dia 28 de Abril de 2009, terça-feira, com a suspeita da gripe suína. O marido da mulher viajara para os Estados Unidos anteriormente. Os funcionários receberam máscara bico-de-pato, e os pacientes que estavam no local receberam máscara cirúrgica. Filha e mãe foram encaminhados para o HDT (Hospital de Doenças Tropicais). A mulher disse que seu marido chegou dos Estados Unidos muito gripado, mas não foi ao hospital e ainda não se tem informações a respeito dele.
São Paulo Chegaram a ser suspeitados dois casos, um de uma mulher e o outro, de um rapaz, mas na mulher foi diagnosticado sinusite. O rapaz ainda está internado e o exame só sairá nesta quarta feira, dia 29. Na maioria dos aeroportos, passageiros que vieram de vôos que sairam do México estão recebendo máscaras. Há no HC da Unicamp, dois casos suspeitos da gripe.
Belo Horizonte Três pessoas foram internadas no dia 27. Todas estavam em Cancún, no México. E uma pessoa no dia 28 de abril.
Salvador Um caso suspeito, homem proveniente de Boston com todos os sintomas. Está internado no hospital Otávio Mangabeira fazendo exames e aguardando os resultados para a confirmação da infecção.
Rio de Janeiro Uma mulher que chegou dos Estados Unidos no sábado (25) está internada num ambiente isolado desde segunda-feira (27) no Hospital Copa D'Or, em Copacabana, na Zona Sul. A mulher, que tem 44 anos e está num quarto da unidade semi-intensiva, apresenta sintomas de gripe forte, com febre alta, dor de cabeça e dor de garganta. Em Volta Redonda, no interior do estado, uma médica que chegou de Cancun, encontra-se de quarentena por suspeita da doença, exames já realizados estão no aguardo dos resultados.
Fortaleza Duas crianças e uma mulher chegaram a Clínica Gênesis, onde foi diagnosticado a doença.
Itapema Três pessoas de uma mesma família estão com suspeitas de terem contraido a Gripe Suina,numa viagem para Curitiba (PR) e tiveram contato com um estudante do México. Os mesmos estão isolados desde de Terça-Feira(28), e um homem parente dos mesmos está em casa sobre monitoramento. E o exame das três pessoas para confirmar se estão ou não com a gripe,foram enviados para o Rio de Janeiro. Primeiro caso de gripe suína na Alemanha Ontem
Europa
Alemanha:As autoridades sanitárias alemãs anunciaram que surgiu um caso suspeito de contágio com o vírus da gripe suína em Hamburgo, cujos primeiros testes deram positivos.
Trata-se de uma jovem, que está internada em quarentena na clíncia universitária local, "com sintomas suspeitos", disse o porta-voz da Direcção Regional de Saúde, Rico Schmidt.
A paciente esteve no México e depois de aterrar em Dusseldorf regressou a Hamburgo, onde reside, adiantou ainda o mesmo responsável.
O diagnóstico definitivo aguarda ainda, no entanto, o resultado de testes bio-moleculares, considerados mais exactos do que os testes preliminares já efectuados.
A jovem está a ser medicada e o seu estado de saúde "é bom, dadas as circunstãncias", disseram ainda as autoridades sanitárias de Hamburgo.
Nos três casos suspeitos surgidos na segunda-feira, na Renânia, não se confirmou a presença do vírus H1N1 da gripe suína.
Hoje, porém, na Baviera (sul da Alemanha) foram detectadas mais três pessoas que estiveram recentemente no México, um casal e um homem, revelou o ministro da saúde bávaro, Markus Soeder.
O casal "está bem", mas o terceiro paciente "apresenta sintomas de gripe", faltando apurar se se trata da gripe suína, segundo o director do Instituto Robert Koch (RKI), Joerg Hacker.
O casal está sob vigilância médica, em casa, e o homem foi hospitalizado numa clínica de Munique, em regime de quarentena.
VacinaExiste uma vacina para os porcos, porém ainda não se descobriu uma que possa ser utilizada pelos humanos.
A vacina destinada à prevenção da "gripe convencional" oferece pouca ou nenhuma proteção contra o vírus H1N1.
O Japão anunciou que pretende desenvolver uma vacina eficaz.
Também os EUA estão já a investigar formas de tratamento, mas poderá levar alguns meses até se achar uma vacina apropriada para a doença.
Embora para o ano, em Portugal, com as vacinas de Prevenção contra a gripe (que é tomada por volta de Outubro) já terá doses da vacina contra esta doença.
Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir