sábado, 15 de outubro de 2011

Piranhas se comunicam

Equipe identificou três tipos de sons emitidos por piranhas (Foto: BBC)

Em artigo publicado na revista científica Journal of Experimental Biology, a equipe disse ter identificado três tipos de sons, cada um contendo uma “mensagem” específica.

O líder da pesquisa, Eric Parmentier, estudou sons e métodos de comunicação usados por várias espécies de peixes e acredita que esse tipo de conhecimento pode ajudar o homem a conviver melhor com a vida marinha.

Ele explicou, por exemplo, que muitas espécies usam sons para atrair um parceiro ou parceira. Nesse caso, o som se torna um importante indicador de que aquela espécie está se reproduzindo.

Parmentier já sabia que as piranhas emitem sons, mas queria entender por quê.

Experimento

Três tipos de sons foram gravados: o primeiro, semelhante a um latido, era usado quando os peixes mediam forças, confrontando uns aos outros, face a face, sem agressões físicas.

O segundo tipo, uma batida percussiva, era usado quando os peixes perseguiam uns aos outros. Um terceiro som, um grasnado mais suave, também percussivo, era usado quando as piranhas mordiam umas às outras.

As agressões físicas aconteciam, em geral, quando os peixes brigavam por comida.

Durante a maior parte do tempo, no entanto, os peixes nadaram pacificamente, sem emitir sons e sem conflitos. Somente após horas de pacientes observações os pesquisadores conseguiram capturar os comportamentos.

“Para os animais, é menos custoso (em termos de energia) fazer um monte de barulho e impressionar os outros do que lutar”, explicou Parmentier.

Vibrações

As piranhas, como muitos outros peixes “barulhentos”, produzem sons ao vibrar suas bexigas natatórias – órgãos cheios de gás que ajudam o peixe a regular sua flutuação.

A equipe também estudou os músculos que, movendo-se em altas velocidades, são responsáveis por essas vibrações.

“Esse músculo se contrai e relaxa 150 vezes por segundo para vibrar a bexiga natatória”, disse Parmentier à BBC.

A equipe espera agora poder estudar as piranhas no rio Amazonas, para aprender mais sobre o seu repertório acústico.

Fonte: BBC

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Lista de animais ameaçados de extinção no Brasil pode ser maior, diz MMA

Sauim de coleira

O sauim-de-coleira, que só existe no entorno de Manaus, é uma das espécies ameaçadas (Divulgação/Ibama)

O Brasil possui 627 espécies da fauna com risco de extinção. Cerca de 60% estão em territórios protegidos e aproximadamente 75% das áreas federais de conservação abrigam estas populações, a maioria delas na região amazônica.

Até o final deste ano, o Ministério do Meio Ambiente espera concluir 35% dos planos de ação para as espécies mais ameaçadas. A ministra Izabella Teixeira estima que até 2014, o MMA pretende concluir os planos de ação para todas as espécies ameaçadas.

A Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas, contudo, pode ser maior. A atualização está sendo debatida em reunião que acontece desde início da semana por técnicos do ICMBio. Os técnicos estão avaliando a situação de 1.414 espécies brasileiras. A lista mais atualizada é de 2003.

“Até dezembro devemos chegar próximo de 2.500 espécies avaliadas, com a previsão de atingir, até 2014, a meta de 10 mil espécies previstas”, afirmou a técnica da Coordenação de Avalização do Estado de Conservação da Biodiversidade (Coabio/ICMBio) Rosana Subirá.

A divulgação da lista definitiva deve acontecer apenas em 2012, mas há possibilidade de algumas correções da atual lista ser divulgada antecipadamente, segundo a assessoria de imprensa do ICMBio.

Sauim

Segundo o Atlas de Animais em Extinção em Unidades de Conservação do governo federal lançado este ano, os animais da fauna amazonense mais ameaçados são a onça pintada, o peixe-boi e algumas espécies de primata.

O sauim-de-coleira também faz parte da lista. Atualmente, o ICMBio desenvolve um plano de ação para salvar esta espécie de primata da extinção que existe apenas no ecossistema na região do município de Manaus, Rio Preto da Eva e Itacoatiara.

O coordenador do centro nacional de pesquisa e conservação de primatas brasileiro do ICMBio, Leandro Jerusalinsky, disse ao portal acritica.com, que espera que o Plano de Ação para salvar o sauim-de-coleira já deve entrar nesta lista anunciada pela ministra.

Na próxima semana, um sumário executivo apresentando o extrato do plano de ação já será divulgado ao público.

Segundo Leandro, uma das fases é buscar financiamento privado para ajudar na execução do plano, cujos valores são orçados em R$ 8,5 milhões.

Gestão

Para cientistas e pesquisadores, até o momento, o número de espécies desconhecidas é maior que o de já identificadas. Estima-se que o território nacional abrigue cerca de 210 mil espécies, sendo 134 mil de animais e 49 mil de plantas.

A gestão adequada de espécies inclui o uso sustentável dos componentes da biodiversidade, o acesso do público às áreas de preservação e um amplo processo de participação científica, além de mais pesquisas.

Izabella acrescentou que existe uma nova agenda de conservação para 2020, e que o Brasil deve trabalhar com toda a sociedade e instituições de pesquisa para oferecer uma nova visão de proteção da biodiversidade, de acordo com as orientações das Metas de Aichi, estabelecidas em Nagoya (Japão) durante a última Conferência da Diversidade Biológica (CDB).

Durante o colóquio, os participantes também debateram os modelos jurídicos e a Política Nacional de Conservação da Biodiversidade, além da relação entre economia e diversidade biológica.

Patrimônio

O Brasil é responsável pela gestão do maior patrimônio genético do mundo, sendo considerado o País mais rico em biodiversidade do planeta.

Segundo o secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, Bráulio Dias, a cada ano são descritas cerca de mil novas espécies no País.Talvez possamos gastar cerca de mil anos para descrever toda a nossa diversidade biológica, avalia.

Ele afirmou ainda que a estratégia nacional de biodiversidade está em fase de atualização, e que há a intenção de se estabelecer um fórum brasileiro voltado para o tema.

No entanto, Dias alerta que, de acordo com o terceiro relatório do estudo Panorama Global da Biodiversidade, nunca houve tanta perda da diversidade biológica no mundo como nos últimos 50 anos.

Fonte: Portal A crítica

Animais abandonados tem apoio de organização em Manaus

Desde fevereiro já foram resgatados das ruas e adotados 120 animais entre cães e gatos

Desde fevereiro já foram resgatados das ruas e adotados 120 animais entre cães e gatos (Michel Dantas)

Conectadas pelo amor aos animais. Esse foi o motivo que uniu oito voluntários por meio de uma rede social e resultou na criação da Organização Bicho Amado (OBA). “Nos conhecemos por intermédio de outros grupos na Internet que fazem esse trabalho de resgate de animais para a adoção e sentimos a necessidade de criar a OBA”, explica Jaqueline Wanderlei, coordenadora da Organização Não Governamental (ONG).

A voluntária conta que a organização foi criada em fevereiro deste ano e um total de 120 animais, entre cães e gatos, já foram resgatados das ruas de Manaus e adotados por conta da divulgação na rede social facebook. “Todo o trabalho da ONG é divulgado e compartilhado pela Internet”, destaca Jaqueline. Atualmente, o grupo “Adote um Amigo Manaus” reúne 1.176 membros.

A organização mantém uma parceria com um pet shop, onde os animais resgatados recebem tratamento veterinário e depois são abrigados no sítio de Jaqueline até serem adotados. O grupo mantém os animais com a arrecadação entre os oito voluntários e o apoio dos membros da rede social. “Quem não faz parte da rede pode adicionar e entrar em contato com a gente ou ligar para o número 9155-5465. Toda doação é bem-vinda para os animais resgatados”, reforça.

Bazar

Amanhã, a Organização Bicho Amado vai promover um bazar com produtos seminovos, com preços que irão variar de R$ 1 até R$ 50 para concluir as obras de ampliação do canil onde os animais resgatados ficam abrigados e para a compra de medicamentos e itens de necessidade dos animais. “Também ficarão disponíveis para adoção oito filhotes de gatos e quatro cachorros”, acrescentou Jaqueline. O bazar será no Centro Social Urbano do bairro Parque Dez, Zona Centro Sul, a partir das 15h até as 20h.

Fonte: Portal A crítica

ONG PATA realiza mais uma feira de adoção de animais em Florianópolis

Neste sábado, 15, os clientes do Floripa Shopping poderão fazer uma boa ação e ainda levar um companheiro para casa. Em parceria com a ONG Protetores e Amigos Trabalhando pelos Animais (PATA), o empreendimento promove mais uma edição da Feira de Adoção de Animais. O projeto ocorre mensalmente, e reúne diversos cães e gatos – adultos e filhotes – resgatados do abandono ou de situações de maus tratos.

Desde 2010 o evento apresenta animais dóceis, apesar de terem sido encontrados em condições adversas. No terceiro sábado de cada mês, a ONG tem um espaço garantido no Floripa Shopping para ajudar os animais a encontrar um novo lar. Na última edição, que ocorreu em 17 de setembro, 14 bichinhos, entre cães e gatos, encontraram uma nova família. Para adotar, é preciso ter mais de 18 anos, passar por um processo seletivo e uma entrevista, apresentar CPF e RG, comprovante de residência e assinar o termo de adoção, comprometendo-se a cuidar do animal e a fornecer tudo o que ele precisar.

“A ONG Pata realiza um belo trabalho, e é maravilhoso para o Floripa Shopping oferecer espaço para uma ação solidária tão importante como essa, que envolve cuidado e carinho pelos animais”, comenta a gerente de marketing do shopping, Monica Freitas.

A finalidade da feira é que a adoção seja bem-sucedida e que, principalmente, o animal seja bem tratado. A ação conta com apoio da loja Boutiquarium, que vai presentear as pessoas que adotarem com voucher de descontos em banho, tosa e enxoval. Neste sábado, das 10h às 17h, cerca 65 animais estarão à espera de um novo lar.

SERVIÇO

O quê: Feira de adoção de animais

Quando: Sábado, 15 de outubro, das 10h às 17h

Quanto: gratuito

Onde: Floripa Shopping – Estacionamento G1


Fonte: portaldailha

Cão é agredido com pauladas ao tentar defender tutor em MS

Um homem de 32 anos foi esfaqueado durante discussão envolvendo um cão no início da madrugada desta quinta-feira (13) em Corumbá, distante 444 quilômetros de Campo Grande (MS).

Segundo a Polícia Civil, o cachorro tentou defender o tutor, quando o suspeito deu pauladas no animal. Em seguida, o tutor do cão foi questionar o homem sobre o motivo da agressão contra o cão e foi esfaqueado no tórax.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito de ter dado a facada fugiu do local e não foi identificado. O Corpo de Bombeiros socorreu a vítima e transportou-a para o pronto socorro local, onde foi medicada e não corre risco de morte.

Não foram divulgadas informações sobre o estado do animal.


Fonte: G1

Cadela é arrastada por moto em condomínio de luxo em SP

Uma cadela com a corda no pescoço foi arrastada por uma moto, dentro de um condomínio de luxo em Araçatuba, no interior de São Paulo. De acordo com informações do boletim de ocorrência registrado pela polícia, o animal foi retirado pelo porteiro do condomínio Delta Park, ontem, após ser acionado por um dos moradores.

Segundo a polícia, a cachorra entrou em uma das casas do condomínio, que não permite animais. A dona da residência chamou o porteiro e entregou a ele uma corda para que o funcionário retirasse o animal. De acordo com o porteiro, a cachorra é mansa e foi até ele assim que ele a chamou. Ele amarrou a corda no pescoço do animal e na moto, e seguiu para a saída do condomínio. Segundo ele, a velocidade era baixa, 'para não enforcar a cadela'. Em depoimento, o porteiro disse que foi orientado a retirar todo animal que invada o condomínio.

Uma testemunha acionou a polícia, que também viu o porteiro arrastando o animal pelo asfalto. A cachorra estava com várias lesões pelo corpo, principalmente nas patas, e foi levada para o hospital veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Estadual Paulista (Unesp). O porteiro foi encaminhado à delegacia, mas não foi preso. As câmeras de segurança do condomínio serão entregues à polícia.


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Proposta prevê regras para guarda de animal em caso de divórcio

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 1058/11, de autoria do deputado Dr. Ubiali (PSB-SP), que regula a guarda dos animais de estimação nos casos de separação judicial ou de divórcio litigioso.

Pelo projeto, a decisão quanto à guarda será tomada pelo juiz, e deverá favorecer o ex-cônjuge que for o legítimo proprietário do animal. Não havendo legítimo proprietário, a guarda poderá ser compartilhada, caso em que o juiz favorecerá a parte que demonstrar maior capacidade para o exercício da “posse responsável”.

O projeto é idêntico ao PL 7196/10, do deputado licenciado Márcio França (PSB-SP), que foi arquivado ao final da legislatura passada.

Condições
O projeto considera animal de estimação todos os pertencentes às espécies da fauna silvestre, exótica, doméstica ou domesticada, mantidos em cativeiro pelo homem, para entretenimento próprio ou de terceiros, capazes de estabelecer o convívio e a coabitação.

A guarda dos animais de estimação é classificada em unilateral, quando é concedida a apenas uma pessoa, a qual deverá provar ser seu legítimo proprietário, por meio de documento de registro idôneo onde conste o seu nome; e compartilhada, quando o exercício da posse responsável for concedido a ambas as partes.

De acordo com o texto, o juiz deverá também observar as seguintes condições: ambiente adequado para a morada do animal; disponibilidade de tempo para os cuidados com ele; condições de trato, de zelo e de sustento; grau de afinidade e afetividade entre o animal e a parte; e demais condições que considerar imprescindíveis para a sobrevivência do animal.

Divisão dos bens
Dr. Ubiali lembra que o rompimento da sociedade conjugal é um momento difícil para um casal, em que surgem controvérsias quanto à divisão dos bens, obrigação de alimentar, guarda e visitação dos filhos. Em algumas situações, emerge também o problema da posse de animais domésticos.

Nesses casos, o animal doméstico é atualmente incluído no rol dos bens a serem partilhados, de acordo com o que ditar o regime de bens do casal. “Infelizmente, nossa lei considera o animal como objeto, o que inviabiliza um acordo sobre as visitas na disputa judicial”, observa o deputado. Ele explica que o fundamento do projeto é justamente evitar que os animais continuem sendo tratados como meros objetos em caso de separação conjugal.

“Devem ser estipulados critérios objetivos para que o juiz decida sobre a guarda, tais como quem costuma levá-lo ao veterinário ou para passear, quem efetivamente assiste o animal em todas as suas necessidades básicas”, explicita Dr.Ubiali.

Ainda de acordo com a proposta, nenhuma das partes poderá, sem que a outra concorde, realizar cruzamento do animal, entregar ele ou os filhotes para fins comerciais, sob pena de reparação dos danos.

Nos casos em que ambos concordarem com o cruzamento, os filhotes resultantes deverão ser divididos em igual número, quando possível, ou em igual montante em dinheiro, calculado com base na média do preço praticado no mercado.

O texto prevê ainda regras para o caso de um dos donos do animal se casar novamente. Ele não perderá o direito de ter consigo o animal de estimação, que só lhe poderá ser retirado por mandado judicial, caso seja provado que o bicho não está sendo tratado convenientemente.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será votado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Camara dos Deputados

Polícia Ambiental apreende 342 ovos de quelônios no Porto de Manaus

Uma ação de rotina da Polícia Ambiental, realizada no início da noite desta quarta-feira (12), resultou na apreensão de 342 ovos de tracajás e mais três quelônios dessa mesma espécie, no Porto Privatizado de Manaus. Eles vinham em uma embarcação identificada como 'Arcanjo', proveniente de Boa Vista dos Ramos, a 269 km da capital.

De acordo informações do cabo Carlos Samuel , da 2ª Companhia Fluvial do Batalhão, os animais foram encontrados em situação de maus tratos. "Os quelônios estavam amarrados com fios de barbante, enrolados em sacolas plásticas e dispostos em caixas, juntamente com os ovos", informou.

Na avaliação do policial, trata-se de uma tentativa de camuflar a presença dos animais, durante as abordagens de rotina dos militares da Companhia. "Suspeitamos logo no início do procedimento de 'varredura' feito na embarcação, por conta do odor dos tracajás", disse.

Quelônios e ovos estavam escondidos em caixas (Foto: Divulgação/Polícia Ambiental)Quelônios e ovos estavam escondidos em caixas
(Foto: Divulgação/Polícia Ambiental)

Wilson Roberto Almeida, de 29 anos, e Maria Edineuza Fonseca, de 34 anos, identificados pela Polícia Ambiental como o responsável e a conferente de carga da embarcação, respectivamente, foram conduzidos ao 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

"Eles podem responder pelo crime de maus-tratos a animais, conforme o artigo 32, da Lei 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, que trata de crimes ambientais", destacou Samuel. A pena, conforme a legislação, é de detenção, de três meses a um ano, e multa.

No 1º DIP, onde foi feito um termo circunstancial de ocorrência, o casal prestou esclarecimento e já foi liberado.

Fonte: G1

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Grupo promove feira para incentivar adoção de animais em Manaus

]Raquel Gaia foi uma das veterinárias a ajudar no tratamento dos cães.









Serão 60 animais, adultos e filhotes, prontos para adoção, já castrados, vermifugados e vacinados. Terá a venda de camisetas e adesivos do grupo, bazar e café da manhã.

Manaus - O grupo de Proteção Adoção e Tratamento Animal (P.A.T.A.) está promovendo a I Feira de Adoção de Animais, no próximo sábado, a partir das 8h, no Shopping da Natureza localizado na Rua Visconde de Santa Cruz, 49, Parque da Laranjeiras, próximo ao condomínio São Judas Tadeu.

Serão 60 animais, adultos e filhotes, prontos para adoção, já castrados, vermifugados e vacinados. Terá a venda de camisetas e adesivos do grupo, bazar e café da manhã.

A Feira tem como propósito arrecadar lucros para o tratamento e vacinas dos animais resgatados pelos voluntários. Parte do dinheiro será investido em um abrigo próprio, pois o grupo ainda trabalha com lares provisórios.

As pessoas que adquirirem animais durante a feira assinarão um termo de posse responsável, garantindo que o animal terá todos os cuidados necessários. O grupo fará visitas de acompanhamento para comprovar se o animal está bem em seu novo lar.

Aqueles que não podem adotar um animalzinho, terão a oportunidade de apadrinhá-lo. Janaína Bandeira, voluntária do grupo, explica que há muitos animais do grupo precisando de tratamento nas clínicas veterinárias e que contam com a ajuda dos padrinhos. "A pessoa que se compadecer, poderá ajudar com parte ou o tratamento desses animais, com ração ou até mesmo visitas.", ressalta.

O P.A.T.A. precisa de ajuda com ração para filhotes, comedouros e coleiras. Quem se interessar em ajudar pode entrar em contato com o grupo através do e-mail: patamanaus@gmail.com.

Lei de posse e criação

No dia 24 de agosto, foi aprovada na Câmara Municipal de Manaus, a lei que disciplina a criação, propriedade, posse, guarda, uso e transporte de cães e gatos no Município, defendendo as condições adequadas de alojamento, alimentação, saúde, higiene e bem-estar ao animal.

A Lei Nº 1.590 foi proposta pelo vereador Wilson Lira, prevê que todos os cães e gatos devem ser registrados no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) ou em clínicas veterinárias credenciadas. A lei previne, também, sobre multa em casos de maus tratos e obriga os donos a vacinar seu animal contra a raiva.

Fonte: D24am

Qual animal é ideal para você?


Animais de estimação nos dão amor incondicional, melhoram nosso estado de espírito e até nossa saúde
Foto: Getty Images

Diferentes animais

Cão, gato, tartaruga, pássaro ou peixe? Descubra qual bichinho combina mais com o seu estilo de vida



Em tempos de estresse, vida agitada, caos urbano, cada vez mais as pessoas querem ter umanimal de estimação por perto. E esse fenômeno é mundial. É crescente o número de moradores das grandes cidades que têm em casa cão, gato, tartaruga, pássaro ou peixe para estar mais integrado à natureza, dar e receber carinho ou relembrar a inocência das relações da infância.

Você também está convencida de que deve ter um bichinho? Saiba que os benefícios são inúmeros, mas antes de adotar é preciso ter muita responsabilidade. Segundo a veterinária Elizabete Shimizu, o ideal é pesquisar antes que animal e raça são mais adequados, levando em consideração sua disponibilidade de espaço, de tempo para cuidar do animal e se o temperamento dele é adequado ao estilo de vida da família.

A chamada posse responsável do bicho inclui ainda outros cuidados: zelar pela saúde física do animal, dando vacinas, vermífugos, banhos e alimento, e pela saúde psicológica, dedicando atenção, carinho e tempo.

Lembre-se de que um cachorro necessita de passeios diários e, se você não tiver essa disponibilidade, talvez um gato ou uma tartaruga sejam mais adequados. Tenha em mente que, durante as férias e os feriados, todos eles precisam ser cuidados.


Macaco prego criado por família há 28 anos terá que voltar para o zoológico

A 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou que o macaco prego de nome “Chiquinho” retorne ao seu habitat natural ou seja entregue ao zoológico, aos cuidados dos órgãos de proteção dos animais silvestres.

A decisão é do desembargador Eduardo Gusmão Alves de Brito, acolhida por unanimidade pelos demais integrantes da Câmara. Para o desembargador, inexiste direito de posse por particular de animal silvestre, mantido em cativeiro sem a devida permissão legal.

Há 28 anos convivendo com Carlos Henrique Rabello Lima, sem autorização e licença dos órgãos de proteção ambiental, o animal foi apreendido na residência de seu dono no dia 26 de agosto de 2008, pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), após denúncia anônima. Devido à sua manutenção em cativeiro ilegal, Chico foi domesticado desde filhote.


Em seu favor, o dono do macaco alegou que, embora silvestre, Chiquinho já é idoso e sempre foi tratado como um membro da família, o que inviabilizaria qualquer tentativa de reinserção em seu ambiente natural. O Inea, por sua vez, ponderou que a conduta do autor, por mais bem intencionada que seja, é nociva e ilegal.

No dia 17 de setembro de 2010, a juíza Christianne Maria Ferrari, da 4ª Vara Cível de Petrópolis, na Região Serrana, julgou procedente o pedido de Carlos Henrique em ação proposta contra a Fundação Instituto Estadual de Florestas (IEF). Ela o declarou guardião do animal, determinou que Chiquinho fosse devolvido ao seu dono, sendo o autor da ação nomeado depositário fiel do animal até o fim dos recursos na área administrativa.

Entretanto, o desembargador Eduardo Gusmão Alves de Brito, relator do recurso do Inea, considerou que houve crime contra a flora e fauna.

Nos termos do artigo 25, § 1º, da Lei 9605, os animais silvestres apreendidos em poder de terceiros devem ser confiados aos órgãos protetivos para possível reintrodução em seu habitat de origem ou, se impossível, entrega ao zoológico.

A pretensão de manter animal silvestre em poder do particular, ao argumento de que antiga a posse e bem tratado aquele, parte da falsa percepção de que o animal valha por si, quando sua existência é protegida enquanto integrante da fauna, cuja violação vem sendo estimulada pela tolerância com a posse antiga e disseminada de exemplares subtraídos de seu habitat natural”, afirmou o relator em seu voto.

Ainda segundo o desembargador, as posições tolerantes com o cativeiro de animais silvestres fazem com que se perpetue aquilo que o legislador enfaticamente procurou combater.

“Como é cediço, o Brasil apresenta antiga tradição de apreensão de pássaros, cobras, macacos e toda sorte de animais silvestres, jamais devolvidos na esperança de que o efeito curativo do tempo faça desaparecer o crime ou o dever de retornar o animal a seu habitat”, destacou.

Fonte: ultimosegundo


terça-feira, 11 de outubro de 2011

Rede Social denuncia maus tratos contra animais em cidade do RS

Geral - Foto divulgada no facebook mostra cães mortos jogados nas ruas da cidade<br>Foto: Imagens de arquivoGeral - Animais são jogados nas ruas junto com o lixo<br>Foto: Imagens de arquivo

Nos últimos dias começaram a circular na internet emails com fotos de animais mortos, com corpos dilacerados e doentes, que foram retiradas de um álbum do facebook. As fotos foram publicadas na rede social por uma moradora da cidade de Eldorado do Sul (RS), que também é protetora dos direitos dos animais. Em poucas horas, o perfil passou a ser visitado por outros moradores de Eldorado e de outras cidades do país e ganhou a atenção das autoridades públicas locais.

As fotos divulgadas são do canil da cidade, que não possui condições de receber ou tratar os animais que chegam ao local. Uma das fotos divulgadas, mostra um cão com um tumor enorme nos testículos, que o impede de andar, sem cuidado algum de veterinários. Também há imagens impactantes de animais mortos, que seriam jogados em ruas da cidade pelo próprio canil, colocando em risco a saúde da população local. Na cidade não há um Centro de Zoonoses e é a Secretaria do Meio Ambiente que deveria se responsabilizar pelos cuidados e destinos dos animais que são apanhados nas ruas.

O Promotor de Justiça de Eldorado do Sul, Plínio Castanho Dutra, visitou o canil da cidade nesta sexta-feira (7) e verificou que o local não trata de forma adequada os animais. O Ministério Público do município instaurou um inquérito e interditará o can
il.

Fonte: 360graus
Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir