sábado, 25 de abril de 2009

Trezentas e cinco baleias são salvas pela Operação Musashi da Sea Shepherd



Por Marcio Bueno (da Redação)
Nessa última temporada, a Sea Shepherd salvou 305 baleias de uma morte agonizante pelos arpões explosivos da frota baleeira japonesa, e a Agência de Pesca Japonesa está culpando a Sea Shepherd pela sua falha em atingir sua cota। O Instituto de Pesquisas Cetáceas divulgou que no Oceano Austral, em 2008/2009, foram assassinadas 679 baleias Minke, de um objetivo de 935, e apenas uma baleia Fin - em perigo de extinção, das 50 previstas. "A caça dessa temporada foi reduzida devido à interferência de ativistas", reclama Shigeki Takaya, porta-voz da Agência de Pesca.Os baleeiros japoneses estenderam a temporada de caça por mais duas semanas, em uma tentativa de recuperar as perdas. Apesar disso, abateram apenas 2% da cota de baleias Fin e 72% de baleias Minke. A estimativa de prejuízo está em 10 milhões de dólares. Com o aumento dos custos devido a medidas de segurança, a indústria baleeira japonesa precisaria de pelo menos 700 baleias para compensação econômica. Mais uma vez, a Sea Shepherd atrapalhou os lucros da frota baleeira do Oceano Austral."Nós continuamos a falar a única linguagem que esses piratas entendem", diz o Capitão Watson. "Lucro e prejuízo. Nós precisamos manter altos seus prejuízos, e baixos seus lucros. Uma hora, nós iremos acabar com esses assassinos com economia aplicada agressivamente".

Kazuo Yamamura, presidente da Kyodo Senpaku Kaisha, que opera a frota baleeira, disse aos repórteres que estava incomodado pelos estragos causados em seu navio pela Sea Shepherd। "Eu estou enfurecido, e meu sangue está fervilhando de raiva", esbravejou o empresário. A companhia culpou a Sea Shepherd por atritos em mar, dizendo que os ativistas atacaram atropelando dois navios japoneses e atingindo baleias capturadas com garrafas de manteiga podre."Nós não atropelamos nenhum navio baleeiro", defende-se Watson. "Nós bloqueamos suas operações de carga, e quando eles tentaram se livrar de nós, as embarcações arpoeiras causaram as colisões. Os navios arpoeiros matadores são mais rápidos e manobráveis que o Steve Irwin, e sugerir que nós os atropelamos seria absurdo. Três colisões diferentes aconteceram quando eles tentaram se livrar de nós para descarregar as baleias".

Neste ano, um navio da Sea Shepherd perseguiu a frota nipônica por mais de 3।200 km pelas gélidas águas do Oceano Antártico, antes de se retirar em fevereiro. "Estou contente que o sangue de Yamamura esteja fervilhando", comemorou Paul Watson. "Estou contente que ele está enfurecido e estou absolutamente contente que os baleeiros japoneses não tiveram nenhum lucro neste ano e, acima de tudo, estou contente que nós salvamos 305 vidas. Isso significa três anos seguidos que nós suprimimos seus lucros sangrentos. Pretendemos ter um quarto ano, quando retornarmos ao Oceano Austral em dezembro, para mais uma vez interromper as atividades ilegais da frota baleeira japonesa".A Operação Musashi da Sea Shepherd foi um sucesso. "Nós fizemos o nosso melhor com os recursos que tínhamos disponíveis", explica Watson. "Se nós pudermos arrecadar fundos para obter uma segunda embarcação, mais veloz, poderemos fazer ainda mais na próxima temporada".

A campanha foi documentada na íntegra pelo canal de televisão a cabo Animal Planet, e levado ao ar em seu programa 'Whale Wars'. "Cada baleia salva é uma vitória, e 305 baleias salvas é uma enorme vitória, ainda mais custando aos baleeiros seu lucro para a próxima temporada. É uma incrível vitória", apontou o Primeiro-Oficial Peter Hammarstedt, da Sea Shepherd sueca.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Caminhão vira na porta de frigorífico e porcos aproveitam para fugir



Cerca de 200 porcos aproveitaram para dar no pé, com toda a razão, depois que o caminhão que os transportava sofreu um acidente na cidade de York, na Inglaterra. O veículo tombou poucos metros antes de chegar ao portão do frigorífico especializado em fazer bacon, para onde os animais estavam sendo levados.


Apesar de terem se esforçado para copiar os "Tamworth Two" (uma dupla de porquinhos que ficou famosa ao fugir do abate por quase duas semanas naquele país, em 1998), os animais não tiveram tanta sorte, segundo o diário britânico Daily Mail.

Bombeiros contiveram o avanço do grupo, utilizando a água das mangueiras, o que possibilitou aos funcionários do frigorífico redirecionar os animais para o interior da indústria. Os bombeiros também participaram na remoção dos animais que haviam ficado presos no caminhão acidentado. Em torno de 30 deles, seriamente feridos, foram sacrificados por veterinários.





Fontes: G1 e Gazeta Online

domingo, 19 de abril de 2009

Cão cabe em xícara e busca título de menor do mundo


Do G1, em São Paulo


Ele é um terço do tamanho de um porquinho da índia --pesa apenas 85 gramas--, mas o cão chamado Tom Thumb pode ser um bom negócio quando se trata de recordes mundiais, segundo reportagem do jornal inglês "Daily Mail". De acordo com o periódico, Tom Thumb é um sério concorrente para o título de menor cão do mundo. Ele nasceu há três semanas em uma ninhada da cadela chihuahua chamada Spice. Os proprietários Susan e Archie Thomson, que moram em West Dunbartonshire (Reino Unido), disseram que ficaram encantados quando Tom Thumb nasceu. Ele é três vezes menor que os demais e cabe dentro de uma xícara. Experiente na criação de cães chihuahua e de outras raças, Thomson acredita que Tom Thumb provavelmente não vai crescer mais do que isso. "Pelo tamanho de suas patas e cabeça, eu ficaria surpreso se ele crescer mais 2,5 ou 5 centímetros", afirmou ele. Segundo o jornal "Daily Mail", o menor cão do mundo em comprimento é Heaven Sent Brandy, uma cadela chihuahua, de quatro anos, que vive com sua dona na Flórida, nos EUA, é mede 15,2 centímetros de comprimento. No entanto, o Guinness considera como menor cão do mundo (tamanho e peso) outra chihuahua chamada Boo Boo, Em 12 de maio de 2007, ela vivia com sua dona, Lana Elswick, em Kentucky, tinha 10,16 centímetros de altura e pesava 675 gramas.

Manifestação: CCZ – Muda ou Fecha!


Justificativas:

- A Organização Mundial da Saúde concluiu: “os programas de eliminação de cães, em que cães vadios são capturados e sacrificados por métodos humanitários, são ineficazes e caros.”

- A Lei Estadual nº. 12.916, vigente desde abril de 2008, determina:
à As prefeituras do Estado de São Paulo ficam proibidas de promover a matança de animais sadios;
à Os animais comprovadamente agressivos, mediante laudo médico comprobatório, devem, obrigatoriamente, serem inseridos em programa de reabilitação por 90 dias e disponibilizados para doação;
à Todos os animais sadios recolhidos das ruas devem, obrigatoriamente, serem esterilizados, identificados e disponibilizados para doação em até 72 horas;
à Entidades Não-Governamentais poderão, a qualquer momento, ter acesso aos registros do Órgão quanto aos animais recolhidos, mortos e doados.


- O Decreto Federal nº. 24.645, de 1934, determina:
à Todos os animais existentes no País são tutelados do Estado;
à Os animais serão assistidos em Juízo pelo representante do Ministério Público;
à Considera-se maus-tratos, dentre outros:
- Manter animais em lugar anti-higiênicos ou que lhes impeçam a respiração, o movimento ou o descanso, ou os privem de ar ou luz;
- Abandonar animal doente, ferido, extenuado ou mutilado, bem como deixar de ministrar-lhe tudo o que humanitariamente se lhe possa prover, inclusive assistência veterinária.

- A Lei Federal de Crimes Ambientais nº. 9.605, de 1998, determina:
à Dos Crimes contra a Fauna: Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.







No Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo, desde abril de 2008:

1 – Feiras de adoção com ajuda de entidades não governamentais foram canceladas;

2 – A ferramenta Quero um Bicho (http://www.queroumbicho.com.br/), utilizada com sucesso em 40 cidades do país, cedida gratuitamente aos municípios, legitimada pela Lei Federal das OSCIPs, teve sua utilização paralisada na atual gerência, mesmo tendo alcançado resultados expressivos quando utilizada no CCZ/SP entre 2007 e 2008.

3 – Funcionários do Órgão ouviram do Sr. Dr. Marco Antônio Vigilato que as ONGs “não teriam vez” em sua gestão;

4 – Testemunhas ouviram do Sr. Marco Antônio Vigilato que “cachorro bom é cachorro morto”;

5 – No início do mês de março/2009 foi lavrado um Boletim de Ocorrência pela Polícia Militar Ambiental, pois, na presença de testemunhas, o Dr. Paulo Cantagalo assumiu que o CCZ/SP não presta nenhum tipo de assistência veterinária aos animais que ali estão. O Boletim em questão foi lavrado, pois um animal pequeno foi colocado em uma baia com animais maiores tendo parte de sua pata mutilada, e nessas condições permaneceu por vários e longos dias;

6 – Um especialista em comportamento animal e controle de agressividade ofereceu cursos gratuitos aos funcionários do Órgão, para o manejo e trato com animais de grande porte, que foi recusado pelo Sr. Dr. Marco Antônio Vigilato (assumindo publicamente em rede nacional – entrevista da Rede Record – DVD anexo);

7 – Todos os animais de grande porte são confinados em ambiente insalubre, sem luz solar, e lá permanecem por 90 dias até serem mortos, contrariando a Lei Estadual 12.916/08 e o Decreto Federal de 1934 (prática assumida publicamente em rede nacional – entrevista da Rede Record – DVD anexo);

8 – Os animais de grande porte, mesmo dóceis e sem histórico comprovado de agressividade, são tratados como mordedores irreversíveis e condenados à morte após 90 dias de confinamento total;

9 – Funcionários do CCZ/SP relatam que todos os dias cães pequenos são colocados nas baias de cães maiores, para que ocorram brigas e mortes de animais e, invariavelmente, todas as manhãs cães amanhecem mortos;

10 – Funcionários do CCZ/SP relatam que uma quantidade exageradamente alta de animais morre nas cirurgias de esterilização feitas no CCZ;

11 – Diversos projetos visando o bem estar dos animais, como projetos de adoção, passeios nas dependências do órgão e banhos, foram protocolados no CCZ; vários e-mails com sugestões foram enviados ao Sr. Dr. Marco Antonio Vigilato, e nunca foi obtido nenhum tipo de retorno por parte desse administrador público;

12 – Entidades solicitaram formalmente, por meio de ofício, acesso aos livros de registros de animais, conforme legislação estadual vigente, e nunca obtiveram retorno por parte dessa gerência. Em contrapartida, como forma de represália, sofreram fiscalização de funcionários do CCZ imediatamente após a solicitação dos documentos. Estes documentos nunca foram disponibilizados, descumprindo a Lei Estadual 12916/08, que obriga que tais documentos estejam à disposição das entidades.

Essas são apenas algumas das irregularidades observadas na atual gestão, suficientes para comprovar o descaso com o Patrimônio Público e com as Leis vigentes no país.


Os projetos que poderiam ser facilmente implantados, visando à recolocação de centenas de animais todos os meses, gerando redução nos gastos do município, apresentam como base os seguintes pilares:

- Utilização sistemática e em escala da ferramenta Quero um Bicho;
- Realização de Eventos de Doação todos os finais de semana, no próprio Centro de Zoonoses de SP, com divulgação maciça em toda a cidade;
- Realização de Eventos de Doação todos os finais de semana, em locais estratégicos da cidade, visando o amadurecimento das doações de animais, seguindo conceitos de marketing quanto à colocação de um “novo produto no mercado”;
- Utilização da “força” das entidades não-governamentais e de seus voluntários, para aproximar o CCZ/SP da sociedade e não o contrário;
– Intensificar os programas de esterilização em massa no cumprimento da Lei Municipal 13.131/01
– Implementar em escala programas educacionais;

“Um agente público tem obrigação moral de servir à sociedade e tem obrigação legal de cumprir suas funções, sejam elas quais forem.” Autoria desconhecida.


http://www.manifesta.kit.net/

sábado, 18 de abril de 2009

VAMOS SALVAR O CANTINHO DA SULIS


Tem 30 peludinhos que estão sendo despejados do local em que vivem aos cuidados da protetora SULIS, eles correm o risco de irem para o CCZ. A SULIS já arrumou um terreno que foi doado para ela continuar com os peludinhos, mas precisa construir um canil, foi feito um levantamento de material R$800,00 e mão de obra R$1.200,00, totalizando R$2.000,00 e ela não tem condições de arcar com esta despesa sozinha, ela precisa de ajuda com urgência.


Quem puder ajudar entre em contato através desse link abaixo e fale com José Carlos.
Ajude, por favor! Os animais agradecem!

sexta-feira, 17 de abril de 2009

PL VISA ALTERAR LEI 9605/98


Tramita na Câmara dos Deputados, apensado ao PL 3981/2000., o Projeto 4548/1998, de autoria do deputado José Thomaz Nonô, que pretende eliminar do artigo 32 da Lei 9605/98, a inclusão de “animais domésticos ou domesticados” como vitima de maus-tratos.

No dia 02 de abril, em tramitação do PL 3981/2000, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) aprovou, por unanimidade, parecer do Deputado Regis de Oliveira (Relator) no sentido de aprovar, dentre outras coisas, o PL 4548/1998. (Vide Parecer em Anexo).

A mera possibilidade de aprovação do PL 4548/1998 já me causa pesadelos, visto que seria a perda do muito pouco que todos os animais domésticos e domesticados no Brasil alcançaram na área criminal até agora. Embora a 9605/98 esteja longe de ser perfeita ou adequada, pelo menos hoje, os cavalos, os bois, os bezerros, os gatos, os cachorros, se enquadram dentro da denominação “domésticos ou domesticados” e, tecnicamente, maus-tratos contra esses animais podem ser punidos criminalmente.

Como vocês poderão ver pela JUSTIFICATIVA apresentada pelo Deputado Nonô (vide em anexo), o intuito por trás do PL 4548/1988, foi permitir que as vaquejadas, rodeios e cavalhadas passem a ser, sem sobra alguma de dúvidas, permitidas. Segundo o dito deputado “existem a vaquejada, a cavalhada e uma série de esportes populares, cuja prática, evidentemente, a lei jamais pretendeu cercear” (grifo nosso).

Portanto, peço a colaboração de todos vocês no sentido de apresentarem as suas manifestações aos deputados que participaram da votação desse parecer, inclusive ao Relator, Dep. Regis de Oliveira, e fazerem tudo que legalmente estiverem ao seu alcance para que esse PL não seja aprovado. Tenho muito receio de que ele, exatamente por estar escondido atrás do PL 3981 (que visa aumentar a pena para maus-tratos – coisa que todos nós queremos) como apenso, passe despercebido a todos e venha a ser aprovado. Notem que o parecer é pela rejeição do PL 3981/2000, mas pela aprovação do PL 4548/1998!

Peço, também, a todos vocês ajuda no sentido de monitorarem o andamento desse PL. No site da Câmara, http://www2.camara.gov.br/proposicoes/chamadaExterna.html?link=http://www.camara.gov.br/sileg/prop_detalhe.asp?id=20554 você poderá se cadastrar para acompanhamento.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Pit bull adere ao veganismo

Luciana Rossetto Do G1, em São Paulo
Existe um ditado que diz "a personalidade do cão é parecida com a do dono". Na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo, um cão da raça pit bull é uma excelente demonstração dessa sabedoria popular. O advogado Jorge Luís Cárdia, de 26 anos, e seu cão Davi seguem uma nova tendência e são adeptos do veganismo (filosofia em que não se deve consumir qualquer alimento ou produto de origem animal).

Veja a galeria de cães vegetarianos Cárdia é vegano há 10 anos। Não come nem mel, queijos ou ovos e evita usar produtos que são derivados de animais. Davi foi encontrado em setembro de 2006 em um lixão da cidade de Americana (SP) e adotado pelo advogado. Estava magro, desnutrido e tinha feridas na pele causadas por uma doença chamada sarna negra, que não é transmissível ao homem. Atualmente, Davi mora com Cárdia e sua mulher em uma casa na Vila Mariana. "Para mim, seria um contra-senso salvar um animal, mas ter de matar outros para sustentá-lo." Em vez de bifes suculentos, o cão devora legumes e frutas, mas seu alimento preferido mesmo é o tomate. "Davi adora frutas e gosta muito de bananas, maçãs e uvas. Ele também adora pipocas, temos até que tomar cuidado para que não coma demais", afirma Cárdia. "Tudo que eu consumo, acabo passando para meu cachorro. Acho que ele já tinha a alma vegana."

A dieta do animal é complementada com uma ração vegetariana, à base de legumes, que contém alguns nutrientes sintéticos encontrados apenas em carnes, como a vitamina B12. "Minha maior preocupação era ter certeza de que a dieta não faria nenhum mal para o bicho. Conversei com veterinários e descobri que não teria problema nenhum", diz. Ele garante que o cão é dócil e aposta que a dieta vegetariana contribui. "Ele é mais manso que meu gato, que ainda mora em Americana. Tenho mais medo que roubem ele do que a minha casa, porque ele é dado com todo mundo", diz. "Se não fosse pela alimentação, talvez nem a pele nem a personalidade dele seriam assim."

domingo, 12 de abril de 2009

Cães e gatos são inimigos? Gato enterra suas fezes...

Quem já não ouviu a frase: eles brigam feito cão e gato! Essa famosa frase deve ter surgido pela inimizade entre esses dois animais. Gatos atiçam os cães e eles correm atrás dos bichanos. Qual será que o motivo que os cachorros costumam atacar os gatos? Os lobos, antepassados dos cães, são animais de caça e, conseqüentemente, os cães também possuem instinto predatório. Quando eles vêem os bichanos com seus movimentos rápidos acabam se sentindo atraídos e pensam que os gatos são suas presas, despertando seu instinto e com isso, acabam correndo atrás do gato querendo atacá-lo. Mas existem muitas casas em que os dois animais convivem bem, para isso, seus donos precisam ensinar para os bichos quais são os seus limites e até repreendê-los quando for necessário.
Os gatos têm o costume de esconder suas fezes colocando a terra da caixinha onde fazem as suas necessidades por cima। O ato de defecar e depois ocultar as fezes não é comum apenas nos gatos, mas em grande parte dos felinos. O hábito tem como principal objetivo a proteção. Quando enterram as fezes fica mais difícil de seus predadores descobrirem onde eles estão. Mesmo estando em apartamentos ou em casas e não tendo nenhum inimigo por perto, eles mantêm essa atitude. Quando esses animais precisam caçar fazem a mesma coisa, pois assim suas presas não vão embora e fica bem mais fácil de realizar o ataque. Além disso, não fazem suas necessidades próximo aos filhotes, para que eles não sejam pegos de surpresa.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Vegetariano ganha processo contra o McDonald´s


Um hambúrguer “vegetariano” com cheiro de frango foi o responsável por uma disputa judicial que terminou no pagamento de R$ 2 mil reais por parte da rede de fast-food McDonald´s ao advogado gaúcho Tiago Orengo. A sentença saiu esta semana.
Após descobrir através de um site que o hambúrguer “Veggie Crispy” tinha aroma natural de frango Orengo, que provou o lanche, decidiu entrar na Justiça contra a rede. Na primeira decisão, o juiz deu ganho de causa ao McDonald’s alegando que não havia nenhuma indicação de que o lanche era vegetariano. O magistrado acrescentou que não era possível que “o autor tivesse consumido o sanduíche sem sentir o aroma de frango que o mesmo continha.”
Para o advogado a sentença de primeiro grau foi desrespeitosa e abria um precedente perigoso. “A partir daquela decisão não bastaria mais lermos os conteúdos, rótulos e composições dos produtos. Teríamos, segundo aquele brilhante juiz leigo, que identificar a primeira mordida todos os ingredientes daquilo que consumirmos ou a culpa seria nossa”, defende.
Lançado em 2007, o sanduíche composto por um empanado de legumes, alface americana, tomate e molho blanc era anunciado como “uma ótima opção para vegetarianos”.

Coelhos, são um verdadeiro encanto


Entre os roedores, o coelho é o animal de estimação mais querido. A graça está justamente na sua aparência. Isto, sem dúvida, é o maior atrativo dos coelhos. O seu corpo felpudinho, suas longas orelhas e seu olhar doce fazem com que este roedor se torne meigo e encantador. Sem contar o nariz que remexe! Além disto, o preço acessível, a manutenção pouco trabalhosa e de baixo custo, e a ausência total de cheiro na pele e no pêlo contribuem para a escolha deste bichinho como pet. De temperamento calmo, nada barulhento, o coelho é sociável, dócil, interativo e disposto a brincadeiras. Ele mesmo cuida eficazmente da sua higiene. Para se ambientar ao novo lar, o coelho deve ser solto regularmente por alguns instantes durante o primeiro mês. Existem diversas raças de coelho, como o Nova Zelândia, Califórnia, Chinchila, Azul de Viena, Borboleta, Prateado Champanhe, Rex e o mais exótico, o Angorá. Há ainda o coelho anão e o de orelhas caídas, normalmente encontrados como mutações do Nova Zelândia e Califórnia, porém existente também nas demais raças. A sua alimentação deve ser ração peletizada, específica para coelhos. Todos os dias o coelho deve comer folhas de beterraba, rabanete, chicória, almeirão e couve-flor. Alface, nem pensar! Pode causar diarréia. É claro que os coelhos adoram cenoura, mas por engordar, o melhor é alternar os dias.O coelho deve ser mantido em gaiola específica, sempre com o local fresco e protegido de correntes de ar. A cada quinze dias a instalação e os utensílios devem ser desinfectados.
Reprodução
O ideal é que o macho só comece a reproduzir a partir dos cinco meses de idade e a fêmea a partir dos quatro. Os coelhos reproduzem o ano todo, mas a fase mais fértil ocorre na primavera. Eles devem acasalar quase instantaneamente. Por garantia, deixe-os juntos por dois dias e, depois, separe-os. Ela dará a cria em cerca de 30 dias. Após o nascimento, verifique o ninho diariamente para checar se todos os filhotes estão vivos e juntinhos um ao outro, para que se esquentem. Caso não estejam, o melhor é reuni-los. Quando estiverem com 30 dias de idade, retire o ninho. Aos 40 dias de vida, já estarão desmamados e podem ser separados da mãe. Ela também já estará pronta para uma nova gestação.
Cuidados especiais: 1) Coelho não toma banho e nem deve ser molhado, pois provavelmente algum fungo se desenvolverá.2) Só deixe macho junto com fêmea quando quiser que reproduzam. Do contrário, ele tentará acasalar o tempo todo, e o casal pode brigar ou se reproduzir em demasia. 3) Caso, em alguns momentos do dia, o Coelho seja solto dentro de casa ou no jardim, fique atento para que não roa objetos ou plantas.4) Não carregue o Coelho pelas orelhas, pois pode causar distensões ou mesmo fraturas.
Origem e História
O coelho selvagem, digno ascendente do coelho doméstico, chegou ao continente europeu pelas mãos dos espanhóis vindos do norte de África. Ao longo dos séculos as características domésticas foram sendo apuradas (pensa-se que os monges foram os responsáveis) contando-se atualmente mais de 50 raças domésticas.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

O novo amigo da família


Esse simpático bichinho mexe com a imaginação das crianças। Tanto os antigos como os novos desenhos animados, sempre foram povoados por uma infinidade de personagens representados por carismáticos roedores. A criança que não pode ter uma dupla de esquilos traquinas em casa, nem camundongos que vivem fugindo dos gatos, acaba se encantando com o pequenino hamster.Ainda não é comum encontrarmos hamsters como animais de estimação. Mas ele pode mostrar-se um companheiro meigo, engraçado e muito limpinho. Esses pequenos animais passam toda a sua vida dentro de uma gaiola, mas a permanência dentro de nossas casas é curta, vivendo aproximadamente dois anos.Sua criação pode ser bastante simples. As lojas especializadas em animais de estimação oferecem gaiolas boas e baratas e, até uma gaiola de pássaro pode servir para acomodá-lo. Sua alimentação é prática, pois existe ração própria e é aconselhável oferecer frutas e legumes. A maioria dos animais domésticos precisa de cuidados diários, mas os hamsters não, eles podem ser deixados sozinhos por até três dias. Um dos lados positivos desse bichinho, além de ser brincalhão, é o fato dele nascer praticamente domesticado e necessitar de pouco treino para se tornar amigável.Em geral, os hamsters não gostam que mexam em suas coisas e de serem incomodados. A regra mais importante para a criação desse companheiro é manter apenas um animal por gaiola. Pode acontecer uma convivência pacífica entre dois jovens do mesmo sexo, desde que respeitadas certas condições como amplo espaço para ambos, esconderijo e muita comida. Os machos se toleram melhor do que as fêmeas, mas pode haver disputa por comida e território. Mesmo os casais mais mansos podem brigar até a morte se deixados sozinhos.



Mas, cuidado! Os hamsters devem ser sempre vigiados quando estão fora da gaiola porque podem se esconder e aí, fica muito difícil de encontrá-los. Como roedores, não precisam de vacinação e nem de cuidados especiais. Não costumam transmitir doenças como muitos pensam. Somente a sua mordida costuma ser muito dolorida. Cuide-se!Os hamsters são, em geral, animais de hábitos noturnos. Eles dormem a maior parte do dia e preferem brincar quando a gaiola está praticamente no escuro.
Tanto a gestação quanto o desmame duram 16 dias. Cada cria dá em média, 10 filhotes. A partir de dois meses de idade, os filhotes já sabem onde fazer suas necessidades.
Enfim, para que o hamster se sinta feliz, ele precisa ter a gaiola sempre limpa, boa alimentação, muito espaço com esconderijos e água, mais para tomar banho do que para beber. Com certeza, esse animal pode ser um prático e simpático companheiro para toda à família.
Origem e história
O seu nome deriva da palavra alemã "Hamstern", que significa apropriar-se de, apossar-se de alguma coisa. Esta é uma provável referência ao hábito de guardar alimentos em duas bolsas faciais (bochechas).

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Gato pede esmola com cartaz: 'preciso de dinheiro para comprar peixe'

Gato pede esmola em uma cidade da Belarus. Animal permanece no local com um cartaz, que diz: 'preciso de dinheiro para comprar peixe'. Felino não abandona seu lugar e protege o dinheiro apenas com o olhar. A proprietária do gato fica nas proximidades. (Foto: Divulgação)
Segundo o site 'englishrussia.com', a mulher disse que tinha salvo o gato, mas, como já contava com outros animais de estimação, não poderia alimentar todos eles. Por isso, ela decidiu levá-lo junto para pedir esmola na cidade. (Foto: Divulgação)


Gato foi flagrado pedindo esmola em uma cidade da Belarus.Proprietária do felino fica nas proximidades só observando.








Vaca percorre quase 100 km para escapar do abate



Ela foi levada para um santuário de animais no Reino Unido।Duas mulheres pagaram 500 libras para salvá-la do abate.


Uma vaca percorreu quase 100 quilômetros em nove meses para escapar do abate. O animal fugiu de seu proprietário quando estava sendo descarregado em um mercado em Thirsk (Reino Unido), segundo o jornal inglês "Daily Mail". Apelidada de a "Besta de Ealand", o animal está agora livre de parar no açougue após ser comprado por Sue McAuley e Tracey Jaine, que pagaram 500 libras (cerca de R$ 1.625) pela vaca e a transportaram para um santuário de animais em Frettenham, no Reino Unido. Wendy Valentine, fundadora do santuário Hillside, que cuida principalmente de animais que fugiram de fazendas, disse que, quando recebeu a primeira chamada, pensou que a entidade tinha que ajudar. "Ela vai ficar com a gente pelo resto de seus dias", afirmou Wendy. "Vê-la descer em Hillside foi fantástico", disse Sue McAuley, de 42 anos, que trabalha como assistente administração em uma faculdade em Ealand. Segundo ela, a vaca merece estar viva depois de conseguir se cuidar sozinha por quase um ano.

Ocorreu um erro neste gadget

Receita da semana

Vídeo da Semana

Comercial do Mês

Vamos Refletir