terça-feira, 18 de maio de 2010

Após derramamento de óleo, 189 animais mortos foram encontrados nos EUA

Não se sabe quantos deles morreram como consequência do acidente no Golfo do México


Autoridades americanas disseram hoje que desde o começo do derramamento de petróleo no Golfo do México encontraram 189 animais mortos, mas ainda não se sabe quantos deles morreram como consequência do acidente.
Dados oficiais indicam que a cada dia são derramados aproximadamente 800 mil litros de petróleo ao mar - Larry W. Smith / EFE

Dados oficiais indicam que a cada dia são derramados aproximadamente 800 mil litros de petróleo ao mar
Foto:Larry W. Smith / EFE


O número inclui 154 tartarugas marinhas, a maioria da espécie Kemp, que corre risco de extinção, assim como 12 delfins e 23 aves migratórias, de acordo com explicações de funcionários da Agência Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) e da Agência de Pesca e Vida Selvagem, em conferência telefônica.

A funcionária da NOAA Barbara Schröder explicou que as necropsias não detectaram restos de petróleo nas tartarugas marinhas. Mesmo assim, as mortes poderiam estar relacionadas com a ingestão dos produtos químicos dispersados para fracionar o óleo em pequenas partículas.

O diretor do Centro para o Cuidado da Fauna e Flora Contaminados por Vazamentos da Universidade da Califórnia, Michael Ziccardi, disse que esses produtos, em curto prazo, ajudam a adiar a chegada do petróleo à costa, mas afirmou que seu impacto em longo prazo é uma "grande dúvida".

Cientistas americanos anunciaram neste fim de semana o descobrimento de grandes colunas submarinas de petróleo, um fenômeno que poderia ser explicado pelo uso dos produtos químicos.

Por sua vez, o diretor interino da Agência de Pesca e Vida Selvagem, Rowan Gould, afirmou hoje que as consequências do derramamento poderão durar décadas.

A região do Golfo é habitat de animais ameaçados como as espécies de tartarugas marinhas Kemps Ridley, Hawksbill, Loggerhead e Leatherback, além do atum vermelho, cuja população caiu em mais de 80% devido à pesca desordenada.

O derramamento, que começou no dia 20 de abril após a explosão de uma plataforma petrolífera, também ameaça várias aves marinhas, como os pelicanos marrons, e os 2 mil quilômetros quadrados de mangues da Louisiana, do Texas, e do sul da Flórida, fundamentais para o equilíbrio do ecossistema local.

Os dados oficiais indicam que a cada dia são derramados aproximadamente 800 mil litros de petróleo ao mar, apesar de cientistas independentes estimarem que o número possa ser até dez vezes maior.

Zero Hora

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir