domingo, 2 de agosto de 2009

Doença periodontal: riscos, prevenção e tratamento

Foto: do site Gazeta de Ribeirão

Foto: Reprodução Gazeta de Ribeirão

Primeiramente, vamos esclarecer o que é periodonto. O periodonto caracteriza-se por todas as estruturas que se encontram ao redor do dente: gengiva, ligamento periodontal (que dá sustentação ao dente), osso alveolar (local onde o dente se situa na mandíbula e maxila) e cemento (camada mais externa da raiz dentária). Sua principal função é dar sustentação aos dentes. Portanto, falamos em doença periodontal quando esses elementos estão doentes.

A doença inicia-se com a formação da placa bacteriana, um biofilme formado basicamente por resíduos alimentares e bactérias que produzem substâncias que irritam a gengiva, causando a gengivite. No decorrer deste processo, vai havendo a mineralização da placa bacteriana por minerais existentes na própria saliva, formando o cálculo dental, conhecido como tártaro. Com o tempo, a doença acentua-se e resulta na destruição gradativa dos tecidos e estruturas que dão sustentação aos dentes, causando retração gengival, rompimento do ligamento periodontal, destruição do osso alveolar e cemento. Temos, então, o ganho de mobilidade desses dentes, posterior perda dos mesmos, dor durante a alimentação, ingestão diminuída de alimento, emagrecimento, debilitação, hemorragias, salivação excessiva, halitose (mau cheiro na boca); sem falar que esta infecção pode atingir o restante do organismo, causando infecções principalmente no coração, fígado e rins.

Ocorrência

A doença periodontal pode acometer tanto cães quanto gatos, de ambos os sexos e todas as idades, porém aumentando sua incidência com a idade, devido ao maior acúmulo de placa bacteriana e tártaro. A idade de maior acometimento é por volta dos sete anos.

Com relação a raças caninas a maior incidência é encontrada nas raças pequenas provavelmente devido a pequena cavidade oral e proximidade dos dentes (difícil remoção da placa), além da ação dos tutores que oferecem alimento inadequado contendo açúcares e de baixa densidade (mais moles).

Prevenção

A forma mais simples de se evitar a Doença Periodontal é fazendo a escovação diária dos dentes dos animais com produtos específicos e adequados. Com a escovação temos a retirada do alimento e da placa bacteriana que dão início ao processo, podendo até reverter pequenas gengivites. Podemos também utilizar alimentos adequados para animais, como rações, com menor quantidade de carboidratos e maior densidade (mais duros) o que irá fazer a retirada mecânica parcial da placa bacteriana. Existem algumas rações no mercado com o hexametafosfato de sódio, substância que quela (”neutraliza”) o cálcio, o principal mineral responsável pela formação do cálculo dental (tártaro). Brinquedos de borracha rígida, biscoitos, palitos de couro comestíveis fazem a retirada parcial da placa bacteriana e, portanto, também podem ajudar.

Mas nos casos em que já houve a formação do cálculo dental (tártaro), nada disso é suficiente. Neste caso a única solução é fazer o Tratamento Periodontal.

Tratamento

O tratamento periodontal consiste na retirada de todo o tártaro através de cureta ultra-sônica, remoção de placa bacteriana através de jato de bicarbonato (que também tem efeito anti-séptico e branqueador) e polimento dos dentes com micromotor e pasta de pedra-pomes. Este polimento é o mais importante, pois, não sendo realizado, a superfície dental permanece irregular, permitindo novo acúmulo de placa bacteriana, mais rápido e acentuado.

Também faz parte do Tratamento Periodontal o completo exame clínico da cavidade oral durante o procedimento, radiografias intra-orais, extrações dentárias e se necessário com odonto-secção (separação das raízes dentárias), cirurgias periodontais (reparo de fístulas oro-nasais, correção de retrações gengivais, retirada de tumores), entre outros procedimentos que só devem ser realizados por profissional habilitado em Odontologia Veterinária, com equipamentos adequados, pois se mal executados gerarão mais importunos do que benefícios.

Animais com a boca saudável tendem a viver muitos anos, devido à melhor alimentação e menor incidência de infecção oral e nos demais órgãos do organismo.

Fonte: Gazeta de Ribeirão

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir