sexta-feira, 31 de julho de 2009

Orcas avistadas próximo à Praia Formosa

A orca quase não aparece nas águas do arquipélago madeirense. A não ser de passagem ou quando procura comida. Por isso, o animal é visto com pouquíssima frequência por estes lados. Contudo, recentemente, em mais uma das saídas para a observação dos cetáceos na costa sul da ilha, o barco “Sea the best” foi surpreendido com a aparição de orcas, próximo à Praia Formosa. Carlos Silva, no comando da embarcação e apaixonado por fotografia, conseguiu registrar o momento.

Tudo aconteceu 45 minutos após o “Sea the best” sair do Porto do Funchal. Depois de soltarem as amarras, o vigia “spotter” Celso Franco subiu para o ponto mais alto do barco, com os binóculos no ombro, para tentar avistar cetáceos. Depois de 45 minutos avisou que havia um grupo de golfinhos por perto. Eram golfinhos pintados do Atlântico. Um grupo de mais ou menos cem deles, tão sociáveis que saltavam em frente ao barco.

Mas a viagem não parou por aí. Após presenciar o espectáculo dos golfinhos, os passageiros comentaram com os marinheiros que faltava ver as baleias. E o inacreditável aconteceu. Momentos depois, Celso Franco avistou um grupo de baleias “Orca”. A embarcação foi se aproximando da área, de maneira que foi possível observar cinco orcas, dois machos e três fêmeas.

Fonte: jm.online

Chuva de granizo mata 300 garças e deixa outras 150 feridas

Cerca de 300 garças foram encontradas mortas em São José dos Campos (SP). Outras 150 ficaram feridas por causa da chuva de granizo que atingiu a cidade essa semana.

A área verde do condomínio empresarial BRP é usada como dormitório das aves. Todo fim de tarde elas vão para o local. E na terça-feira(28) foram surpreendidas pela chuva. Muitas tiveram ferimentos nas asas e já não podem voar. Os funcionários ficaram impressionados com a cena. “Como foi bem na hora que elas chegam no local, elas não tiveram tempo de reação”, disse o administrador do condomínio, Giuliano de Paula.

As aves foram recolhidas e enterradas no aterro sanitário de São José dos Campos. Mas como são animais ariscos, poucos puderam ser resgatados. Aqueles que deixaram os veterinários se aproximar foram trazidas para um zoológico da cidade.

São 25 aves que receberão cuidados especializados. A maioria tem fraturas e não devem voltar para a natureza. “A tendência é a amputação dessas asas, sempre acima do foco de fratura, o voo é uma condição biológica destes indivíduos, mas não uma necessidade de sobrevida para o animal”, explicou o veterinário, João Mattos.

Elas vão passar a noite em um ambiente coberto e aquecido, para amanhã serem avaliadas. Junto com as garças, estava um gavião. Ele estava com a asa e o olho machucados. “Se for uma caso de fratura exposta também, será feita uma amputação e ele vai ficar em uma situação de cativeiro”, disse o veterinário.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente disse que, por lei, esse tipo de caso é tratado por órgãos estaduais, como a Polícia Ambiental. O município ofereceu um carro para auxiliar os trabalhos.

No município de Piratininga, em São Paulo, 37 vacas morreram quando um raio caiu no pasto durante uma tempestade. Elas foram enterradas em uma vala no próprio pasto.

Fonte: VNews

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Baleia Beluga resgata mergulhadora e a salva da morte na China

Yang Yun achou que fosse morrer quando suas pernas paralisaram devido à baixa temperatura durante uma competição de mergulho livre, sem nenhum equipamento para respiração.

Baleia beluga resgata a mergulhadora incapacitada

Foto: Europics

Os competidores tinham que ir até o fundo de uma piscina ártica de 6 m em um aquário e permanecer lá pelo maior tempo possível, entre as baleias Belugas. A competição ocorreu na China, província de Harbin.

Mas quando Yun, 26, tentou voltar à superfície, ela descobriu que suas pernas estavam imóveis por causa de uma câimbra.

“Entrei em desespero e comecei a afundar cada vez mais, achei que era meu fim, que estava morta. Até que senti uma força incrível me empurrando para a superfície,” ela explicou.

Mila, uma baleia Beluga, percebeu as dificuldades de Yun e usou seu nariz sensível para guiar a moça de volta à superfície em segurança.

“Mila notou o problema antes de nós,” explicou o organizador.

“Nós vimos de repente a garota sendo empurrada para o topo da piscina com suas pernas na boca de Mila. Ela é um animal muito sensível e sempre foi muito próxima aos humanos, acho que esta moça lhe deve a vida”.

Belugas foram a primeira espécie de baleia a interagir com o ser humano, e possuem músculos faciais que lhes permitem um movimento próximo a um “sorriso”.

Nota da redação: É fanstástica e comovente a gentileza e sensibilidade das baleias Belugas com seres humanos. É uma pena que os mesmos humanos com quem elas interagem sejam capazes de confiná-las em tanques de aquários.

Com informações de Telegraph.co.uk

Tartaruga é morta por redes de pesca em Barra Velha (SC)

Foto: Mauricio Coimbra

Foto: Mauricio Coimbra

Bolinha era uma espécie de talismã dos surfistas no Costão do Náufragos, Barra Velha (SC). Fiel companheira, a tartaruga era considerada a mais antiga do pico, e o pessoal conseguia até brincar com ela, tocando no seu casco. Mas, infelizmente, o surf por lá nunca mais será o mesmo. A tartaruga foi encontrada morta por causa das redes de pesca que ficam próximas dos costões rochosos e das lajes.

Em prol da preservação da fauna marinha em Barra Velha, a Associação de Surf Costão dos Náufragos (ASCN) irá lançar uma campanha de conscientização dos pescadores artesanais sobre o afastamento das redes destes costões. O projeto será desenvolvido em parceria com a Fundação Municipal de Meio Ambiente (Fundema) e a Secretaria Municipal de Educação, pretendendo criar uma postura ativa da sociedade na luta contra a captura e morte de tartarugas nas praias do município.

A campanha envolverá o público em geral, pescadores artesanais e alunos do ensino médio e das últimas séries do ensino fundamental. ”Queremos primeiramente que os pescadores sejam conscientes de que a captura acidental de uma tartaruga não é crime, porém o arremesso de redes em locais proibidos é uma infração que coloca em risco a vida destes animais”, alerta Maurício Coimbra, vice-presidente da ASCN e um dos organizadores da campanha.

Os surfistas denunciam todos os anos a colocação de redes irregulares em lajes e costões rochosos. “São poucos os locais da costa brasileira onde uma pessoa pode nadar ao lado de uma tartaruga marinha sem que o animal se sinta afugentado. É um ponto que deveria ser repensado até no aspecto turístico. Para os pescadores é mais fácil matar o animal que tirar ele da rede”, destaca Ricardo Michereff, surfista e shaper da cidade.

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Ezequiel Díaz Savino, repórter do Jornal do Comércio, também organiza a campanha e explica que o projeto busca a conscientização dos alunos para gerar uma postura ativa da comunidade diante do problema, para que atos de pesca irregular sejam denunciados.

Entre os trabalhos a serem desenvolvidos está prevista a realização de palestras informativas para os pescadores e para a comunidade em geral, atividades escolares, além de um concurso com a melhor frase para identificar a campanha.

Hoje em dia, as tartarugas marinhas das espécies Verde e Cabeçuda podem ser vistas a olho nú na praia das Canoas, no centro da cidade, na praia do Costão, no bairro Tabuleiro e na praia de Pedras Brancas e Negras, no bairro Itajuba.

Nestes locais, os animais se alimentam de algas e de pequenos animais durante o ano todo, sendo maior o número de tartarugas entre a chegada da primavera e o verão. Em todas as praias onde as tartarugas se alimentam, já foram achadas espécies mortas na areia.

Também serão colocadas placas informativas e de sensibilização sobre os animais, para que não seja deixado lixo na praia, evitando que as tartarugas o confundam com algas.

Fonte: Waves

19 brasileiros são presos envolvidos com rinha de canários em Connecticut (EUA)

Dezenove brasileiros foram presos na manhã do domingo (26) em Shelton, acusados de participar de brigas entre canários. Oito deles residem em Danbury, Connecticut. A polícia confiscou mais de 150 pássaros e encontrou cerca de $8,000 em dinheiro.

Agentes recolhem as gaiolas com os pássaros encontrados no local onde era realizada a rinha de canários. Brasileiros de New Jersey, Massachusetts e Connecticut foram presos no local. Foto: Reprodução/ComunidadeNews

Agentes recolhem as gaiolas com os pássaros encontrados no local onde era realizada a rinha de canários. Brasileiros de New Jersey, Massachusetts e Connecticut foram presos no local. Foto: Reprodução/ComunidadeNews

Eram aproximadamente 9h30 quando a polícia chegou na casa de uma família onde os ocupantes preparavam os canários para uma nova briga. Segundo o Departamento Estadual de Agricultura (SDA), a maioria dos pássáros apreendidos era de canários-da-terra. Pelo menos quatro das aves apreendidas tinha ferimentos nos olhos.

A megaoperação que prendeu os brasileiros contou com a participação da polícia de Shelton, Bridgeport, Ansonia e Fairfield, o Esquadrão de Crimes da Polícia Estadual, Esquadrão de Crimes do Distrito Central e o SDA.

A prisão dos envolvidos com a briga de canários surpreendeu os vizinhos. Eles nunca desconfiaram de nada. De acordo com a polícia, as brigas de galo são mais fáceis de descobrir porque o animal faz barulho. A característica não faz parte do canário.

Os moradores de Danbury presos são Gilson Gonçalves, 31, Getúlio Serra, 62, Rogério de Carvalho, 35, Sebastian Andrade, 37, Ricardo Almeida, 29, Massilon de Paula, 32, Agostinho Gondinho, 35 e Raimundo Nonato, 51. Elito Goulart, 47 e Jurames Goulart, 42, residentes em Bridgeport e Shelton, respectivamente, também foram presos.

Os outros presos são dos estados de New Jersey e Massachusetts: Odeco dos Santos, 43, Marcos Teles, 36, Lucas dos Santos, 25 (Newark) e Geraldo Teixeira, 43 (Kearney), Auder Gontijo, 43 e Celco Soares, 33 (Marlborough), Welson Sales, 38 e Welson Morais, 26 (Framingham) e Waldiney Almeida, 29 (Holbrook).

Raimundo Nonato é apontado como um dos mais envolvidos com rinha de canários.  Foto: Reprodução/ ComunidadeNews

Raimundo Nonato é apontado como um dos mais envolvidos com rinha de canários. Foto: Reprodução/ ComunidadeNews

Segundo uma fonte, que preferiu o anonimato, Raimundo Nonato seria um dos cabeças do esquema. Os participantes iam até New Jersey e Massachusetts para comprar os canários, que seriam produto de tráfico do Peru. Por cada ave era paga a quantia aproximada de $50. Os que apresentavam tendência de ser “bom de briga” eram escolhidos. Os canários que venciam muitas brigas poderiam valer até $3,000.00 no mercado negro.

O grupo utilizava canários-da-terra, aves originárias da América do Sul e encontradas no Brasil, Peru, Colômbia, Equador e Venezuela. Os machos tem a cor amarela predominante quando adultos e podem brigar entre si pelas fêmeas, as quais geralmente atiçam as brigas. Os canários-da-terra atacam aves maiores que se aproximam dos ninhos deles.

Penalidade
O Comunidade News apurou que em Danbury também ocorriam as brigas de canário, que eram feitas no galpão de uma casa e eram organizadas por um brasileiro conhecido apenas como Tito. Podiam acontecer até 20 brigas de uma só vez, nas quais muitas vezes as aves se feriam ou até mesmo morriam. Algumas pessoas iam somente para apostar nos canários. As apostas variavam de $100 até $1,000 por pessoa. Muitos chegavam a perder até $5,000.00 nas apostas.

Quando a polícia chegou na casa, Jurames Goulart correu e se trancou num dos cômodos. Por isso, foi acusado de interferir no trabalho da polícia. Os pássaros foram colocados em grandes gaiolas e transportados por agências de controle de animais para outros locais. A investigação ainda continua.

De acordo com o Sargento Roberto Kozlowsky da Polícia de Shelton, todos os brasileiros foram presos sob fianças variando de $1,000 a $5,000. Os acusados pagaram fiança e foram liberados e devem comparecer à Corte de Derby no dia 10 de agosto. Gilson Gonçalves não pagou fiança e enfrentou uma audiência na segunda-feira (27). O ICE (agência de imigração) estava à procura dele. Segundo uma pessoa que conhece o brasileiro, ele teria sido preso ao entrar ilegalmente no país e devia corte.

Os dezenove brasileiros foram acusados de crueldade a animais e por jogo ilegal. O Centro Nacional de Lei da Agricultura do estado de Connecticut, prevê até cinco anos de cadeia e pagamento de até $5,000 de multa para quem maltrata animais. Kozlowsky disse que em Connecticut crueldade com animais é uma ofensa grave e jogo ilegal é um delito menor.

Fonte: ComunidadeNews

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Número de mortes em zoo de Goiás é quase o dobro do divulgado

O número de mortes de animais dentro do Parque Zoológico de Goiânia (GO) neste ano pode ser superior a 15, e não apenas oito como havia sido informado anteriormente pela administração do zoológico. Isso porque, segundo a direção do parque, anteriormente, não eram contabilizados os animais que não são considerados de grande porte. Na terça-feira, a Polícia Civil abriu investigação para descobrir se a falta de investimentos no zoo pode ter influenciado na morte dos animais.

O total equivale a mais de 2,5% do plantel do zoo, atualmente em torno de 600 animais. O diretor do zoológico, Raphael Cupertino, disse que não saberia precisar a quantidade exata de óbitos porque toda documentação referente às mortes foi encaminhada ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O parque foi fechado na terça-feira, dia 21 de julho, após acordo da administração do local com o Ibama para que todo plantel fosse examinado. Quando a visitação foi suspensa, era de conhecimento público a morte de sete animais de grande porte - dois hipopótamos, um leão, uma onça, um tamanduá-bandeira, uma girafa e um jacaré-açu. Depois, na quinta-feira, morreu um queixada. Ao ser procurado pela reportagem do Terra, na tarde de ontem, Cupertino afirmou não ter como dizer, naquele momento, mais detalhes sobre os outros animais mortos.

“Foram todas mortes ocasionais, sem nenhuma relação entre elas. Uma fatalidade. Muitos animais já chegaram doentes aqui e outros estavam velhos demais.” O intuito dos exames nos animais é descobrir se há algum doente e assim tentar evitar novas mortes. Foram examinados 30 mamíferos até este fim de semana e já se descobriu que uma sussuarana está com insuficiência renal e precisa de tratamento.

Falta de investimento
Desde o ano passado, o Ministério Público Estadual (MPE) de Goiás investiga denúncias de maus-tratos e de descaso do Poder Público com o parque. Um relatório feito em junho deste ano pela perícia ambiental do MPE concluiu que a prefeitura nunca investiu na manutenção e na modernização do zoológico, criado em 1956.

O laudo do MPE, feito pelo engenheiro agrônomo Giuliano Pompeu Rios de Pina, técnico ambiental do órgão, aponta que a falta de conservação do parque colocou em risco as condições de higiene e saúde do plantel. Segundo o laudo, o zoológico “foi dimensionado para uma demanda de 53 anos atrás” e “não passou por melhorias”.

No mesmo dia do fechamento do zoológico, o delegado Luziano Carvalho, titular da Delegacia Estadual de Meio Ambiente (Dema) abriu inquérito para apurar se a prefeitura pode responder pela morte dos animais. “Se ficar constatado que os animais deixaram de receber um atendimento melhor por causa da falta de investimento e que se tivessem recebido esse atendimento poderiam estar vivos, com certeza isso pode ser classificado como maus-tratos, então teremos um crime”, disse.

A promotora Sandra Mara Garbelini, coordenadora do Centro de Apoio Operacional (CAO) do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual, diz que o zoológico só volta a abrir as portas para o público quando suprir todas as deficiências apontadas no relatório do órgão, assim como atender às exigências feitas pelo Ibama, cujo laudo final ainda não ficou pronto. Mas disse que ainda precipitado afirmar que a administração do zoológico pode ter responsabilidades pelas mortes dos animais: “precisamos aguardar os laudos que estão sendo feitos pelo Ibama para chegar a uma conclusão”.

A justificativa de Cupertino para não modernizar o atual zoológico é que a prefeitura já decidiu pela mudança do parque para outro lugar. De acordo com o presidente da Agência Municipal de Meio Ambiente, Clarismino Luiz Pereira Júnior, há três espaços sendo analisados e um projeto do novo zoológico já estaria praticamente pronto.

O diretor do zoológico, Raphael Cupertino, garante que os cerca de 600 animais que compõe o plantel do parque são bem tratados e cita, como prova, o nascimento de filhotes, como o de um macaco-prego na última semana. “Vários animais tiveram filhotes dentro do zoológico. E para eles se reproduzirem em cativeiro é sinal de que estão sendo bem tratados, que a alimentação é feita de modo adequado, senão não teriam se reproduzido”.

Cupertino alegou ainda que a prefeitura abriu um concurso público para a contratação de mais dois veterinários e dois biológos para o zoológico, aumentando a equipe para 12 pessoas. Atualmente, há três veterinários, quatro zootecnistas e um biólogo. “Além disso, temos uma parceria com a Escola de Veterinária da UFG, e desenvolvemos em conjunto com eles várias melhorias aqui no parque”, disse.

A coordenadora de fauna do Ibama em Goiás, Cristiane Borges Miguel, diz que é preciso aguardar a conclusão dos exames feitos no plantel do zoológico ou, pelo menos, a conclusão do laudo desenvolvido pelo Ibama, previsto para esta semana, para falar sobre as condições do zoológico e até que ponto isso interferiu na saúde dos animais. Mas salienta que até então não há nenhuma irregularidade por parte da administração.

Laudo
Entre os problemas citados no laudo do MP estão que alguns recintos do zoo ficam sombrados por árvores, o que pode ocasionar o surgimento de fungos, lodo e musgos; má conservação de caixas d’água, tampas de esgoto, do sistema de drenagem pluvial, do material de revestimento do teto, piso e paredes dos recintos; poluição do solo, da água e da atmosfera, colocando em risco a saúde pública; erosão ao redor do parque; comprometimento da flora; possível fragilidade no controle de fichas dos animais; livre circulação de urubus, pombos, gatos, ratos e baratas.

Entretanto, o ponto mais grave apontado pela perícia do MPE é a falta de um prédio para a Creche/Biotério, um para a triagem de animais e outro para a quarentena (local em que os animais novos ficam isolados para se adaptarem ao zoo por até 120 dias). Os recintos onde funcionavam estes espaços foram demolidos, segundo o laudo, devido a falta de manutenção e condições de uso. “Constatamos a necessidade da existência de creche, biotério e quarentena, sem eles o zoológico se torna vulnerável tecnicamente, pois as áreas são primordiais no manejo dos animais e na manutenção da sanidade do ambiente”, aponta o técnico no relatório.

Pina escreve em seu laudo que o setor para o qual estes departamentos foram transferidos “não está adequado, pois não são áreas específicas aos procedimentos médicos veterinários, aliado ao fato de que estão passando por demolições e estruturações”. Questionado sobre este ponto do laudo, o titular da Dema disse que já foi informado sobre o problema e concordou que é grave. “É o que vamos investigar. Essa é uma das questões. Até que ponto isso comprometeu a saúde dos animais”, disse.

Sem prazo
Apesar de inicialmente a administração do zoológico ter indicado que o fechamento duraria no máximo 45 dias, hoje já não se fala mais em datas. “Não quer dizer que o parque não vai abrir, vai sim, mesmo com a intenção da prefeitura em mudar o zoológico para outro lugar. Só que precisamos fazer os exames corretamente e são muitos animais, então pode demorar mais que os 45 dias”, disse Cupertino.

Paralelamente aos exames, foi iniciado o trabalho de reforma e revitalização de algumas áreas do zoológico. A iluminação foi trocada, árvores foram podadas, houve troca de telas e pisos de alguns espaços e alguns recintos estão sendo melhorados. Essa pequena reforma não contempla todas as sugestões feitas no relatório do MPE e, segundo Cupertino, elas não serão totalmente atendidas. “A prefeitura decidiu pela mudança, então não faz sentido investir na construção de novos espaços aqui no zoológico. O que temos feito é atender todas as normas exigidas pelo Ibama e dar as melhores condições possíveis de vida para os animais”, disse.

Fonte: Terra

domingo, 26 de julho de 2009

SOJA

Proteína Texturizada de Soja (PVT)
Obtida do grão de soja, após o processo de extração do seu óleo, a proteína de soja ou "Carne de Soja" como é popularmente conhecida, é constituída em média de 53 % de proteína de alto valor biológico. Absorve o sabor dos temperos facilmente, e por ser um produto pré-cozido, necessita apenas ser hidratada em água morna por 5 minutos, dispensando cozimento prolongado.
Utilização: por ser extremamente versátil, pode substituir a carne moída em diversas preparações, como Strogonof, feijoada vegetariana, hamburgers, croquetes, picadinhos, recheios, caçarolas, sopas, refogados, etc.

Alimento Recomendado

Muitos países do mundo estudam a soja como um produto capaz de prevenir uma série de doenças, além de reabilitar doentes. Congressos médicos mundiais já incluem a soja em suas pautas de discussões e sinalizam a soja como sinônimo de saúde.
Pesquisas do mundo inteiro já confirmaram: as dietas ricas em fibras e com baixos teores de gordura saturada, aliadas a exercícios físicos a e um estilo de vida saudável, podem auxiliar no controle da obesidade e proteger contra doenças cardiovasculares, câncer, osteoporose e diabetes.
Inúmeras pesquisas realizadas pela área médica no Japão, China, Estados Unidos e Europa comprovam cientificamente os benefícios da soja na prevenção de doenças crônicas como:

Coração

A ingestão de 25 gramas por dia de proteína de soja reduz o LDL, o mau colesterol, em torno de 33%.

Menopausa
A soja atenua os desconfortos do climatério, como suores noturnos e ondas de calor.


Colesterol
Os altos níveis de colesterol sangüíneo e do LDL-colesterol estão associados a doenças cardiovasculares, como o infarto do miocárdio e a arterioesclerose. Pesquisas da American Heart Association -AHA (Associação Americana do Coração) têm demonstrado que a ingestão de proteínas de soja reduz as taxas de LDL-colesterol. Pacientes acompanhados durante quatro semanas, por médicos da AHA, que tiveram a adição de proteínas de soja nas suas dietas - sem outra alteração - apresentaram uma redução nos níveis de LDL-colesterol em torno de 33%. Assim, a introdução de pequena quantidade de proteína de soja na dieta diária, cerca de 20g que equivalem a 50 g de grãos, é suficiente para deixar seu sangue e seu coração em forma.

Prevenção do câncer

Os grãos de soja contêm um composto singular denominado genisteína, também chamado de fitoestrógeno ou hormônio vegetal, que possui uma ação estrogênica moderada, que atua na prevenção de câncer relacionado com o estrogênio. Pesquisas realizadas no Japão, Estados Unidos e Europa têm mostrado que a ingestão diária de alimentos à base de soja, como tofu (queijo de soja), miso, natto e tempe (especialidades da cozinha oriental) reduz os riscos de câncer de mama e próstata em 50%.
A soja e seus derivados também possuem uma ação preventiva quanto aos cânceres de cólon, reto, estômago e pulmão. Para que os tumores aumentem seu tamanho, é necessário o desenvolvimento de novos vasos sangüíneos. O bloqueio desse processo é visto como uma maneira potencialmente importante para controlar o câncer. A genisteína também inibe a formação desses vasos e, conseqüentemente, o desenvolvimento dos tumores cancerígenos.

Osteoporose

Com o envelhecimento, as pessoas perdem cálcio, o que resulta, muitas vezes, em osteoporose. Na menopausa, esse processo se agrava com a deficiência hormonal ovariana. Devido sua ação estrogênica, a genisteína da soja pode manter a estrutura óssea. Exames de densiometria óssea comprovam que o consumo de soja retarda a osteoporose decorrente da idade, como também reduz significativamente a perda óssea total.

Diabetes e outras doenças

As fibras de soja exercem importante papel na regulação dos níveis de glicose no sangue, pois retardam sua absorção. Essa redução na velocidade de absorção da glicose auxilia no controle de diabetes. Há evidências de que o consumo da soja tem efeito positivo no controle de outras doenças como hipertensão, litíase (cálculos biliares) e doenças renais.

Aterosclerose
O hormônio vegetal isoflavona torna as artérias mais flexíveis e reduz o índice da doença.

Cinco Mil Anos de História
A soja é uma leguminosa domesticada pelos chineses há cerca de cinco mil anos. Sua espécie mais antiga, a soja selvagem, crescia principalmente nas terras baixas e úmidas, junto aos juncos nas proximidades dos lagos e rios da China Central. Há três mil anos a soja se espalhou pela Ásia, onde começou a ser utilizada como alimento. Foi no início do século XX que passou a ser cultivada comercialmente nos Estados Unidos. A partir de então, houve um rápido crescimento na produção, com o desenvolvimento das primeiras cultivares comerciais.
No Brasil, o grão chegou com os primeiros imigrantes japoneses em 1908, mas foi introduzida oficialmente no Rio Grande do Sul em 1914। Porém, a expansão da soja no Brasil aconteceu nos anos 70, com o interesse crescente da indústria de óleo e a demanda do mercado internacional.

Importância para alimentação;

Tornou-se um grão importante pela quantidade de nutrientes encontrados em sua composição, possui gordura, nove vitaminas e quatro minerais, que ajudam no desenvolvimento e manutenção do organismo humano, pesquisas mostram que o grão de soja consegui supri cerca de 50% da necessidade de ferro no organismo de mulheres e 100% em crianças e desde do século XIX ela é utilizada para ajudar pessoas que precisam de uma dieta especial, rico em nutriente e vitaminas.
A soja é composta por.
• Matéria Seca
• Proteína Bruta
• Matéria Gorda
• Carboidrato
• Matéria Mineral
• Potássio
• Sódio
• Fósforo
• Cálcio
• Magnésio
• Ferro
• Zinco
• Cobre

COMO VIVEM E MORREM OS ANIMAIS

a produção de vitela – carne muito branca e macia de bezerros mantidos em jaulas superapertadas para evitar que se movimentem. Para acentuar a brancura da carne, os criadores não permitem que o bezerro coma grama ou grãos, só leite – a dieta tem que ser pobre em ferro e em outros nutrientes, forçando uma anemia no animal. Com isso, torna-se necessário o consumo de antibióticos, para diminuir o risco de infecções do animal desnutrido. “A vitela deveria ser proibida no mundo inteiro”, afirma o agrônomo e etólogo Luiz Carlos Pinheiro Machado Filho, especialista em técnicas de manejo da Universidade Federal de Santa Catarina.

Para matar um boi, primeiro se dá um disparo na testa com uma pistola de ar comprimido. O tiro deixa o animal desacordado por alguns minutos. Ele então é erguido por uma argola na pata traseira e outro funcionário corta sua garganta. “O animal tem que ser sangrado vivo, para que o sangue seja bombeado para fora do corpo, evitando a proliferação de microorganismos”, diz Ari Ajzenstein, fiscal do Serviço de Inspeção Federal (SIF), que zela para que as regras de higiene e de bons tratos no abate sejam cumpridas.

Em 1997, a ativista de direitos dos animais americana Gail Eisnitz escreveu o bombástico livro Slaughterhouse (“Matadouro”, inédito no Brasil), no qual acusava os matadouros de sangrar muitos animais ainda conscientes. isso acontece no Brasil.

O abate a marretadas está proibido no país, o que não quer dizer que não aconteça – já que quase 50% dos abates são clandestinos e, portanto, sem fiscalização. O problema da marretada é que não é fácil acertar o boi com o primeiro golpe. Muitas vezes, são necessários dezenas para desacordá-lo.

GALINHAS
Essas quase sempre levam uma vida miserável. Vivem espremidas numa gaiola do tamanho delas. As luzes ficam acesas até 18 horas por dia – assim elas não dormem e comem mais (isso acontece principalmente com as que produzem ovos). Seus bicos são cortados para que não matem umas às outras e para evitar que elas escolham que parte da ração querem comer – caso contrário, ciscariam apenas os grãos de seu agrado e deixariam de lado alimentos que servem para que engordem rápido.

A morte é rápida. As galinhas ficam presas numa esteira rolante que passa sob um eletrodo. O choque desacorda a ave e, em seguida, uma lâmina corta seu pescoço. O esquema é industrial. Hoje, nos Estados Unidos, são abatidas, em um dia, tantas aves quanto a indústria levava um ano para matar em 1930. Nas granjas de ovos, pintinhos machos são sacrificados numa espécie de liquidificador gigante

PORCOS

Não têm espaço nem para deitar confortavelmente. “São confinados do nascimento ao abate”, diz Pinheiro Filho. As gestantes são forçadas a parir atadas a uma fivela, apertadas na baia. O abate é parecido com o de bovinos, com a diferença que o atordoamento é feito com um choque elétrico na cabeça e que o animal é jogado num tanque de água fervendo após o sangramento, para facilitar a retirada da pele. Gail Eisnitz afirma, em seu livro, que muitos porcos caem na água fervendo ainda vivos.

PATOS E GANSOS
O foie gras, um patê tradicional e sofisticado, é feito com o fígado inflamado das aves. Os produtores colocam um funil na boca delas e as entopem de comida por meses, fazendo com que o fígado trabalhe dobrado. Isso provoca uma inflamação e faz com que o órgão fique imenso, cheio de gordura. Ou seja, o patê, na prática, é uma doença. Há movimentos pedindo o banimento do produto.

Techo extraído da Revista Super Interessante

atletas vegetarianos

ATLETAS FAMOSOS

andreas cahlingAndreas Cahling, fisiculturista sueco ganhou o Mister Mundo de 1980, é vegetariano há mais de 10 anos, tempo em que competiu nos rankings internacionais mais altos. Uma revista publicou que suas "apresentações nas competições de Mr. Universo e nos campeonatos mundiais de fisiculturismo, deu aos experts a impressão de que ele seria o próximo Arnold Schwarzenegger".

Bill Pickering da Inglaterra estabeleceu um recorde mundial nadando no canal que separa o país da França, mas a performance daquela ocasião foi pouco diante do fato de que com 48 anos, ele bateu um novo recorde mundial nadando no canal de Bristol. Bill Pickering é vegetariano.

Carl LewisCarl Lewis é considerado um dos atletas mais rápidos do mundo. Em 1991, bateu o recorde dos 100 metros com um tempo de 9,86 segundos. É o maior medalhista olímpico de todos os tempos. Carl Lewis é vegano.


Dave ScottDave Scott, da Universidade da Califórnia Davis, é um triatleta reconhecido como o melhor do mundo. Ele venceu o lendário Triatlon Ironman no Hawaii 4 vezes, inclusive durante 3 anos seguidos, e ninguém mais conseguiu vencer mais que uma vez. O evento consiste em provas seguidas de natação por 2,4 milhas no oceano, corrida de bicicleta por 112 milhas e, por último, uma maratona de 26,2 milhas. Dave diz que a idéia de que as pessoas, e especialmente os atletas, precisam de proteína animal, é uma "falácia ridícula". Há muitas pessoas que consideram Dave Scott o homem com o melhor preparo físico de todos os tempos. Dave Scott é vegano.

Éder JofreÉder Jofre - maior pugilista
brasileiro, conquistou seus títulos
sendo vegetariano e atribui muito de sua
resistência à dieta
vegetariana.

Edwin Moses. Entre 1977 e 1987 obteve 122 vitórias nos 400 metros com varas. Sua carreira inclui duas medalhas olímpicas de ouro, dois títulos mundiais e quatro recordes mundiais em sua especialidade. No auge de sua carreira obteve 122 vitórias consecutivas. Nenhum homem na história do esporte jamais dominou um esporte como Edwin Moses dominou a corrida dos 400 metros com obstáculos. Esse medalhista de ouro olímpico passou 8 anos sem perder uma única corrida, e quando a Sports Illustrated concedeu-lhe o prêmio "Esportista do Ano de 1984", a revista publicou que "nenhum atleta de outro esporte consegue ser tão respeitado por seus colegas como o Moses no atletismo". Edwin Moses é vegetariano.

Martina Navratilova

Martina Navratilova. Foi a primeira tenista a vencer nove vezes o torneio de Wimbledon, sendo seis vitórias consecutivas. Bateu o recorde de 74 títulos profissionais em 1984, e obteve durante sua carreira um total de 167 títulos.

Murray RoseMurray Rose tinha apenas 17 anos quando
ganhou 3 medalhas de ouro nos Jogos
Olímpicos de 1956 em Melbourne, Australia.
Quatro anos depois, nas Olimpíadas de
1960, ele se tornou o primeiro homem na
história a reter seu título nos 400 metros
e, mais tarde, ele bateu seus dois
recordes mundiais anteriores nos 400
metros e nos 1500 metros. Considerado
por muitos como o melhor nadador de
todos os tempos, Rose é vegetariano
desde os dois anos de idade.

Paavo Nurmi

Paavo Nurmi. O maratonista Paavo
Nurmi, "Finlandês Voador", bateu 20
recordes mundiais em corrida à distância
e ganhou nove medalhas Olímpicas de ouro.

Nos Jogos olímpicos realizados em
Paris em 1924 ganhou a corrida de
1500 metros e a de 5000 metros
na mesma tarde com somente
uma hora de descanso entre
uma e outra. Paavo é vegetariano.

Piero VenturatoPiero Venturato - O fisiculturista
Piero Venturato é duas vezes
campeão mundial de fisiculturismo
e sete vezes campeão italiano,
e cinco vezes campeão
europeu.


Roy Hilligan - entre seus vários títulos está a coroa de Mister America. Roy Hilligan é vegetariano.

Stan Price. Ele detém o recorde mundial de "bench press" em sua classe de peso. Stan Price é vegetariano.

Sixto Linares. Essa pessoa notável conta: "quando eu me tornei vegetariano, no segundo grau, meus pais se aborreceram muito por eu não comer carne ... Depois de 14 anos, eles estão finalmente aceitando que isso é o melhor para mim. Eles sabem que não vou morrer por causa disso.'

Sixto LinaresDurante os 14 anos em que os pais de Sixto relutantemente foram aceitando que sua dieta não o prejudicava, eles viram o filho bater o recorde mundial do triatlo mais longo, e demonstrar sua impressionante resistência, velocidade e força em benefício das entidades filantrópicas American Hearth Association, United Way, Special Children's Charity, Leukemia Society of America e a Muscular Dystrophy Association.

O preconceito contra o vegetarianismo, no entanto, estava tão enraizado que mesmo com o o filho demonstrando a possibilidade de ser o homem com melhor preparo físico jamais visto, seus pais só aceitaram sua dieta com relutância. Sixto diz que ele primeiro experimentou por um tempo a dieta ovo-lacto-vegetariana (sem carne, mas alguns derivados de leite e ovos), mas agora não ingere nem ovos e nem derivados de leite e se sente ainda melhor. E isso não parece enfraquecê-lo. Em junho de 1985, em um evento em benefício da Muscular Dystrophy Association, Sixto bateu o recorde mundial do triatlo de um dia nadando 4,8 milhas, pedalando por 185 milhas e então correndo por 52,4 milhas.

POR ESPORTE

Beisebol
Hank Aaron - campeão All Time Baseball Home Run
Jim Kaat - jogador de beisebol

Boxe
Éder Jofre

Futebol Americano
Joe Namath - Pro Football player (NY Jets)
Lawrence Phillips - Pro Football player (49ers)
Desmond Howard - Football Player (Redskins, Jacksonville Jaguars)

Basquete
B. J. Armstrong - Basketball Star
Bill Walton - Basketball Player

Olímpicos
Carl Lewis - estrela olímpico (vegano)
Paavo Nurmi - 20 recordes mundiais, 9 medalhas olímpicas em corrida à distância
Edwin Moses - campeão olímpico
Leroy Burrell - campeão olímpico
Murray Rose - nadador olímpico

Fisiculturista
Stan Price - detém recorde mundial em Bench Press
Andreas Cahling - Mr. International
Roy Hilligan - Mr. America
Bill Pearl - Bodybuilder, Mr. America e Mr. Universe
Bill Manetti - campeão em levantamento de peso
Pat Reeves - levantamento de peso (vegano)
Jack LaLanne - Fitness Guru (vegano)

Luta romana
Chris Campbell - 1980 campeão mundial de luta greco-romana
Killer Kowalski - luta greco-romana

Corredores de triatlon e maratona
Dave Scott - 6-vezes vencedor de Ironman Triathlon
Sixto Linares - REcordista mundial em Triathlon 24 horas
Lucy Stephens - Triatleta (vegana)
Debbie Lawrence - detentora de recorde 5k
Ruth Heidrich - 3 vezes Ironman, maratonista & recordista em sua faixa etária (vegana)
Sally Eastall - maratonista (vegana)

Artes marciais
Ridgely Abele - 8 vezes campeão nacional em karatê

Tênis
Bille Jean King - campeão de tênis
Martina Navratilova - campeã de tênis (vegana)
Peter Burwash - campeão de tênis (vegano)

Skate
Brad Staba - Pro Skateboarder
Andrew Reynolds - Pro Skateboarder
Brian Sumner - Pro Skateboarder
Brian Anderson - Pro Skateboarder
Sergei Trudnowski - Pro Skateboarder
Rick Mc Crank - Pro Skateboarder
Ed Templeton - Pro Skateboarder
Jamie Thomas - Pro Skateboarder
Geoff Rowley - Pro Skateboarder
Steve Berra - Pro Skateboarder
Laban Pheidas - Pro Skateboarder

Skating
Sorya Bonali - Ice Skater
Joanna Conway - Ice Skater

Mitos e fatos sobre a vitamina B12


A maioria dos que optaram pela dieta vegetariana sabe que os vegetarianos vivem mais, têm menor incidência de câncer e menor risco de ataques e doenças do coração. As refeições vegetarianas (e vegans inclusive) fornecem as quantidades adequadas de todos os nutrientes que precisamos - com a possivel exceção da Vitamina B-12, que é importante na produção de hemácias e na manutenção do sistema nervoso.

A B-12 é uma vitamina essencial que é produzida somente por microorganismos tais como bactérias, fungos e algas; animais e plantas não podem sintetizar B-12 (os animais são fontes de B-12 para os não-vegetarianos porque animais ingerem microorganismos).

Os vegetais que não são lavados também podem conter quantidades significativas se estiverem contaminados com bactérias produtoras de B-12. No entanto, em países desenvolvidos, onde os vegetais são lavados durante a colheita, essas bactérias são facilmente perdidas.

A necessidade da Vitamina B-12 é pequena. A dose diária recomendada é de 2 microgramas (mcg), e os estudiosos acreditam que 1 mcg/dia pode ser suficiente [1]. A deficiência é rara, já que nossos organismos normalmente armazenam suprimentos de B-12 para vários anos, conservando-a e reabsorvendo-a dos nossos resíduos.

De longe, o problema mais comum com relação à B-12 não é a deficiência na dieta, mas sim a incapacidade que uma minoria de pessoas tem de absorvê-la devido à deficiências enzimáticas; essas pessoas podem receber injeções periódicas de B-12. Devemos consultar um médico se sentirmos que pode haver uma deficiência de B-12 em nosso organismo.

A dose necessaria é pequena e a deficiência é rara ... As fontes de B-12 incluem cereais enriquecidos, leite de soja enriquecido, suplementos e levedura nutritiva enriquecida.

Os lacto-ovo-vegetarianos que ingerem uma variedade de alimentos não têm problema em atender todas as necessidades vitamínicas, incluindo a B-12. Os lacto-vegetarianos também têm pouca dificuldade em obter B-12 em suas dietas. Entretanto, os vegans podem sofrer de deficiência de B-12 se não fizerem o esforço consciente de incluir uma fonte confiável de B-12 em suas dietas.

Vários do alimentos que se pensava que continham B-12, na realidade não a contêm, ou contêm apenas substâncias similares à B-12 mas que não possuem atividade biológica e podem até inibir a absorção de B-12.

Os seguintes alimentos não contêm B-12 ou contêm apenas substâncias similares à B-12 [2]:

Tempeh
Amarante (Pau-roxo)
Tamari
Shoyu
Espinafre
Misô
Alfafa
Nabo
Ameixa Japonesa (Umeboshi)
Alga
Legumes
Tofu
Espirulina (tipo de alga)
Amendoim
Malte de Cevada
Confrey
Feijão de Soja
Pão Sourdough
Água de Chuva
Cogumelos Shiitake


As fontes confiáveis de B-12 podem ser encontradas facilmente em vários cereais enriquecidos, leite de soja enriquecido (como o Eden Soy Extra), alguns substitutos da carne ("carne" e "hamburguer" vegetais) e todos os suplementos multivitamínicos comuns (veja se o rótulo consta do seu nome científico "Cianocobalamina").

As leveduras nutritivas enriquecidas, tais como a Red Star T6635 (uma colher de sopa fornece 4 mcg) tambem são uma fonte excelente.

Defensor dos direitos animais assume cargo legislativo nos EUA e já enfrenta retaliação

Cass Sunstein

Cass Sunstein. Reprodução: World Net Daily


De acordo com um grupo de consumidores, o Presidente Obama nomeou um “defensor louco dos direitos animais” um para um cargo fundamental de legislação.

David Martosko, diretor do Center for Consumer Freedom (Centro pela Liberdade do Consumidor em tradução livre), disse à Fox News que Cass Sunstein, o professor de Direito de Harvard nomeado por Obama para ser administrador do Departamento de Informações e Questões de Legislação, é um obcecado por direitos animais e devoto de Peter Singer.

Martosko insinuou que Sunstein pode esconder posicionamentos impróprios, citando algumas idéias de Singer que defendem o aborto e fazendo interpretações próprias a respeito, chegando a supor que Sustein considere mais um Border Collie do que uma criança com deficiência mental.

Por hora, Sunstein já declarou ser contra o consumo de carne, mas seus esforços estão concentrados em uma lei que proíba a caça de animais, “já que as pessoas só o fazem por esporte e diversão”. Sustein também disse que espera que o sofrimento injustificado contra animais torne-se moralmente bárbaro e comparável à escravidão e holocausto humano.

Sunstein também é defensor da idéia de que animais devem ser protegidos pela lei, e que através de humanos representantes possam mover processos na justiça. Ele foi pioneiro em defender publicamente direitos constitucionais para animais de fazendo, pets e animais silvestres.

Martosko teme que Sunstein use seu poder para “promover o fim das fazendas de corte, prejudicar as vendas de carne e proibir pesca e caça, testes em animais, compra de pets, zoológicos, circos e outras coisas que os americanos gostam [...]“.

“Os americanos não entendem que os próximos quatro anos podem ser repletos de iniciativas bizarras em prol dos sonhos malucos do extremismo dos direitos animais,” declarou Martosko.

Com informações de World Net Daily

China anuncia primeiro panda gerado de esperma congelado

PEQUIM - A China anunciou o primeiro nascimento bem-sucedido de um filhote de panda gerado por meio de inseminação artificial utilizando esperma congelado. Isso abre uma nova opção para a multiplicação dos animais, que são péssimos reprodutores, disseram autoridades.

Nascimento de panda surpreende veterinários na Tailândia

Fêmeas de panda são férteis apenas três dias ao ano, o que é um dos motivos que torna a espécie ameaçada.

A fêmea Yo Yo deu á luz o novo animal na quinta-feira, 23, no Centro de Pesquisa de Pandas Gigantes Wolong, em Sichuan. Este é o terceiro filhote de Yo Yo, e o décimo a nascer em Wolong.

Pouco depois do amanhecer o filhote rosado surgiu a sua mãe lambeu-o, para limpá-lo, de acordo com imagens transmitidas pela TV estatal CCTV.

Pesquisadores disseram acreditar que este é o primeiro panda concebido a partir de esperma congelado a nascer. “Tentamos antes, mas fracassamos”, disse o pesquisador Huang Yan, do Centro de Pesquisa e Preservação de Pandas da China.

A técnica também foi tentada em outros países, mas este foi o primeiro nascimento de um filhote vivo, disse ele.

O esperma, de um macho chamado Lolo, estava congelado “havia alguns anos”, disse Huang, sem oferecer mais detalhes.

Inseminação artificial é comumente usada na reprodução de pandas, que têm um instinto sexual muito fraco. Em 2006, 34 pandas nasceram na China por meio de inseminação artificial e 30 sobreviveram, Os dois números representam recordes para a espécie.

Fonte: O Estado de São Paulo

sábado, 25 de julho de 2009

Macacos invadem e se divertem em piscina de resort na Tailândia

A piscina de um resort na Tailândia foi invadida por macacos. O vídeo da emissora de TV norte-americana ‘ABC News’ mostra, pelo menos, oito primatas se divertindo na piscina. Alguns deles chegaram até a nadar. Clique aqui para assistir ao vídeo.

Foto: Reprodução/ABC News

O vídeo mostra, pelo menos, oito primatas se divertindo na piscina. (Foto: Reprodução/ABC News)

Espécies deixam o fundo do oceano e ocupam a costa de diversos países

Foto: site Isto É

Foto: site Isto É


A cena atípica aconteceu num final de tarde em Oceanside, praia de San Diego, na Califórnia. Banhistas saíram amedrontados do mar. Mergulhadores profissionais nadaram fortemente para alcançar a areia - e estampavam no rosto assombro e preocupação. Surfistas recuaram de um momento para outro. “Estava sobre a prancha quando percebi a movimentação das pessoas. Mergulhei e vi uma criatura marinha de quase dois metros de comprimento”, diz o americano John Guilmette. Ele se deparou, naquela abafada tarde, com uma lula gigante que pesa cerca de 45 quilos, pertence à espécie Humboldt e ataca o que encontra pela frente.

Segundo biólogos dos EUA, mais de duas mil Humboldt foram vistas na costa da Califórnia na semana passada, e a surpresa está no fato de que elas viviam, até então, nas profundezas do oceano Pacífico. Também nas Ilhas Balneares e em diversos pontos do litoral da Catalunha a cena se repetiu: a medusa caravela-portuguesa, cujo veneno é um dos mais letais que se conhece, apavorou os banhistas. Na costa norte da Austrália, os “monstros” também se fizeram presentes sob a forma da água-viva “vespa do mar”. Mas há mais: no Japão uma quantidade incalculável de águas-vivas gigantes se espalhou pela água. Cabe a questão: por que esse fenômeno? Biólogos marinhos são unânimes: ele é fruto do desequilíbrio ambiental.

“Estamos sendo invadidos por um número gigantesco de águas-vivas. São mais de 300 milhões delas e esse movimento migratório prova que o oceano está doente. Elas estão à procura de alimento”, diz o biólogo e oceanógrafo japonês Shinichi Eu, da Universidade de Hiroshima. A água-viva gigante que está atacando os pescadores no Estreito de Tsushima chega a medir dois metros de diâmetro e pesa cerca de 200 quilos. A indústria pesqueira japonesa estima que o ataque causará um prejuízo de US$ 320 milhões.

Na mesma situação, e com alto risco de morte, estão os australianos que habitam áreas costeiras. Lá há o avanço da água-viva vespa do mar. Ela é linda. E agressiva. A ação de seu veneno é tão rápida e potente que a vítima não tem tempo de nadar para a praia, morre no mar. Quem mergulha na Grande Barreira de Corais australiana, um dos cartões-postais do país, sabe da existência de um pequenino “monstro” de 12 centímetros de comprimento chamado polvo de anéis azuis. Inversamente proporcional ao seu tamanho é a potência de seu veneno: aniquila 20 homens.

O fato é que a morte de muitos corais, devido à acidez do mar, quebrou a cadeia alimentar - desapareceram caranguejos e camarões e, com isso, o polvo de anéis azuis aproxima-se cada vez mais da costa para suprir suas necessidades. O governo da Austrália acaba de montar um plano de emergência tentando proteger os banhistas.

MIGRAÇÃO : A falta de nutrientes causada pela acidez dos oceanos obriga os animais a mudar de hábitat.

Na paradisíaca Península Ibérica o ataque em massa da caravela-portuguesa atraiu pesquisadores de toda a comunidade científica europeia. “O aquecimento global é a esfera maior. Em uma de suas camadas está o desequilíbrio ambiental”, diz o analista geográfico da Universidade de Alicante Jorge Olcina. “Fizemos diversos estudos e comprovamos que há uma série de desequilíbrios no ecossistema do mar. Isso se traduz na proliferação de medusas que estão invadindo praias da Catalunha.” Foi o mesmo fenômeno que se deu na Califórnia. Milhares de lulas com mais de um metro de comprimento, dotadas de cortantes tentáculos, invadiram as águas de San Diego. “Todos ficaram assustados por nadar lado a lado com um monstro das profundezas.

Nossas máscaras foram envolvidas por tentáculos”, diz o biólogo marinho americano John Hyde. Ele acrescenta que essa espécie de lula é conhecida como “diabo vermelho” e que seu comportamento se alterou: “Sempre viveram em águas profundas da América Central, mas agora passaram a invadir o sul da Califórnia. Temos de prestar atenção a esses sinais da natureza.” Em outras palavras, o sinal dado por esse movimento migratório é o da falta de alimentos e do declínio no número de predadores naturais.

Fonte: Isto É

Ação Direta de ativistas em elevado contra o rodeio de Jaguariúna (SP)

Ativistas da causa animal fizeram uma intervenção em Campinas colocando uma grande faixa sobre um elevado desativado sobre a Avenida John Boyd Dunllop (umas das mais importantes da cidade), na altura da Vila Teixeira contra o Rodeio de Jaguariúna e contra os rodeios em geral. Sobre a faixa estava escrito: - CHEGA DE VIOLÊNCIA - RODEIO É COVARDIA - . O elevado é uma ponte do desativado metrô de superfície e a faixa é visível no sentido bairro-centro.

Podemos observar, pelas imagens, que os ativistas, nesta Ação Direta, usaram como material um cartaz que já estava sendo usado em algum out-door para divulgar este evento de crueldade aos animais.
Pessoas que passam pelo local elogiam o protesto e manefestavam repúdio aos rodeios.
Tortura não é cultura. Torturar qualquer ser vivo é uma prática hedionda que deve ser repugnada e totalmente abolida. No caso dos rodeios, os animais são usados para entretenimento, sendo que o capitalista, dono dos animais, é o que lucra num evento que causa alienação total na população.
Boicotem os rodeios.
—————————
Para saber mais sobre os rodeios e as torturas praticadas aos animais vejam este site: http://www.odeiorodeio.com/site/
—————————

Cachorro cego no Reino Unido conta com ajuda de companheira-guia

Um cachorro cego no Reino Unido conta com seu próprio cão-guia. O animal da raça border collie chamado “Clyde” confia em sua parceira e companheira “Bonnie” para orientá-lo, segundo reportagem do jornal inglês “Daily Mail”.

A cadela “Bonnie” orienta seu colega durante passeios ou mesmo quando ele precisa comer ou beber água. Quando eles estão juntos, “Clyde” parece um cão normal, plenamente capaz.

Cego, cão chamado 'Clyde' conta com um guia, a cadela 'Bonnie'. (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Cego, cão chamado 'Clyde' conta com um guia, a cadela 'Bonnie'. (Foto: Reprodução/Daily Mail)


O inseparável casal foi resgatado da rua há três semanas. Agora, um centro de proteção e cuidados de animais está procurando uma nova casa para eles.

Segundo Cherie Cootes, de 40 anos, que trabalha no centro de resgate de cães “Meadow Green”, em Londres (Reino Unido), “Clyde” ficaria perdido sem “Bonnie” e, por isso, eles precisam ser adotados juntos.

“Ele depende totalmente dela o tempo todo. Quando caminha, ela tende a parar para ter certeza que ele está lá. Ela enxerga por ele”, afirmou Cherie, destacando que não existe a menor possibilidade deles serem adotados separadamente.

Fonte: G1

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Despacho repleto de aves mutiladas surpreende pesquisadores em reserva dos EUA

Um estudante voluntário que pesquisava sobre tubarões na reserva de Elkhorn Slough encontrou algo medonho, um espaço repleto de despachos sangrentos.

Despacho com garrafas, velas e partes de animais mutilados

Foto cortesia por Mercury News


“Havia várias galinhas mutiladas e velas,” disse Matt Metzger, 17. “Sou da Carolina do Norte, não costumo ver essas coisas.”

Metzger, um estudante do ensino médio, está passando 10 dias na Califórnia, trabalhando com o pesquisador Sean Van Sommeran na Pelagic Shark Research Foundation. A equipe estava pesquisando tubarões quando Metzger subiu em uma elevação para tirar algumas fotos.

“Comecei a sentir cheiro de cadáver, e fui seguindo o fedor até encontrar as galinhas,” ele disse.

Sommeran relatou que a equipe encontrou diversos despachos, alguns mais recentes e outros antigos, repletos de velas com imagens religiosas de esqueletos, pés e cabeças de aves e garrafas de vinho e uísque.

“Foi uma cena grotesca, isso é crueldade animal,” disse Sommeran.

Ken Collins, integrante da fundação, disse que só havia visto coisas parecidas em fotos. “Nós nunca encontramos nada tão violento e com apelo religioso em nossa propriedade”, disse Collins, demonstrando dúvida ao usar a palavra “religioso”.

O pesquisador complementou que além da questão óbvia de direitos animais, havia ainda todo o lixo deixado nos despachos. A equipe terá que limpar tudo e esperar que os responsáveis pelo ato desistam de continuar, já que seus “trabalhos” foram descobertos.

Nota da Redação: É com enorme estranhamento e repugnância que os americanos reagem aos despachos com animais sacrificados. Nós, brasileiros, por outro lado, nos deparamos diariamente com estas cenas de horror nas encruzilhadas de nossas ruas, claras demonstrações do descaso com os direitos animais e conivência com práticas de crueldade em nome da religião.

Com informações de Mercury News

Leopardo considerado extinto é encontrado em Bangladesh

Foto: Época

Foto: Época


O filhote de leopardo-nebuloso (Neofelis nebulosa), de três meses de idade, foi avistado por um habitante do distrito de Chittagong Hill Tracts, no sudoeste do país.
O animal estava junto com a mãe e um irmão na floresta, comendo restos de um macaco morto. Apenas ele foi capturado. A intenção da pessoa era vender o leopardo, mas, com a propagação da notícia, ele acabou sendo convencido pelos ambientalistas a desistir da ideia e devolvê-lo à natureza.

O professor Anwarul Islão, chefe do Wildlife Trust, de Bangladesh, se diz encantado com a descoberta do animal.”É bom saber que eles ainda estão por lá e se reproduzindo”, afirma.

A última vez que um leopardo-nebuloso foi visto em Bangladesh foi em 1992. Em todo o mundo, há cerca de 100.000 exemplares da espécie, que consta na lista de animais criticamente ameaçados de extinção da União Internacional para a Conservação da Natureza.

Os ambientalistas lutam para poder vencer uma grande batalha em Bangladesh: conscientizar a população de um país pobre, onde a conservação da natureza raramente é uma prioridade, sobre a importância de preservar a floresta e os animais que por lá vivem.

Fonte: Época

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Polícia Ambiental faz apreensões de armas de caça em 2 cidades


Ibitinga - A Polícia Ambiental apreendeu duas armas de fogo, munições de diversos calibres e materiais para a prática de caça no distrito de Cambaratiba, na região de Ibitinga (90 quilômetros de Bauru). Ontem à tarde, houve apreensão de uma espingarda com silenciador e mira laser em Macatuba (46 quilômetros de Bauru).
A denúncia de um morador, de que estaria ocorrendo a caça indiscriminada na região de Ibitinga, levou os policias até o distrito de Cambaratiba. De acordo com o morador, os caçadores estariam vendendo e estocando carne de capivaras e, inclusive, deixando restos de animais na margem do rio. O que estaria causando odor insuportável pelo local.
Com mandado de busca e apreensão, expedido pela Justiça, os policiais sargento Reato, cabo Oliveira e soldado Machado, da Patrulha Ambiental Rural de Ibitinga, realizaram diligências em uma residência suspeita.
No local foram apreendidas uma espingarda cartucheira calibre 32, uma garrucha calibre 36, grande quantidade de munição de diversos calibres, além de materiais utilizados para a prática de caça de animais silvestres.
O proprietário das armas, A.A.O. (somente as iniciais foram divulgadas pela polícia), foi autuado em flagrante por crime ambiental conforme previsto no artigo 12 da Lei Federal 10.826 de 2003 e o artigo 329 do Código Penal Brasileiro, por oferecer resistência à prisão.
Mira laser
A Polícia Ambiental de Barra Bonita apreendeu, ontem por volta das 16h50, uma espingarda calibre 22 sem registro, com silenciador, mira laser e vários cartuchos de diversos calibres.
A Justiça autorizou o mandado de busca para que os policiais fossem até a residência na rua José Florenzano, no Jardim Veneza, onde foi apreendida a arma. A polícia também teve informação de que o proprietário usava a arma em caça.
No local também houve apreensão de 10 quilos de carne com suspeita de ser de animal silvestre, mas ainda dependia de perícia para comprovação. O proprietário da arma foi levado à delegacia de Macatuba, onde foi autuado por porte ilegal de arma e depois seria conduzido à Cadeia de Duartina. Se comprovado que abateu animal silvestre, ele pode ser processado por crime ambiental. Na delegacia alegou que a arma é “relíquia de família.”
Fonte: JC Net

Abrigo matava animais em câmara de gás na cidade de Austin


Por Marcela Couto (da Redação)
O abrigo de animais do condado de Taylor, no Texas, é pequeno e discreto, ocultado por um aterro industrial que cerca toda a propriedade. Os arredores do local não chamam atenção, porém uma caixa de madeira atrás do abrigo causou uma séria polêmica e uma mudança repentina.

Foto por News 8 Austin
Até alguns dias atrás, esta caixa era utilizada como câmara de gás. Os canos que entravam pelas bordas da caixa puderam ser vistos claramente pelos defensores dos animais.
“Nenhum animal será sacrificado desta forma novamente em Taylor,” declarou o capitão da polícia local, Don Georgens.
“Os animais mortos dessa forma sofrem um choque terrível, muitas vezes leva muito tempo para que fiquem inconscientes,” disse a porta-voz do Austin Pets Alive, Laura Stromberg.
A polícia de Taylor, que fiscaliza o abrigo, disse que assim que o local recebeu denúncias iniciou uma pesquisa em outros abrigos da cidade. Quando os responsáveis constataram que o abrigo era o único que ainda usava monóxido de carbono ao invés de injeções, resolveram mudar a situação.
Dr. Larry Miller é veterinário há mais de 40 anos e vive em Taylor. Ele declarou que o abrigo possuía recursos limitados, e por isso a câmara de gás permaneceu funcionando por tanto tempo. “O gás é apenas um forma um pouco mais dura de matar, o verdadeiro problema aqui é que o abrigo não recebe ajuda suficiente,” disse.
Os defensores dos direitos animais alegaram que não havia desculpa para a situação. “Não existe razão para uma coisa dessas acontecer, não em pleno 2009,” disse Stromberg.
Desde Janeiro, o abrigo matou 23 animais e abrigou 27.
Os responsáveis pelo local declararam que “têm esperança que esses números mudem”.
:Com informações de News 8 Austin

TCC defendendo direitos animais recebe nota máxima em curso de Direito


“Aos animais explorados diariamente no mundo e às pessoas que lutam por sua libertação” foi a dedicatória do TCC feito por Marianne Weber Teixeira de Araújo Vianna, orientada pela Dra Maria de Nazareth Agra Hassen.
O trabalho, cuja apresentação tocou os participantes, recebeu a nota máxima da banca. Intitulado “Desafio aos Hábitos Alimentares: a libertação animal também é a libertação humana”, o texto analisa as origens do domínio humano sobre os animais, visando desvendar os motivos pelos quais o homem julga-se no direito de explorar os demais seres não pertencentes à sua espécie. O texto enfatiza o reconhecimento dos animais na esfera moral e a modificação do seu status no ordenamento jurídico.
(Com informações do GAE)

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Veganismo: um estilo de vida revolucionário - Sobre o 12o FVI


22 a 25 de julho de 2009 - PUC-Rio

O mundo clama por paz, respeito, dignidade. O meio ambiente está sendo impiedosamente dizimado orkute dá o seu troco. Os recursos naturais se esgotam diante da exploração insustentável e perdulária imposta por um modo de vida consumista. Perdemos a diversidade das espécies sem nem mesmo conhecê-la. Há doenças, obesidade, sofrimento, fome.

Depois de tantos anos de ideário 'paz e amor', 'igualdade entre gêneros e etnias', 'liberdade de expressão' e 'respeito à natureza' ainda engatinhamos, delegando a outros essa tarefa. Ao mudar nosso estilo de vida podemos desempenhar um papel fundamental na construção desse mundo melhor que todos queremos, onde a pomba branca da paz tenha onde pousar seus fatigados pés.

Venha conhecer o estilo de vida vegano e assuma as rédeas da própria vida:
seja a mudança que você quer ver no mundo

No meio da maior floresta urbana do mundo, num dos lugares mais aprazíveis do Rio de Janeiro, entre sagüis e árvores centenárias margeando um riacho murmurante:

  • Conferências, oficinas, encontros e seminários com palestrantes do mundo todo
  • Nutrição vegana e demonstrações culinárias com chefs de cozinha nacionais e internacionais
  • Impacto da dieta centrada na carne sobre a saúde humana, animal e ambiental
  • Fundamentação ética, religiosa e filosófica do veganismo
  • Arte e música
  • Comidinhas ótimas
  • Feira de Desenho Vivo
  • Comércio justo, ético e sustentável

Proibição de animais nos parques de Belo Horizonte (MG) gera polêmica


É proibida a entrada de animais em parques de Belo Horizonte. A determinação é antiga, mas nas férias a administração dos parques intensificou a fiscalização. Os animais são barrados, o que tem gerado polêmica. Em Belo Horizonte, há 68 parques e o regulamento vale para todos.


O Parque Rosinha Cadar, no Bairro Santo Agostinho, colocou uma placa logo na entrada para informar os frequentadores sobre as restrições. Além de animais, bicicletas, bolas e até petecas também são itens proibidos.


“Tive de voltar para casa com cara de decepção dos dois lados”, disse a funcionária pública Ana Paula Franco, referindo-se à filha e ao cachorro. “Tanto a criança quanto o cachorro estavam esperando uma tarde de lazer. Infelizmente, minha filha está de férias, mas a gente não tem um parque em que ela possa ir com bola e bicicleta. Aqui já não pode mais e a cachorrinha também não pode entrar”, reclama.

No Parque Renato Azeredo, o uso de brinquedos para crianças está liberado, mas a entrada de animais também é proibida. As fezes deixadas pelos animais são a principal reclamação.


A analista de sistemas Maria Auxiliadora Tertuliano lidera um grupo que é contra o regulamento da Fundação de Parques Municipais de Belo Horizonte. “Nós, frequentadores há vários anos, fazemos bom uso dos parques, recolhemos as fezes dos animais e não destruímos o patrimônio público. Nós nos sentimos muito discriminados“.


“Essa não permissão para a entrada de animais domésticos é antiga. Nas férias, as mães querem trazer os filhos pequenos para brincar no parque. Aqui, ao encontrar animais domésticos, alguns de grande porte, elas acabam se afugentando do parque. Então, todo ano, nas férias, a gente tem que coibir a entrada daquilo que pode perturbar a população”, afirmou Cleber Maia, diretor de operações da Fundação de Parques.


Segundo a Fundação de Parques, a proibição de animais é baseada em normas da Vigilância Sanitária, mas não vale para os casos de cães guias. O uso de brinquedos particulares é determinado pela direção de cada parque.


Fonte: G1

Pelos animais, consumidoras dão preferência a cosméticos ‘cruelty free’

Termo em inglês é usado para produtos que não são testados em animais.
Blogueiras de São Paulo usam a internet para falar sobre a prática.

Os cosméticos são tão presentes no dia-a-dia das amigas Juliana Eliezer, de 30 anos, e Luciane Zardo, de 28 anos, quanto as três refeições diárias. Assim como as duas se preocupam com a qualidade da comida, elas passaram a ter um novo hábito ao comprar cosméticos: olhar o rótulo dos xampus e hidratantes para ver se o fabricante testa o seu produto nos animais.

Empresa que não testa, ou seja, que é “cruelty free” (em tradução livre: sem crueldade) ganha pontos com as meninas. “Se eu tenho a opção de um similar que não é testado em animais, fico com ele. A não ser que a diferença de preço seja exorbitante, algo que realmente eu não possa arcar sem prejudicar o meu orçamento”, afirma Juliana.

A amiga Luciane pensa do mesmo jeito. “Dou preferência, pois, se há produtos semelhantes, porque preferir um que é testado?”, diz a jovem. A dupla de São Paulo, que mantém o blog sobre cosméticos “Vende na Farmácia?”, deixa claro que não é tão rigorosas na escolha, apenas que isso “é só uma pequena atitude” diante das prateleiras.

Tendência

Para Carlos Rosolen, diretor da entidade de proteção Projeto Esperança Animal (PEA), em São Paulo, essa atitude é tendência e vem moldando a forma como as empresas lidam com os testes indispensáveis antes de lançar qualquer produto no mercado. “Os consumidores estão optando por produtos que não são testados em animais. Quem ficar parado neste progresso vai perder mercado”, diz Rosolen.

A empresária do ramo de cosméticos Clélia Angelon também observa uma maior consciência do consumidor brasileiro. “É uma tendência universal. Hoje, as pessoas pensam antes de comprar um produto. Elas estão se questionando se uma embalagem bonita não é mais importante que a ética na fabricação dela”, diz ela.

Para a professora Juliana Ferreira, de 30 anos, a preferência por cosméticos livres de crueldade já dura dois anos. Vegetariana há 11 anos, ela só se preocupou com os testes quando começou a comprar e a usar mais cosméticos no dia-a-dia.

A professora conta que o hábito começou depois que ela morou um tempo nos Estados Unidos. “Lá tem muito mais opções que aqui”, lamenta Juliana, que criou recentemente o blog “Cruelty free make up” para trocar ideia e informações sobre produtos “livres de crueldade”.

Vídeos na internet

Foi após ver vídeos com testes em animais na internet que a estudante Juliana Settimi, de 23 anos, decidiu mudar os hábitos. “Eu não podia ser uma vegetariana incompleta”, dispara a jovem.

Hoje, a estudante tenta convencer as amigas a consumirem produtos “cruelty free”. “Tem gente que nem sabe que os produtos são testados em animais, quanto mais que eles podem não ser testados”, afirma a jovem.

Mas tanto a Juliana professora quanto a Juliana estudante lamentam a dificuldade que é encontrar absorvente e creme dental “livres de crueldade”. “Aí, não tem jeito mesmo, falta opção”, diz a estudante Juliana.

Testes

A polêmica dos testes em animais, no entanto, está longe de acabar. Isso porque os testes são feitos justamente para identificar e diminuir os riscos de reações adversas antes de um produto começar a ser vendido no mercado.

“O teste feito em animal dá parâmetro de quantidade da substância necessária em um cosmético. O teste vai apontar se deve ser usado mais ou menos dessa substância, por exemplo”, esclarece o biólogo Octavio Presgrave, coordenador do grupo técnico de cosméticos do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

Para cosméticos, diz Presgrave, os principais animais utilizados são os roedores, como o coelho. “O animal é a última fase de teste antes dos humanos”, diz o biólogo.

Segundo ele, testar em animais, ao contrário do que se pensa, pode sair mais caro que usar métodos alternativos. “Também existe a pressão para se deixar de usar animais”, acrescenta.

A evolução nos teste, diz Presgrave, se dá ao menos na quantidade de animais usados. “Se antes eram entre 30 e 40 animais para testes de alergia, por exemplo, hoje em dia, são dez”.

Como saber

A indicação de que um cosmético é “cruelty free” costuma vir indicada na embalagem, mas nem todas as empresas optam por deixar esta informação à mostra. O empresário Flávio Pioker, também do ramo de cosméticos, diz que as vendedoras da sua loja são treinadas para descrever a filosofia “verde” da empresa. “A gente tenta informar o cliente, conversar, para ele entender a diferença”, afirma o empresário.

Mas em tempos de internet, não é necessário muito esforço para descobrir as empresas que testam ou não. No site do PEA, por exemplo, há uma lista com 103 empresas “cruelty free”. Segundo o diretor Carlos Rosolen, cerca de cinco fabricantes entram na lista todos os anos.

FONTE: G1

domingo, 19 de julho de 2009

Tutores de animais perdidos que colocam faixas em SP são vítimas de extorsão


Cartaz divulga dados sobre cão perdido em Higienópolis (Foto: G1/G1)

Cartaz divulga dados sobre cão perdido em Higienópolis (Foto: G1/G1)

Tutores de animais que espalham faixas e cartazes por São Paulo em busca de seus bichinhos oferecendo recompensa estão sendo vítimas de tentativas de extorsão. Aproveitando-se do desespero das vítimas por recuperar seus cães, os golpistas ligam dizendo que estão os animais, mas na hora do encontro fazem de tudo para ficar apenas com o dinheiro.

A agente de viagem Nalzira Peres, de 38 anos, perdeu o lhasa apso Billy no dia 8 de junho, em Higienópolis, região central de São Paulo. Desde então, espalhou cartazes e faixas, deixou mensagens em sites, andou pelas ruas do bairro e até contratou um carro de som em busca do bichinho, oferecendo recompensa de R$ 500. No total, ela contabiliza cerca de 15 ligações que se mostraram golpes.

“De todas as pessoas que ligam, cerca de 30% são boas, querem ajudar, e 70% ruins, só querem o dinheiro. A pessoa liga, fala que achou o cachorro, mas quando você vai no lugar é mentira. Eles fingem que vão buscar o cão, mas querem o dinheiro primeiro”, conta Nalzira.

Segundo ela, todos os golpes têm algo em comum: as ligações ou encontros são marcados à noite. “Fomos até o ponto marcado pelo rapaz que dizia estar com o Billy, mas quando chegamos, em três pessoas, ele queria que só uma subisse no prédio para pegar o cachorro. Não aceitamos, e ele começou a enrolar, pedir dinheiro”, contou. “Nisso, passou um carro da guarda civil, que meu marido chamou. O cara tentou enrolar o guarda e acabou fugindo”.

Telefone exclusivo

Mesmo comprando um telefone celular e criando um email exclusivos para centralizar as buscas por Sasha, sua poodle sumida desde 22 de maio na região de Santo Amaro, Zona Sul de São Paulo, a taróloga Mariana Santos, de 50 anos, não escapou de ser vítima de tentativas de extorsão.

O animal foi roubado junto com seu carro, e Mariana ofereceu, nos cartazes e faixas colocados, R$ 1.500 de gratificação para quem o encontrar. “Recebo muitos trotes, gente que liga e diz que não vou encontrar meu animal nunca mais”, contou. “Uma vez, fui atrás de uma mulher que disse estar com a Sasha, mas não era ela. A mulher quis que eu ficasse com o animal de qualquer jeito, queria o dinheiro, tive que fugir do lugar”.

A taróloga também diz que, em suas buscas pela cadela, sofreu ameaças. “Já cheguei em locais em que disseram para eu ir embora senão ia levar tiro. Não quero meu carro de volta, só a Sasha. Quem roubou o carro está com ela”.

A taróloga Mariana Santos espalhou cartazes de Sasha pela cidade (Foto: Reprodução/Divulgação)

A taróloga Mariana Santos espalhou cartazes de Sasha pela cidade (Foto: Reprodução/Divulgação)

Vítima das mesmas tentativas de golpe, o vendedor Leonardo Freitas, de 32 anos, já esperava receber ligações que estivessem mais interessadas em seu dinheiro que em recuperar seu Golden Retriever, mas resolveu encarar os riscos. “Só fui me encontrar com pessoas que deram descrições bastante semelhantes ao meu cachorro. Fiquei atento a quem só queria o dinheiro e nem dei trela”, explicou ele, que perdeu seu animal de estimação no início de julho.

Cidade Limpa

Além dos riscos de ameaças, quem distribui cartazes e faixas pelas ruas da cidade está infringindo a Lei Cidade Limpa. Os tutores de animais ouvidos pelo G1 contaram que suas faixas foram retiradas muitas vezes no mesmo dia da colocação, mas que mesmo assim encaram o risco. “A gente sabe que não pode colocar, mas na hora do aperto, se você tem um animal que você gosta, você faz de tudo”, contou Nalzira.

“Sabia da lei, mas quem ama os bichinhos não liga. Era uma filha que dormia comigo, tudo é possível, tanto que botei R$ 1.500 dos quais não disponho facilmente de recompensa”, disse Mariana.

Cuidados

O consultor em segurança José Vicente da Silva, coronel aposentado da Polícia Militar, alerta sobre os riscos de deixar o telefone exposto em cartazes nas ruas, e recomenda que os tutores de animais coloquem suas informações em locais mais restritos, como pet shops, por exemplo.

“A criatividade dos criminosos é ilimitada. Eles estão nas ruas, procurando oportunidade. Dentro das lojas, fica mais difícil, quem vai ver são pessoas que frequentam o local, e que pode acabar ajudando”, explicou.

Silva acredita que criar um canal apenas para ter informações sobre o animal – como um celular exclusivo para ser divulgado – é uma alternativa criativa, que ajuda a pessoa a ficar mais atenta a possíveis golpes. E lembra que uma coleira com informações do dono e ter fotos do animal são cuidados essenciais.

Na hora de se encontrar com alguém que diz estar com o cachorro e fazer o pagamento da recompensa, é preciso cautela. “O ideal é que ocorra num local público e movimentado, para reduzir o grau de ameaça e garantir que tenha o animal de volta. Além disso, é preciso ver o animal antes”, explica.

Fonte: G1

Acupuntura é usada há 3 mil anos para curar animais

Para muitos pode parecer luxo, mas a acupuntura chinesa, cada vez mais utilizada no ocidente no tratamento das doenças humanas, também ajuda a curar os animais há bastante tempo. Segundo o médico veterinário Artur Faria, existem registros da utilização da técnica em elefantes indianos, há cerca de 3 mil anos.

O veterinário afirma que a acupuntura é muito utilizada para o tratamento de várias doenças crônicas, como artroses, displasias, paralisias, alergias, disfunções de comportamento, sequelas neurológicas, ocasionadas por cirurgias ou por alguma doença como a cinomose.

Pega na rua por Maria Amélia Pires, A cadela Marie começou a apresentar problemas na pata e está sendo tratada com acupuntura. Foto: Beto Oliveira

Pega na rua por Maria Amélia Pires, A cadela Marie começou a apresentar problemas na pata e está sendo tratada com acupuntura. Foto: Beto Oliveira

Esse é o caso da cadela, sem raça definida, Marie. Há quase três anos, ela foi pega na rua pela professora Maria Amélia Pires e, em pouco tempo no novo lar, apresentou os sintomas da cinomose. “No segundo dia em minha casa, ela começou a apresentar problemas em uma das patas e logo Marie perdeu todos os movimentos”, disse Maria Amélia.

A professora conta que a cadela chorava a noite toda com dores. Desesperada com o sofrimento de Marie, Maria Amélia levou a cadela em vários veterinários até que descobriu a acupuntura. “O resultado foi maravilhoso, logo nas primeiras sessões ela parou de tomar remédios e as dores passaram”, disse.

Por um ano, a acupuntura fez parte da vida de Marie, duas vezes por semana. A cadela, que ainda não recuperou os movimentos das patas traseiras, se locomove com a ajuda de uma cadeira de rodas e está livre das dores. “Graças à acupuntura e ao amor da família, Marie é hoje uma cachorra saudável e feliz”, afirmou a professora.

Acupuntura em animais ainda é pouco conhecida

Mesmo com tantos casos de sucesso, o veterinário Artur Faria afirma que a acupuntura em animais ainda é pouco conhecida entre os profissionais da área e a população em geral. “Já presenciei vários casos de animais paralisados que tinham recebido a indicação de sacrifício e, com a acupuntura, recuperaram a autoestima e retornaram ao lar de seus proprietários, que muitas vezes ficavam incrédulos com o que estavam vendo”, disse Faria.

A poodle Nina, de 8 anos, é um exemplo disso. A cadela já ficou algumas vezes sem andar por conta de uma hérnia de disco. Sua tutora, a advogada Marcela Oliveira, conta que Nina, quando está em crise, fica o tempo todo deitada. “Ela só melhora quando faz acupuntura. Depois que começou o tratamento, as crises diminuíram muito e quando ocorrem são bem mais amenas”, afirmou a advogada.

Marcela lembra que, quando descobriu a doença de Nina, a cachorra tomava remédios que acabavam prejudicando sua saúde. “Por isso, os veterinários indicaram a acupuntura. Hoje, ela faz as seções sem dar o menor trabalho, fica quieta enquanto toma as agulhadas”, disse.

O poodle Bani, de 12 anos, é outro caso que comprova o sucesso do tratamento da acupuntura. No começo do ano, começou a sofrer com um problema na articulação do quadril. Sua tutora, a dentista Giuliana Vertemati, conta que o cão andava mancando, passava boa parte do tempo quieto e na hora de dormir era um sacrifício. “Mesmo exausto, ele não conseguia dormir. Ficava inquieto por conta das dores que sentia. Eu acabava dormindo sentada com ele no meu colo”, disse Giuliana.

O sofrimento de Bani fez com que a dentista procurasse várias alternativas de tratamento. O poodle chegou a tomar até sete remédios por dia, entre antinflamatórios, corticóides e analgésicos. Bani até chegou a ficar internado por causa das reações dos remédios. Até que um dia a dentista ouviu falar em acupuntura em animais.

“Eu não acreditava muito nesse tipo de tratamento, mas como eu e meu marido estávamos desesperados com a situação do Bani, resolvemos tentar”, afirmou Giuliana. A dentista lembra que os resultados apareceram na primeira sessão de acupuntura. “Foi o mesmo que tirar a dor com a mão. Cheguei em casa à noite e o Bani era outro cachorro, pulava e brincava o tempo todo”, disse.

De lá para cá, o poodle não teve mais crises, mas por indicação do veterinário, uma vez por semana, ainda toma as agulhadas. “Não queremos correr o risco de ele voltar a sentir dores”, afirmou a dentista que desembolsa, por mês, de R$ 120 a R$ 150 com o tratamento.

Hospital Veterinário oferece o tratamento mais barato

Para o estudante Marcus Amorim, dono do Teckel Bob, o tratamento com acupuntura saiu de graça. Bob foi beneficiado por um programa realizado no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Minas Gerais.

O cão que há três anos ficou paralisado devido a problemas na coluna conseguiu se recuperar totalmente na segunda sessão de acupuntura realizado no hospital veterinário. “Fiquei impressionado com o resultado”, disse.

O programa realizado no Hospital Veterinário da UFU, criado, em agosto de 2008, pela veterinária Márcia Valéria Szabó, utiliza a técnica da acupuntura em animais no tratamento de várias doenças.

Até junho deste ano, as sessões eram gratuitas. Nessa época, segundo a veterinária que atende no hospital, Lilian Thannús, cerca de 70 animais, entre hamsters, cobras, cachorros e outros de pequeno porte foram atendidos pelo projeto. “Atualmente a dra. Márcia ainda supervisiona o programa de forma voluntária, mas com a popularização do tratamento tivemos que começar a cobrar as sessões de acupuntura”, disse.

Lilian explica que a quantidade de sessões indicadas varia de acordo com o quadro clínico do animal. “Em média, gira em torno de 5 sessões, mas já teve casos de animais que receberam alta com apenas uma sessão”, afirmou a veterinária.

Hoje, de acordo com Tannús, uma sessão de acupuntura no o Hospital Veterinário custa R$ 40. Os atendimentos ocorrem duas vezes por semana e as consultas devem ser agendadas por telefone. O Hospital Veterinário fica na avenida Mato Grosso, 3.289. Telefones: 34-3218-2135/2196.

Fonte: Correio de Uberlândia

Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir