segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Veterinário é acusado de eutanasiar cães sadios, em Portugal

Cães foram covardemente eutanasiados (Foto: s/c)

Uma advogada e sócia de várias associações de proteção dos animais acusou hoje o veterinário municipal de Évora, em Portugal, de ter promovido um “sacrifício ilegal” de sete cães, considerando que se trata de “uma atitude abusiva e até poderá ter contornos de ordem criminal”.

“O veterinário municipal dirigiu-se ao canil e eutanasiou sete cães. A questão é que cinco destes sete cães já tinham sido cedidos pelo canil para adoção”, afirmou Alexandra Moreira, que é sócia de várias associações da região.

O caso, ocorrido recentemete, foi denunciado num e-mail enviado por duas veterinárias municipais à Câmara de Évora e que acabou por ser também divulgado em várias redes sociais na internet.

Alexandra Moreira considerou este abate de animais “uma atitude abusiva e que até poderá ter contornos de ordem criminal, relacionados com crime de danos”, uma vez que cinco dos sete animais “já estavam inseridos num processo de adoção, faltando apenas entregar os cães aos novos tutores”.

Segundo a representante da proteção dos animais, o veterinário municipal justificou que a matança ocorreu porque “os animais já estavam no canil há meses e que não podiam lá ficar por tempo indeterminado”.

Recusando aceitar essa justificativa, Alexandra Moreira explicou que os animais já ‘pertenciam’ a outras pessoas e que, portanto, nem sequer eram de responsabilidade do canil.

“Para além da questão da legitimidade para destruir algo que já não pertencia ao canil, também não se percebe a legitimidade do senhor para estar preocupado com as questões dos custo para a câmara quando os animais não constituíam um custo”, afirmou.

De acordo com a representante da proteção dos animais, o e-mail que denunciou o caso expõe ainda “outras ilegalidade no canil”, como é o caso da “falta de um plano de profilaxia, obrigatório por lei, e o fato de os animais não serem vacinados nem tratados, à exceção de quando são entregues para adopção”.

Fonte: Sol

domingo, 14 de novembro de 2010

Expulsos pelo desmatamento e pelos predadores, pássaros migram para a zona urbana de Ribeirão Preto (SP)

Foto:F.L.Piton/ A Cidade

O polícia-inglesa-do-sul acaba de chegar. Originário do extremo Sul, foi visto no entorno do aeroporto Leite Lopes, esta semana. O polícia-inglesa-do-sul é mais um passarinho que até bem pouco tempo só podia ser visto ou ouvido na zona rural. Agora, ele faz parte do bando que vem povoando árvores e fazendo ninhos na zona urbana de Ribeirão Preto.

Essa fauna alada é muito variada. A cada dia ganha novos exemplares. São pombas asa-branca e margosinhas, periquitos e maritacas (vistos em bandos no cruzamento da 9 de Julho com a Presidente Vargas, na zona Sul), carcarás, tucanos, bem-te-vis, sabiás-poca, sabiás-do-campo, sanhaços, cambacicas, anus-brancos, anus- pretos e beija-flores rabo-de-tesoura ou besourinho-do-rabo vermelho.

Foto:F.L.Piton/ A Cidade

São aves que conseguem sobreviver em ambientes não florestais, diz a bióloga Ana Carla Aquino, técnica do Laboratório de Zoologia de Vertebrados do Departamento de Biologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP-RP.
Segundo ela, as cidades são classificadas como ambientes não florestais, com algumas árvores dispostas de forma esparsa. Mas, ao mesmo tempo, oferecem grandes vantagens: têm muitas opções de alimento (restos de comida, entre eles) e são seguras quanto à presença de predadores, a maioria deles restrita a ambientes florestais.

Fonte: Jornal A Cidade

Protetora é espancada por defender cão que estava sendo agredido

Nádia Sabchuk
nadia.snk@gmail.com

Por volta de 12:30 deste domingo (14), eu e minha mãe vimos uma cena chocante, e inaceitável para qualquer pessoa que dá valor à vida alheia.

Moro em Curitiba (PR), no bairro Umbará, no Sul da cidade. Nosso vizinho estava chutando e apedrejando um cãozinho poodle que estava na rua. A filha do rapaz, uma menina de cerca de 7 ou 8 anos no máximo, estava dando pauladas do cachorrinho. O cachorro tinha tutor, era do outro vizinho, mas o bichinho acabou escapando do portão e estava na rua.

O sangue ferveu na hora, não admito maus-tratos a qualquer animal na minha frente. Gritei da minha janela para ele e a menina irem dar pauladas na mãe. Ele perguntou um tom sarcástico “ah, tá com pena do cachorro?” E pegou o cachorrinho pelo cangote e jogou por cima do meu portão, que tem mais ou menos 1,80m de altura. Eu tenho mais 6 cadelas adotadas em casa, e fiquei morrendo de medo que elas atacassem o poodle, pois sei que são ciumentas.

Eu saí na rua, e começou o bate-boca. Perguntei se eu podia, quando visse os filhos deles ali na rua incomodando meus cachorros, pegar as crianças pelos cabelos e jogar pra dentro do portão também. Falei que ele não podia chutar um cachorro só porque o bichinho está na rua. No meio do bate-boca, a mulher do rapaz que agrediu o cachorrinho veio pra cima de mim, me batendo. O rapaz, e mais gente veio pra cima de mim também, sendo que ele me segurou para os outros poderem me bater.

Uma covardia sem tamanho. Pararam de me bater porque minha mãe gritou por polícia e alguém achou que eu era de menor. Eu tenho 21 anos, mas eles não sabiam disso. Chamamos a polícia e fizemos todo o necessário para resolver essa situação por caminhos legais. Mas peço a ajuda de todos os protetores de animais, pessoas de bem e defensores de mulheres que me ajudem a divulgar essa história, para cobrarmos com todas as forças uma providência correta das autoridades. Já chega de crimes como esse passarem impunes.

Hoje, só ganhei uns arranhões e uns hematomas ao proteger um bichinho da violência demente de um sujeito desse। Será preciso protetores e animais morrerem para que a Lei de Proteção aos Animais seja aplicada efetivamente na sociedade?

Fonte: ANDA

Seca castiga e mata animais em Mato Grosso

Região afetada por estiagem abrange faixa de 250 km na fronteira com a Bolívia

A região do Estado de Mato Grosso que faz fronteira com a Bolívia enfrenta situação de grave seca. A estiagem atinge faixa de 250 km, área equivalente a 800 mil campos de futebol.

Localidades são abastecidas por caminhões-pipa. Muitos animais não suportam o tempo seco e morrem. Os bichos que sobrevivem buscam abrigo às margens de rios.

Veja o vídeo.

Fonte: R7

Gato ganha próteses após perder as patas traseiras em acidente


Oscar, 2 anos, já gastou uma das sete vidas que todo gato tem. Depois de ter perdido as duas patinhas traseiras em um acidente, voltou a caminhar, pular e correr como antes. O gatinho recebeu duas próteses biônicas feitas sob medida pelo cirurgião veterinário Noel Fitzpatrick. Passou por longo tempo de fisioterapia para reaprender a andar. O acidente ocorreu na Grã Bretanha, há alguns meses, quando foi surpreendido por uma colheitadeira enquanto tomava sol no campo.

A crença de que gato tem sete vidas deve ter surgido pelas próprias características desse felino que é ágil, resistente e dono de grande equilíbrio. Quando cai, em geral, consegue se equilibar sobre as quatro patas e dificilmente se machuca, graças ao seu corpo flexível. Também tem excelentes visão e audição, que o ajudam a escapar de outros predadores.


Mas há quem diga que essa lenda surgiu da Idade Média, quando os gatos eram queimados junto com as bruxas e os magos. Como muitas pessoas ficavam com dó, escondiam os animais que eram criados secretamente. Assim, sua população nunca acabava, o que reforçou a ideia de ele tem sete vidas, já que mesmo caçado, continuava aparecendo.

Fonte: Blog do Diarinho

Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir