sexta-feira, 1 de maio de 2009

Gripe suína




Gripe suínaClassificações e recursos externos Virus influenza CID-10 GroupMajor.minor CID-9 xxx Gripe suína ou gripe porcina é uma doença infectocontagiosa ocasionada por uma variante do vírus influenza H1N1. Apesar do nome não é transmitida pelos porcos, por isso, discute-se a mudança do nome para não ocasionar erros.
Também denominada gripe mexicana,gripe norte-americana,influenza norte-americana ou nova gripe.
A transmissão ocorre apenas entre humanos (pessoa-pessoa). Até o momento não foi registrado nenhum caso de contaminação por contato com animais mas somente pelo contato entre humanos.
Esta afecção está sendo considerada epidêmica no México. A "saúde pública internacional" Diz ter muita chance de se tornar uma pandemia.
Forma de Contágio A gripe H1N1 2009 é uma doença causada por um vírus que pode atacar humanosA contaminação se dá da mesma forma que a gripe comum, por via aérea, contato direto com o infectado, ou indireto (através das mãos) com objetos contaminados. Não foram identificados animais (porcos) doentes no local da epidemia (México). Trata-se, possivelmente, de um vírus mutante, com material genético das gripes humana, aviária e suína.
Sintomas Sintomas assim como a gripe humana comum, a gripe H1N1 2009 (Mexicana) apresenta os sintomas: febre, cansaço, fadiga, dores pelo corpo, tosse e ainda sintomas característicos como diarreia ou vômitos.
Tratamento
De acordo com a OMS, os medicamentos antiviral oseltamivir e zanamivir, em testes iniciais mostraram-se efetivos contra o vírus H1N1.
Ter hábitos de higiene regulares, como lavar as mãos, é uma das formas de prevenir a transmissão da doença.
Polêmica
Os criadores de porcos querem mudar o nome da doença de gripe suína, para gripe mexicana,[1] devido ao surto da doença ter ocorrido no México. Eles reinvidicam que o nome deve ser mudado pois os criadores temem que haja impacto negativo nas vendas de carne de porco, embora já seja certo de que o consumo de carne suína não transmite a doença.
Para evitar que a suinocultura sofra prejuízos ao ser associada a esta doença, Androulla Vassiliou comissária de Saúde da União Européia, declarou que o seu nome poderia ser alterado para "Nova gripe."
Alguns defendem a idéia que a enfermidade deveria ser denominada "gripe norte-americana" [2] ou "influenza norte-americana."
Surto de 2009 Surto de gripe suína de 2009Até 29/04/2009:
No México eleva-se a pelo menos 159 o número de mortes suspeitas pela gripe suína, enquanto o número de falecimentos confirmados pela doença, situa-se em 8. Sessenta e cinco casos confirmados no Estados Unidos sendo que a primeira morte foi confirmada no dia 29/04/2009. Casos foram confirmados na Europa: Duas pessoas de nacionalidade espanhola com caso confirmado. A Espanha declarou cinquenta e nove casos suspeitos. O Reino Unido confirmou a existência de cinco pessoas infectadas. Foram registados casos suspeitos em França e Suiça. Em sua escala de risco de pandemia, a Organização Mundial da Saúde aumentou o nível de alerta em relação à gripe suína de 4 para 5. Na escala, criada em 2005, o nível máximo é 6. O surto é o que teve maior classificação desde a criação da escala.
Países lusófonos
Portugal, Timor Leste e países lusófonos africanosAté agora não foi regist(r)ado nenhum caso confirmado de Gripe Porcina em Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau ou em Timor Leste. Em Portugal existiram 3 casos suspeitos que não se confirmaram.
BrasilEspírito Santo No Espírito Santo, o primeiro caso suspeito de gripe suína foi registrado dia 28/04/2009, terça-feira. Um engenheiro de 32 anos, morador da Praia da Costa, em Vila Velha, que chegou dos Estados Unidos dia 24, sexta-feira, estava com os sintomas da doença, e agora é monitorado pela Secretaria de Saúde (Sesa).
Goiânia Uma mulher e uma criança (mãe e filha), chegaram ao Hospital Materno Infantil no dia 28 de Abril de 2009, terça-feira, com a suspeita da gripe suína. O marido da mulher viajara para os Estados Unidos anteriormente. Os funcionários receberam máscara bico-de-pato, e os pacientes que estavam no local receberam máscara cirúrgica. Filha e mãe foram encaminhados para o HDT (Hospital de Doenças Tropicais). A mulher disse que seu marido chegou dos Estados Unidos muito gripado, mas não foi ao hospital e ainda não se tem informações a respeito dele.
São Paulo Chegaram a ser suspeitados dois casos, um de uma mulher e o outro, de um rapaz, mas na mulher foi diagnosticado sinusite. O rapaz ainda está internado e o exame só sairá nesta quarta feira, dia 29. Na maioria dos aeroportos, passageiros que vieram de vôos que sairam do México estão recebendo máscaras. Há no HC da Unicamp, dois casos suspeitos da gripe.
Belo Horizonte Três pessoas foram internadas no dia 27. Todas estavam em Cancún, no México. E uma pessoa no dia 28 de abril.
Salvador Um caso suspeito, homem proveniente de Boston com todos os sintomas. Está internado no hospital Otávio Mangabeira fazendo exames e aguardando os resultados para a confirmação da infecção.
Rio de Janeiro Uma mulher que chegou dos Estados Unidos no sábado (25) está internada num ambiente isolado desde segunda-feira (27) no Hospital Copa D'Or, em Copacabana, na Zona Sul. A mulher, que tem 44 anos e está num quarto da unidade semi-intensiva, apresenta sintomas de gripe forte, com febre alta, dor de cabeça e dor de garganta. Em Volta Redonda, no interior do estado, uma médica que chegou de Cancun, encontra-se de quarentena por suspeita da doença, exames já realizados estão no aguardo dos resultados.
Fortaleza Duas crianças e uma mulher chegaram a Clínica Gênesis, onde foi diagnosticado a doença.
Itapema Três pessoas de uma mesma família estão com suspeitas de terem contraido a Gripe Suina,numa viagem para Curitiba (PR) e tiveram contato com um estudante do México. Os mesmos estão isolados desde de Terça-Feira(28), e um homem parente dos mesmos está em casa sobre monitoramento. E o exame das três pessoas para confirmar se estão ou não com a gripe,foram enviados para o Rio de Janeiro. Primeiro caso de gripe suína na Alemanha Ontem
Europa
Alemanha:As autoridades sanitárias alemãs anunciaram que surgiu um caso suspeito de contágio com o vírus da gripe suína em Hamburgo, cujos primeiros testes deram positivos.
Trata-se de uma jovem, que está internada em quarentena na clíncia universitária local, "com sintomas suspeitos", disse o porta-voz da Direcção Regional de Saúde, Rico Schmidt.
A paciente esteve no México e depois de aterrar em Dusseldorf regressou a Hamburgo, onde reside, adiantou ainda o mesmo responsável.
O diagnóstico definitivo aguarda ainda, no entanto, o resultado de testes bio-moleculares, considerados mais exactos do que os testes preliminares já efectuados.
A jovem está a ser medicada e o seu estado de saúde "é bom, dadas as circunstãncias", disseram ainda as autoridades sanitárias de Hamburgo.
Nos três casos suspeitos surgidos na segunda-feira, na Renânia, não se confirmou a presença do vírus H1N1 da gripe suína.
Hoje, porém, na Baviera (sul da Alemanha) foram detectadas mais três pessoas que estiveram recentemente no México, um casal e um homem, revelou o ministro da saúde bávaro, Markus Soeder.
O casal "está bem", mas o terceiro paciente "apresenta sintomas de gripe", faltando apurar se se trata da gripe suína, segundo o director do Instituto Robert Koch (RKI), Joerg Hacker.
O casal está sob vigilância médica, em casa, e o homem foi hospitalizado numa clínica de Munique, em regime de quarentena.
VacinaExiste uma vacina para os porcos, porém ainda não se descobriu uma que possa ser utilizada pelos humanos.
A vacina destinada à prevenção da "gripe convencional" oferece pouca ou nenhuma proteção contra o vírus H1N1.
O Japão anunciou que pretende desenvolver uma vacina eficaz.
Também os EUA estão já a investigar formas de tratamento, mas poderá levar alguns meses até se achar uma vacina apropriada para a doença.
Embora para o ano, em Portugal, com as vacinas de Prevenção contra a gripe (que é tomada por volta de Outubro) já terá doses da vacina contra esta doença.

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir