sexta-feira, 27 de abril de 2012

Ativista vegano é perseguido judicialmente por defender tubarões


Por Lobo Pasolini

                    Imagem: Reprodução
Um ativista vegano está sendo processado por ‘danos morais’ por defender animais. Paulo Guilherme, conhecido como Pinguim, está respondendo judicialmente por atos e opiniões em prol da vida dos animais marinhos. Pinguim é integrante do Onda Azul e do Divers for Sharks, mergulhou a fundo na problemática ambiental da vida marinha de Recife e, sempre de maneira democrática, colocou o assunto à tona nas redes de discussão desse tema, dentre os quais sobre a conduta de um professor graduado em engenharia da pesca.
Por expor publicamente a sua opinião sobre a situação real da captura dos tubarões por barcos de pesca e pelo recebimento de suas carcaças por universidade local, o ativista está sendo processado por esse professor, que pede danos morais.
Eu conversei com o time que está ajudando Pinguim a se defender desse ataque absurdo de um acadêmico para ter dados mais atualizados sobre o caso.
O que aconteceu exatamente?
O Pinguim está sendo processado por levantar, através de listas de discussões próprias de assuntos ambientais, bem como em sites, a situação alarmante em que se encontram, hoje, os animais marinhos de Recife, dando ênfase na questão dos tubarões, que vêm sendo vítimas de,segundo o ativista, de políticas equivocadas por parte dos organismos públicos e de condutas ilegais por parte de barcos pesqueiros e desinformações a respeito da melhor maneira de preservá-los sem agredi-los.
Pinguim, publicamente, criticou as posturas adotadas por um professor da UFRPE, graduado em engenharia da PESCA e, dentre outras funções, Diretor do Departamento de Pesca e Aquicultura da UFRPE e também presidente do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões.
Em suma, o ativista não concorda com a utilização dos tubarões capturados para servirem de cobaia no laboratório utilizado pelo autor da ação e de barcos de pesca (como exemplo, o Sinuelo) utilizados pela UFRPE para realização de pesquisas em arquipélagos, áreas de proteção ambiental, assim como a utilização de espinheis para servirem como escudo nas prais de Recife. Uma vez que os tubarões furam este bloqueio, podem ser capturados pela linha de espera. Nesse processo, outros animais acabam também sendo assassinados.
Por ser vegano, Pinguim acredita no indivíduo e condena o assassinato de seres senscientes.
Por criticar alguém que se considera intocável, por pertencer ao mundo acadêmico, Pinguim está respondendo na Justiça de Pernambuco, por meio de uma ação indenizatória.
Em que pé se encontra o processo ?
A ação judicial está sob os cuidados dos Advogados especializados em Direito Animal e Ambiental, Bianca Kölling Turano e Leandro Mello Frota. A Dra. Bianca Turano, inclusive, já respondeu a duas ações judiciais, há uns dois ou três anos, por questões bem parecidas: denunciou um caso de maus tratos contra uma cadela e teve de responder na Justiça, por meio de uma ação indenizatória. Felizmente, saiu vitoriosa em todas as ações.
Como os ativistas podem ajudar?
Os ativistas podem ajudar assinando o abaixo-assinado referente ao meu processo, pois este será colocado nos autos da ação. Através da divulgação e de uma comoção nacional, o assunto poderá ganhar maior visibilidade e, desde que pautado na questão dos direitos animais, a sociedade poderá sair lucrando ao saber de nossa existência e daquilo que preconizamos, ou seja, animais como sendo indivíduos possuidores de direitos morais básicos e estes devem ser respeitados. Assim como nós, ativistas, temos o dever de salvaguardar estes direitos e de expor publicamente as nossas opiniões, sem que fiquemos com medo de levar um processo nas costas, como foi o caso da Bianca e, hoje, está sendo o meu. A época da ditadura acabou.
Fonte: ANDA

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir