sexta-feira, 25 de junho de 2010

Bombeiros resgatam gata presa entre dois prédios depois de quatro horas de trabalho em Porto Alegre

Quatro bombeiros munidos de serra elétrica, marretas e furadeiras tiveram que quebrar a parede de um prédio para resgatar a gata Maria Tiburcinha. Ela passou mais de 30 horas presa entre dois edifícios, no Bairro Vila Ipiranga, Zona Norte da Capital.
Depois de mais de 30 horas presa entre dois prédios, Maria Tiburcinha foi resgatada - Ronaldo Bernardi

Depois de mais de 30 horas presa entre dois prédios, Maria Tiburcinha foi resgatada
Foto:Ronaldo Bernardi


O animal subiu em um dos prédios e caiu de uma altura de cinco metros em um vão estreito, com cerca de sete centímetros de largura. Ela não conseguiu sair e permaneceu imóvel. Devido à dificuldade de acesso ao local, foi impossível dar água e comida para o animal, para o desespero de sua dona, Marilde Bilhan:

— Joguei ração e guisado para ela comer, mas não conseguimos alcançar, estava longe. Ela costuma se alimentar várias vezes por dia. Estava assustada e miava muito, sem parar — relatou Marilde, que é dona-de-casa e se dedica a ajudar animais sem dono.

A gata caiu no vão por volta das 14 horas de quarta-feira, quando chegava em uma petshop para ser castrada. Quando a caixa usada para transportar animais foi retirada do carro, ela escapou e subiu em um dos edifícios, de onde caiu no espaço entre os dois prédios. Como o vão se afunilava, o animal ficou preso e não conseguiu sair.

Para quebrar a parede de um dos edifícios e retirar o animal, os bombeiros demoraram quatro horas.

— Era uma parede de tijolo maciço, tinha uns 25 centímetros de espessura, foi bastante difícil — disse o sargento Sandro Vieira.



मरिल्दे, que não pode acompanhar o animal até a petshop e pediu ajuda de amigas, acredita que a gata tenha se assustado por estar longe da dona. Ao ser informada do acontecido, ela foi até o local, onde permaneceu das 20h até a 1h30min tentando encontrar alternativas para retirar Maria Tiburcinha. Como os bombeiros não puderam atender à ocorrência, ela retornou ao local na manhã desta quinta-feira, e seguiu procurando ajuda.

O sofrimento de Marilde e sua gata terminou apenas às 21h desta quinta-feira, quando os bombeiros conseguiram quebrar parte da parede de um dos prédios para resgatar o animal.

— Eu estou mais feliz do que uma pessoa que ganhou R$ 5 milhões, porque ganhei muito mais que isso. Ganhei a minha gata de volta e ela não tem nenhum arranhão. O trabalho dos bombeiros foi emocionante — comemorou Marilde.

O sargento Vieira, que trabalha no corpo de bombeiros há 20 anos, diz que é comum atender esse tipo de ocorrência, e que não poupa esforços para realizar o salvamento:

— Para muitas pessoas, animais domésticos são como filhos. A dona dela está aqui desde ontem, preocupada. Tratamos esse tipo de resgate quase como se fosse o salvamento de uma criança.

Zero Hora

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir