sábado, 20 de fevereiro de 2010

Sol é vida. Mas, calor intenso pode matar



Altas temperaturas ambientais podem prejudicar muito e até matar cães e gatos। Você está cuidando corretamente de seus amigos de quatro patas neste verão escaldante?


Por Regina Macedo (*)

Muitas pessoas, mesmo amando seus cães e gatos, parecem não saber que seus amigos peludos precisam de cuidados diferenciados em dias com altíssimas temperaturas. Podemos observar humanos, acalorados, usando regata ou top, short, chinelos, boné, passeando com seus cães em horários de pico do sol, entre 11 horas e 15 horas, parecendo não perceber que o asfalto e mesmo as calçadas estão fervendo (em certos dias, a cobertura asfáltica chega a amolecer sob o sol).
O corpo dos peludos pequeninos permanece a poucos centímetros do solo escaldante. E, sendo cães de porte grande ou pequeno, as almofadas das patas (coxins) podem sofrer queimaduras graves. E muita gente ainda corre junto
com seu animal –
alguns amarram o cachorro à bicicleta “exercitando-se” sob o sol do meio-dia (!!!).
Até protetores de animais, com toda sua boa vontade e coração enorme, muitas vezes não observam que alguns locais e horários são completamente inadequados para a montagem de feirinhas de doação. Muitos animais são colocados em cercados e a única “proteção” é uma tenda de nylon – a Associação Brasileira de Dermatologia condena o uso desse tipo de barraca como proteção em dias ensolarados, pois o nylon branco deixa passar 95 por cento das radiações ultravioleta. Em alguns eventos promovidos para beneficiar animais salvos do abandono e disponíveis para adoção, os cercados e as gaiolas contendo filhotes e adultos ficam diretamente no chão de cimento.

O mesmo acontece em pontos de venda de filhotes. Além de cercadinhos e caixas de transporte, os vendedores utilizam-se até dos porta-malas de veículos para oferecer cães e gatos.
Em se tratando da cidade de São Paulo, existe a
Lei 14.483/07, de autoria do vereador Roberto Tripoli(PV) e que regula o comércio e as feiras de doação de cães e gatos. Esta lei determina regras e posturas para canis e gatis comerciais e para o comércio de filhotes em petshops. Também trata das feiras de doação e proíbe o comércio de animais em áreas públicas.
Portanto,
no município de São Paulo, se filhotes são mantidos em situação inadequada de alojamento ou manejo em canis, gatis ou pet shops, é importante denunciar ao CCZ e exigir o cumprimento da legislação, ou seja, a adequação do criador ou do ponto de venda às determinações legais. Já a venda de animais em praças, ruas, avenidas, em gaiolas ou em porta-malas de veículos, trata-se de comércio absolutamente clandestino, proibido pela lei
14.483/07.
No caso desse comércio ilegal em áreas públicas, cabe às Subprefeituras agirem para coibir e denúncias também são fundamentais.
Observe-se ainda que a manutenção e exposição de animais em condições inadequadas de alojamento e manejo podem caracterizar a prática de maus-tratos, incidindo na Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal 9.605/98) e, no caso de cães e gatos, práticas que impliquem em maus-tratos ferem ainda a lei municipal 13.131/01, também de autoria do vereadorTripoli e que trata da propriedade responsável desses pets.
Informe-se, conheça a legislação, pois o arcabouço legal é fundamental na tarefa (árdua) de defender a vida animal.
Os animais não podem falar a nossa linguagem, portanto temos o dever de usar nosso discernimento, observar as reações dos bichos e, principalmente, conhecer as características físicas e biológicas, as necessidades vitais e mentais de cães e gatos, que por mais humanizados que estejam, são animais de espécies diversas da nossa. Depois de milhares de anos de convivência, ainda esbarramos em muito “achismo”, tantas vezes provocando sofrimento, males físicos e psicológicos e até levando cães e gatos a óbito.


CONHECENDO PARA CUIDAR MELHOR


Selecionei algumas informações relevantes sobre as altas temperaturas e possíveis prejuízos físicos para cães e gatos, sem me ater a outros pontos e cuidados relativos a problemas típicos do verão, como a maior incidência de ectoparasitas e picadas de insetos। Observo que os trechos de sites e da literatura estão em itálico e alguns comentários meus permanecem em fonte normal.


O médico veterinário, Marcelo Quinzani, em entrevista à Scientific American, publicada pelo UOL, explica:

Os cães não transpiram como nós. A respiração é a única forma de controlar o processo de refrigeração e manutenção da temperatura corpórea ideal. Por isso, quando submetidos a calor intenso ou situações de estresse, os cães podem não ter condições de perder calor e entram num processo conhecido como hipertermia. O primeiro sinal que o animal precisa de resfriamento é quando se mostra muito ofegante.
No quadro de hipertermia, a temperatura corporal pode atingir até 42ºC, provocando vômitos, coagulação intravascular disseminada, edemas pulmonares,paradas cardíaca e até mesmo chegar ao estado de coma” (…)
Os cães braquicéfalos ─ que têm o focinho curto, como os Bulldogs, Pugs, Boxers,Shitsus, Lhasas Apso, Boston entre outros, sofrem mais com as altas temperaturas devido à anatômica dificuldade de respirar e perder calor. Porisso não devemos nunca submeter os cães a situações de intenso calor ambiental como banho e tosa, passear em horários muito quentes, ficar dentro de carros parados ou em viagem longas, e outras situações de estresse. (…) Nessa época do ano os animais devem ficar em ambiente agradável e sombreado, com água fresca disponível.”
“O câncer de pele é outra preocupação। Cães e gatos que têm a pele muito clara – ou rosada – quando submetidos à exposição ao sol também podem desenvolver sarcoma, que geralmente ocorre nas áreas sem pêlo. As maiores vítimas são os animais albinos, gatos brancos, boxers brancos ou animais que,não totalmente brancos, tenham a ponta de nariz, orelhas, o entorno dos olhos e abdômen despigmentados” (...) “Esses animais não devem tomar banhos de sol, mas se a exposição for inevitável deve-se usar filtro solar nessas áreas”.


* ReginaMacedo é jornalista ambiental, São Paulo / SP E-mail:reginamacedo@terra.com.br

2 comentários:

Leca disse...

Obrigada pelas dicas...
adoro esse blog...sabe confesso que fiz um trato com o meu cachorro...o Pipoca...quando estou em casa...bebo água toda vez que ele bebe...porque eu esqueço de beber...acredita?
...animais são sábios...é uma pena que a maioria das pessoas destratem essas criaturas tão lindas...
beijinhos

LR disse...

Agradeço o carinho!

Infelizmente, tem esses indivíduos que fazem essas maldades, mas precisamos lutar contra esses absurdos.

;)

Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir